Pachelbel - Canon In D Major

domingo, dezembro 31, 2006



MAIS UM ANO...

O nosso caminho é feito pelos nossos próprios passos, mas a beleza da caminhada depende dos que vão conosco!

Assim, neste novo ano que se inicia, possamos caminhar mais e mais juntos em busca de um mundo melhor, cheio de PAZ, SAUDE, COMPREENSÃO e muito AMOR.

O ano se finda e tão logo o outro se inicia, e neste ciclo do "ir" e "vir", o tempo passa - e como passa!

Os anos se esvaem e nem sempre estamos atentos ao que realmente importa. Deixe a vida fluir e perceba, entre tantas exigências do cotidiano, aquilo que é indispensável para você!

Ponha de lado o passado e até mesmo o presente. Crie uma nova vida, um novo dia, um novo ano que ora se inicia!

Crie um novo quadro para você! Crie, parte por parte, em sua mente, até que tenha um quadro perfeito para o futuro, que está logo além do presente.

E, assim, dê início a uma nova jornada que o levará a uma nova vida, a um novo lar, aos novos progressos na vida!

Você logo verá esta realidade e encontrará a maior felicidade e recompensa. Que o ano novo renove nossas esperanças, e que a estrela resplandeça em nossas vidas e o fulgor dos nossos corações unidos intensifique a manifestação de um 2007 repleto de vitórias!

Que o resplendor dessa chama seja como a tocha que ilumina nossos caminhos para a construção de um futuro repleto de alegrias! E que tenhamos um mundo melhor!

À todos vocês, companheiros, já que temos o mesmo ideal, desejo que as experiências próximas de um ano novo sejam construtivas, saudáveis e harmoniosas.

Muita paz em seu contínuo despertar!

Dirce Correa da Costa Meyer
Mensagem do "Cantinho da Lu"

sábado, dezembro 30, 2006






FELIZ ANO NOVO
Para ser feliz,
próspero,
vencedor,
receber amores e dádivas,
bênçãos e distinções,
podes formular votos,
tecer esperanças,
alinhavar projetos,
enumerar decisões,
vestir cores certas,
brindar à sorte.
Porém,
se no coração,
o homem velho prossegue,
se o ontem ainda te governa,
se melhoras apenas te farão,
mais forte no que te é dispensável,
então prosseguirás, ano após ano,
imerso no mesmo tempo,
estacionário,
por livre e espotânea vontade,
de um eterno ano velho,
passado.
André Luiz





Queridos Amigos e Companheiros Espíritas,

Me despeço de 2006, com imensa gratidão por todos os momentos vividos ,
através dessa mensagem do querido benfeitor espiritual André Luiz.
FELIZ 2007!!!

Beijos mil!

Gabi



Receita de Ano Novo

Carlos Drumond de Andrade


Para você ganhar um belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido) para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha
ou qualquer outra bebida,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança a partir de janeiro
as coisas mudeme seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,você, meu caro,
tem de merecê-lo,tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre...

Feliz 2007 !!!

Eu Mereço, Você Merece... O Mundo Merece...

Beijos mil!

Gabi


segunda-feira, dezembro 25, 2006










Desde a ascenção de Herodes, o Grande, que se fizera rei com o apoio dos romanos, não se falava na Palestina senão no Salvador que viria enfim...


Mais forte que Moisés, mais sábio que Salomão, mais suave que David, chegaria em suntuoso carro de triunfo para estender sobre a Terra as leis do Povo Escolhido.


Por isso, judeus prestigiosos, descendentes das doze tribos, preparavam-lhe oferendas em várias nações do mundo.


Velhas profecias eram lidas e comentadas, na Fenícia e na Síria, na Etiópia e no Egito.


Dos confins do Mar Morto às terras de Abilena, tumultuavam notícias da suspirada reforma...


E mãos hábeis preparavam com devotamento e carinho o advento do Redentor.
Castiçais de ouro e prata eram burilados em Cesaréia, tapetes primorosos eram tecidos em Damasco, vasos finos eram importados de Roma, perfumes raros eram trazidos de remotos rincões da Pérsia...

Negociantes habituados à cobiça cediam verdadeiras fortunas ao Templo de Jerusalém, após ouvirem as predições dos sacerdotes, e filhos tostados do deserto vinham de longe trazer ao santuário da raça a contribuição espontânea com que desejavam formar nas homenagens ao Celeste Renovador.
Tudo era febre de expectação e ansiedade.


