segunda-feira, outubro 03, 2016

20. Amadurecimento Psicológico - Joanna de Ângelis

O equilíbrio divino mantém-me em harmonia.


Penetro-me para conhecer-me.


Exteriorizo-me para oferecer.


Há uma necessidade de ser generoso em relação a mim mesmo, ao próximo e à Vida.


O equilíbrio divino tocou-me suavemente como a Primavera rociando o botão de rosa, e fez-me desabrochar totalmente.









20. Amadurecimento Psicológico

Joanna de Ângelis



O relacionamento interpessoal revela o comportamento dos indivíduos em função de si e dos outros. 


Nos primeiros tentames oculta a realidade, na grande preocupação da aparência. 


À medida que estreita os vínculos, a postura de guarda cede lugar ao relaxamento emocional, e, a pouco e pouco, a máscara cai.



Esse fenômeno é resultado da aproximação que o tempo proporciona à relação.



Nas pessoas realizadas, saudáveis, a conduta permanece sem surpresas, porque há uma interação da sua vivência interior com a exterior, verdadeiro amadurecimento psicológico. 


Após o autoconhecimento, que propicia a auto-aceitação, explora-se o exterior, abrindo-se a experiências, a vivências novas e enriquecedoras. 


A linha do equilíbrio demarca a personalidade, sem excentricidades nem bruscas mudanças como ocorre entre a exaltação e a depressão.


Quem assim age, encontra-se plenificado, irradiando esse estado de conquista como pessoa humana.


No comportamento alternado, em que o júbilo e a tristeza, a confiança e a suspeita, o amor e a animosidade se confundem, o autodescobrimento, a imaturidade programam estados de instabilidade, de desdita, conduzindo a enfermidades emocionais que são somatizadas, reaparecendo na área orgânica com caráter destruidor.


Tais reflexos, no relacionamento, geram desequilíbrios que se agravam, na razão direta que se fazem desastrosos, empurrando suas vítimas para estados obsessivos-compulsivos ou depressivos.


Na tua ânsia de crescimento experimenta a tua realidade íntima em confronto com a externa.


Não te permitas perturbar pelos indivíduos reagentes, que se encontram de mal com eles próprios e vomitam mau humor contra os demais.

Permanece cortês, para que não seja o seu estado bilioso a dizer como te comportares.


Por tua vez, não te transformes em personalidade reatora, aquela que está sempre reagindo, quando poderia e deveria agir.


A tua ação e reação traduzem como és interiormente, bem como sentes e vês em realidade o que se passa em teu mundo íntimo.


Assim, não desperdices energias mascarando-te, antes aplica-as em contínuo trabalho de autoaprimoramento, de crescimento interior até exteriorizares as conquistas em simpatia, cordialidade e amor.


Qualquer pretensão de modificar o mundo e fazê-lo girar como te aprouver é alucinação.


Porém, se te dedicares à transformação íntima, que reflita em alteração de outros comportamentos para melhor, lograrás alcançar a verdadeira meta do amadurecimento psicológico.


Com esse aprofundamento no eu espiritual, a saúde plena será tua amiga na grande proposta que te leva em busca de realização pessoal e humana.


Jesus nunca se amesquinhou diante dos falsamente poderosos ou de classe e economia mais expressivas. 


Tampouco se tornou prepotente diante dos fracos e sofredores.


A linha de equilíbrio entre o Seu interior e o exterior, demonstrou a Sua superioridade moral, espiritual e intelectual, que O torna Modelo sob todos os aspectos para todos nós, exemplo de perfeita maturidade psicológica, porque plenificadora.



FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Momentos de saúde.Cap 20 ,1992, p.23.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”