terça-feira, janeiro 31, 2017

3 Meditação Cura e Autocura - Yasmin Madeira


27 Critério de Julgamento - Joanna de Ângelis





27 Critério de Julgamento


Joanna de Ângelis



Há uma tendência muito grande para o indivíduo supervalorizar ou desconsiderar as tarefas que executa.

*

Por processo de auto-afirmação, um grande número de criaturas se crê a razão pela qual o Sol se movimenta nos espaços, superestimando-se, em prosaico processo de engrandecimento pessoal.


Não se dão conta de que todos possuem critérios de avaliação e de julgamento, derrapando no ridículo que poderiam evitar.


Tornam-se, assim, desagradáveis no trato e na convivência, evitados por uns e antipatizados por outros.


*


Da mesma forma, encontramos larga faixa de pessoas que se subestimam e não concedem o valor que merecem às suas realizações.


Crêem-se incapazes para qualquer atividade e supõem-se dispensáveis em toda parte.


Pessimistas, por índole, fazem-se desestimulantes e arredios, caindo em frustrações desnecessárias.


*


Dá o valor real aos teus atos.


Se poderias fazer melhor o que te parece imperfeito, logra-o da próxima vez.


Se consideras insignificante o teu feito, menor seria sem ele.


Se outros realizam com mais eficiência qualquer coisa, exercita- te e chegarás à mesma posição dele.


Todas as ações positivas são importantes no contexto geral da vida.


Até mesmo o erro tem o sentido de ensinar como se não deve fazer o que ora resulta prejudicial.


Esforça-te um pouco mais, quando estiveres produzindo algo, e, mediante o teu critério de julgamento, valoriza sem excesso nem depreciamento o que faças, pensando na finalidade para que se destina.



Divaldo Pereira Franco - Episódios Diários - Pelo Espírito Joanna de Ângelis 52- 53.



segunda-feira, janeiro 30, 2017

2 Meditação Para a Saúde Integral - Yasmin Madeira


26 Filosofia de Compreensão - Joanna de Ângelis





26 Filosofia de Compreensão

Joanna de Ângelis



No transcurso de um dia não faltam motivos para revides, agressões, quedas morais.


Uma pessoa desatenta choca-se contigo e não se desculpa.


Outra, irreverente, diz-te um doesto e segue, sorrindo.


Mais alguém, em desequilíbrio, não oculta a animosidade que lhe inspiras.


Outrem mais, de quem sabes que te censura e, mentindo contra ti, acusa-te, levianamente...


Tens vontade de reagir.


“Também sou humano” – costumas pensar.


Somente que reações semelhantes àquelas não resolvem o problema.


Deves nivelar-te às pessoas, pelas suas conquistas e títulos de enobrecimento, numa linha superior, e não pela sua mesquinhez.


Ninguém passa, na Terra, sem provar a taça da incompreensão.


Cada qual julga os outros pelos próprios critérios, mediante a sua forma de ser, como é natural.


O que se não possui é desconhecido; portanto, difícil de identificado noutrem.


*


Não é necessário que se te despersonalizes evitando apresentar- te conforme és.


Faz-se mister que te superes vencendo a parte negativa do teu caráter, aquela que censuras nos outros.


Lapidando as tuas arestas, tornar-te-ás melhor e mais feliz.


Aqueles que são exigentes, que gostam de aclarar tudo, resolver as situações que lhes surgem, padecem de distúrbios emocionais, sofrem ulcerações gástricas e duodenais, vivem indispostos.


Será que esses perturbadores e insolentes do caminho merecem que te desarmonizes?


Segue em paz, durante todo o teu dia, e arrima-te na filosofia da compreensão e da solidariedade, ajudando-os, sem reagires contra eles.


Isto será melhor para ti e para todos.




Divaldo Pereira Franco - Episódios Diários - Pelo Espírito Joanna de Ângelis 50-51.

domingo, janeiro 29, 2017

1 Meditação Prece a Jesus - Yasmin Madeira


25 Necessário e Dispensável - Joanna de Ângelis






25 Necessário e Dispensável

Joanna de Ângelis



O consumismo atual responde por muitos problemas.


As indústrias do supérfluo apresentam no mercado da vacuidade um sem-número de produtos desnecessários, que aturdem os indivíduos.


Estimulados pela propaganda bem elaborada, desejam comprar, mesmo sem poder, o que vêem, o que lhes é apresentado, numa volúpia crescente.