Palácios eram reconstruídos, pomares e vinhas surgiam cuidadosamente podados, touros e carneiros, cabras e pombos eram tratados com esmero para o regozijo esperado.


Entretanto, o Emissário Divino desce ao mundo na sombra espessa da noite.
Das torres e dos montes, hebreus inteligentes recolhem a grata notícia... Uma estrela estranha rutila no firmamento.


O Enviado, porém, elege pequena manjedoura para seu berço de luz.
Milícias angelicais rejubilam-se em pleno céu...


Mas nem príncipes, nem doutores, nem sábios e nem poderosos da Terra lhe assistem a consagração comovente e sublime.


São pastores humildes que se aproximam, estendendo-lhe os braços.
Camponeses amigos trazem-lhe peles surradas.


Mulheres pobres entregam-lhe gotas de leite alvo.


E porque as vozes do Céu se fazem ouvir, cristalinas e jubilosas, cantam eles também...


"Glória a Deus nas alturas, paz na Terra, boa vontade para com os Homens!..."
Ali, na estrebaria singela, estão Ele e o povo...


E o povo com Ele inicia uma nova era...








É por isso que o Natal é a festa da bondade vitoriosa.


Lembrando o Rei Divino que desceu da Glória à Manjedoura, reparte com teu irmão tua alegria e tua esperança, teu pão e tua veste.


Recorda que Ele, em sua divina magnificência, elegeu por primeiros amigos e benfeitores aqueles que do mundo nada possuíam para dar, além da pobreza ignorada e singela.


Não importa sejas, por enquanto, terno e generoso para com o próximo somente um dia...


Pouco a pouco, aprenderás que o espírito do Natal deve reinar conosco em todas as horas de nossa vida.


Então serás o irmão abnegado e fiel de todos, porque, em cada manhã, ouvirás uma voz do Céu a sussurrar-te, sutil:

- Jesus nasceu! Jesus nasceu!...

E o Mestre do Amor terá realmente nascido em teu coração para viver contigo eternamente.


Francisco Cândido Xavier / Humberto de Campos





Que possamos, na Noite de Natal,
refletir sobre nós mesmos e pedir a Ele
amparo e luz que permita vencer
as dificuldades interiores.

Que possamos agradecer
o Amor que nos dedica.

Que possamos louvar
a graça que é tê-Lo como Mestre e Amigo.

Que sua semana seja de amor.
De amor sublime e construtivo.
E que este amor seja manto a envolver
a todos ao redor.






Mensagem de Natal da Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo:: Jacarepaguá::RJ

domingo, dezembro 24, 2006


Perfil de Jesus


Toda especial foi a Sua vida.

Anunciado por profecias, sonhos e anjos, Ele esteve aguardado pela ansiedade do povo, pelo orgulho nacional de raça e o despotismo dos dominadores políticos que o desejavam guerreiro arbitrário e apaixonado.

Quando o silêncio espiritual pairava em Israel, Ele nasceu no anonimato de uma noite gentil, numa manjedoura, cercado por animais domésticos e assistido pelo amor dos pais humildes, sem outras testemunhas.

Seus primeiros visitadores eram, amantes da natureza, pastores simples, logo seguidos por magos poderosos, num contraste característico, que sempre assinalaria a Sua jornada entre os homens.

Nas paisagens de Nazaré Ele cresceria desconhecido, movimentando-se entre a carpintaria do pai e as meditações nas campinas verdejantes, confundido com outros jovens sem qualquer destaque portador de conflitos antes da hora.

Amadureceu no lar como o trigo bom no solo generoso, e, quando chegou a hora, agigantou-se na sinagoga, desvelando-se e anunciando-se.

Incompreendido, como era de esperar-se, saiu na busca daqueles que iriam segui-Lo e ficariam como pilotis da Nova Era que ele iniciava.

No bucolismo da Galiléia, pobre e sonhadora, fértil e rica de beleza, Ele começou o ministério que um dia se alargaria por quase toda a Terra, apresentando o programa de felicidade que faltava às criaturas.

Jamais igualado, Sua voz possuía a mágica entonação do amor que penetra e dulcifica, ensinando como ninguém mais conseguiu igualá-Lo.

A majestade do Seu porte confundia os hipócritas e desarmava os adversários fortuitos, pela serena inocência, profunda sabedoria e invulgar personalidade.

Nunca se perturbou diante das conjunturas humanas, sobre as quais pairava, embora convivendo com gente de má vida, pecadores e perversos, pobres desesperados e ricos desalmados, vítimas morais de si mesmos no vício e perseguidores contumazes...

Ele compreendia a pequenez humana e impulsionava os indivíduos ao crescimento interior, às conquistas maiores.

Penetrando o futuro referiu-se às hecatombes que a insânia humana provocaria, mas, apresentou também a realidade do bem como coroamento dos esforços e sacrifícios gerais.
Poeta, fez-se cantor.

Príncipe, tornou-se vassalo.

Senhor, converteu-se em servo.

Nobre de origem celeste, transformou-se em escravo por amor.

Ninguém disse o que Ele disse, conforme o fez e o viveu.

Jesus é a síntese histórica da ascensão humana.

Demarcando as épocas, assinalou-as com o estatuto da montanha, em bem-aventuranças eternas.

Nem a morte O diminuiu.
Pelo contrário, antecipou-lhe a luminosa ressurreição, que permanece como vida de sabor eterno, varando as eras.

Grandioso, hoje como ontem, é o amanhã dos que choram, sofrem, aguardam e amam.

Sua veneranda presença paira dominadora sobre a humanidade, que nEle encontra o alfa e o ômega das suas aspirações.

Jesus é a vida em representação máxima do Criador, como Modelo para a humanidade de todos os tempos.

Unamo-nos a Ele e vivamo-Lo.

Equipe de Redação do site www.momento.com.br, com base no capítulo "Perfil de Jesus", do livro Perfis da Vida.

quinta-feira, dezembro 14, 2006



Oração de Natal

Senhor, começo a ouvir os primeiros toques das músicas de Natal.

O meu coração começa a bater mais forte.

Não sei se é porque está acabando o anoou se é porque tenho muito que agradecer.

Ou se tenho que dizer para Ti, para meus amigos, muito obrigado...

São tantas as idéias, são tantas as coisas que aconteceram.

São tantos os momentos que ocorreram neste ano.que já me perdi em lágrimas, sorrisos, recordações...

Mas ficaram os apertos de mão e os abraços recebidos.

São tantas e tantas coisas, muito obrigado...

Sei que devo agradecerpor mais um ano e com ele mil sonhos e mil idéias para acontecerem.

Mas, diante deste turbilhão de coisas e acontecimentos, eu venho Te pedir...

Tu mesmo me ensinaste a pedir, mas não sei pedir...Estou como uma criança, diante de uma loja de brinquedos.

Senhor, ensina-me a pedir!Ensina-me a ter um coração de Salomão, que só pediu sabedoria.

Um coração de criança, que só pede amor.

Um coração de doente, que só pede saúde.

Um coração de monge, que só pede tranqüilidade.

Um coração de cego, que só pede enxergar.

Um coração de guerreiro, que só pede coragem.

Um coração de mãe, que só pede união na família.

Um coração de pai, que só pede que não falte nada.

Um coração de virgem, que só pede realização na vida.

Um coração de médico, que só pede para que possa ajudar os outros.Um coração de sábio,
que só pede a paz.

Senhor, que este pobre e humilde coração, possa neste Natal apenas bater uníssono com o coração de Cristo e que possa ter em minha mente um só pensamento:

O Teu pensamento para que saiba dizer Feliz Natal !!!