Objetos e máquinas que são o último modelo, em pouco tempo passam para o penúltimo lugar, até ficarem esquecidos em armários ou depósitos de coisas sem valor.


No entanto, se não fossem adquiridos, naquela ocasião, a vida perderia o sentido para quem os não comprasse.


Consumismo é fantasia, transferência do necessário para o secundário.


O consumidor que não reflete antes de adquirir, termina consumido pelas dívidas que o atormentam.


*


Muita gente faz compras, por mecanismos de evasão.


Insatisfeitas consigo mesmas, fogem adquirindo coisas mortas, e mais se perturbando.


Enquanto grande número de indivíduos se afogam no oceano do supérfluo, multidões inteiras não possuem o indispensável para uma vida digna.


Abarrotados, uns, com coisas nenhumas, e outros vitimados por terrível escassez.


São os paradoxos do século e do comportamento materialista utilitarista da atualidade.


*


Confere a necessidade legítima, antes de te permitires o consumismo.


Coisas de fora não equacionam estados íntimos. 


Distraem a tensão por um momento, sem que operem real modificação interior.


Quando o excesso te visite, reparte-o com a escassez ao teu lado.


Controla e dirige a tua vontade, a fim de não seres uma vítima a mais do tormento consumista.



Divaldo Pereira Franco - Episódios Diários - Pelo Espírito Joanna de Ângelis p.48- 49.



sábado, janeiro 28, 2017

100 ª Meditação - Yasmin Madeira - WebTV Nova Luz


24 O Poder - Joanna de Ângelis




24 O Poder

Joanna de Ângelis


Não deplores a função ou tarefa humilde, na qual te encontras edificando o futuro.


Todas as realizações, por mais grandiosas, não dispensam a participação das aparentes e pequenas contribuições que, em última análise, são-lhes fundamentais.


A melhor engrenagem pode desarticular-se quando alui modesto parafuso.


A maquinaria mais sofisticada estrutura-se com o mineral transformado, antes sem outra serventia.


Todas as tarefas que promovem a vida são de relevante significado.


Não é a função que dignifica o homem, mas este quem a enobrece.


Realiza, desse modo, o teu dever, com a consciência de que ele é de suma importância no concerto geral da vida.


*


O fastígio e o poder são compromissos graves para aqueles que os detêm.


O fastígio facilmente leva à queda, sob as circunstâncias em que se apresenta e as facilidades de que se reveste.


O poder, quase sempre, leva à corrupção, face à transitória posição de que se faz cercar, com perigos e gravames.


O verdadeiro poder é o do amor, aquele que vem de Deus, que faz homens fortes em qualquer função e dignos, íntegros, em todas as atividades.


Faze a tua parte com o poder do amor e segue, feliz, até a tua vitória final.



FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Episódios Diários.Cap. 24, p. 46-47.


sexta-feira, janeiro 27, 2017

99ª Oração Diária - WebTV Nova Luz


23 Desforço - Joanna de Ângelis





23 Desforço

Joanna de Ângelis


Fere, profundamente, o sentimento e a razão, a injustiça.


Magoa, sem dúvida, a agressão injustificável.


A rede das maldades, quando envolve alguém, asfixia-o e aflige-o.


São muitos os fatores e acontecimentos que surgem à frente, obstaculizando a tua marcha.


Não o deplores, nem revides deixando-te empolgar pelo anseio do desforço.

*

Os outros, os infelicitadores, já são infelizes sem que lhes aumentes a carga de desar com os revides e a vingança, tão covardes e insensatos quanto as más ações danosas.


Certamente, não mereces muitas dessas dores, pelo menos na atual conjuntura e na forma como te alcançam...


Sem embargo, não és viajor de primeira experiência, incurso num passado que te serve de base para o presente.


Como deves lutar para modificar, nas causas, os efeitos perniciosos que afetam a muitas outras criaturas, não te é lícita a ação ignóbil de vingança.


Só os homens de pequeno porte moral se desforçam, tombando em fosso mais profundo do que aquele em que se encontra o seu perseguidor.

*

Se desculpas o acusador, és melhor do que ele.


Se perdoas o inimigo, te encontras em mais feliz situação do que a dele.


Se ajudas a quem te fere, seja por qual motivo for, lograste ser um homem de bem, um verdadeiro cristão.


Desforço, jamais!




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Episódios Diários.Cap. 23, p. 44-45.