JESUS SABE
Quantas lágrimas você já verteu a sós, sem ninguém para lhe estender um ombro amigo, sem uma palavra de alento, sem nenhum consolo...
Considere, no entanto, que Jesus sabe...
Quando você descobre que seus amigos, nos quais você depositava a mais sincera confiança, lhe traem, e a amargura lhe visita a alma dolorida, no silêncio das horas... Jesus sabe.
Jesus conhece os mais secretos pensamentos e sentimentos de cada uma das ovelhas que o pai lhe confiou.
Jesus sabe das noites mal-dormidas, quando você se debate em busca de soluções para os problemas que lhe preocupam a mente...
Das dores que lhe dilaceram a alma, quando a solidão parece ser sua única companheira fiel, Jesus sabe...
Dos imensos obstáculos que você já superou, sem nenhuma estrela por testemunha, Jesus sabe...
Da sua sede de justiça, Jesus sabe.
Da sua luta para ser cada dia melhor que o dia anterior, Jesus sabe.
Jesus, esse irmão maior, a quem o pai confiou a humanidade terrestre, conhece cada um dos seus tutelados.
Se você sofreu algum tipo de calúnia, de injustiça, alguma punição imerecida, Jesus sabe.
Jesus conhece as suas horas de vigília ao lado do leito de um familiar enfermo... Sabe da sua dedicação aos filhos, tantas vezes ingratos, ao esposo ou à esposa problemática. Jesus sabe dos seus auto-enfrentamentos para vencer os próprios vícios e as tendências infelizes.
Jesus conhece suas fraquezas, seus medos, suas chagas abertas, suas inseguranças... Jesus sabe das muitas vezes que você persiste em caminhar, mesmo com os pés sangrando... Jesus sabe o peso da cruz que você leva sobre os ombros...
Jesus sabe quantas gotas de lágrimas você já derramou por compaixão, sofrendo a dor de outros corações...
Jesus conhece suas muitas renúncias...Suas amarguras não confessadas...
Jesus sabe das esperanças que você já distribuiu, dos alentos que você ofertou, das horas que dedicou voluntariamente a benefício de alguém...
Jesus conhece suas ações nobres e percebe o desdém daqueles que só notam e ressaltam suas falhas.
Jesus entende seu coração dorido de saudade, dilacerado pela solidão, amargurado pelas dificuldades que, às vezes, parecem intransponíveis...
Jesus sabe que todas as situações pelas quais você passa, são para seu aprendizado e para seu crescimento na direção da grande luz.
O Sublime Pastor conhece cada uma de Suas ovelhas e sabe o que se passa com cada uma delas.
Por isso Ele mesmo assegurou: "nunca estareis a sós".
Jesus é o Divino Amigo que nos segue os passos desde sempre e para sempre.
E nos momentos em que suas forças quiserem lhe abandonar, aconchegue-se junto ao Seu coração amoroso e ouça Sua voz a lhe dizer, com imensa ternura:
Meu filho, trace o seu sulco; recomece no dia seguinte o afanoso labor da véspera;
O trabalho das suas mãos lhe fornece ao corpo o pão terrestre; sua alma, porém, não está esquecida;
E eu, o jardineiro divino, a cultivo no silêncio dos seus pensamentos.
Quando soar a hora do repouso e a trama da vida se lhe escapar das mãos e seus olhos se fecharem para a luz, sentirei que surge em você, e germina, a minha preciosa semente.
Nada fica perdido no reino de nosso pai e os seus suores e misérias formam o tesouro que o tornará rico nas esferas superiores, onde a luz substitui as trevas...
E onde o mais desnudo dentre vós será talvez o mais resplandecente."
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em "O Evangelho segundo o Espiritismo", cap. VI, item 6.

Semeie a alegria Para viver bem... - Humberto Pazian






Semeie a alegria

Para viver bem...


Reflita. 


A Lei de Ação e Reação, muito conhecida dos espíritas e dos adeptos de várias religiões, deve ser entendida na sua amplitude.


A misericórdia divina é infinita e dá, a casa um de nós, por intermédio da reencarnação, a oportunidade de reconstruir o que, por vezes, destruímos no passado.


Adotando a fraternidade como norma de conduta, moldaremos, no presente, um futuro melhor.


Não é maravilhoso?


Se você quer vivenciar a paz, a harmonia, a saúde, a felicidade, plante essas sementes em outros corações.


Agindo assim, desde já estará preparando a farta colheita do futuro.



Humberto Pazian



Texto extraído do livro Para viver bem... página 156Editora PetitAutor: Humberto Pazian:: Mensagem do Grupo Espírita Fraternidade de Assis::SP

Semeie a alegria

Para viver bem...


Reflita. A Lei de Ação e Reação, muito conhecida dos espíritas e dos adeptos de várias religiões, deve ser entendida na sua amplitude.

A misericórdia divina é infinita e dá, a casa um de nós, por intermédio da reencarnação, a oportunidade de reconstruir o que, por vezes, destruímos no passado.

Adotando a fraternidade como norma de conduta, moldaremos, no presente, um futuro melhor.

Não é maravilhoso?

Se você quer vivenciar a paz, a harmonia, a saúde, a felicidade, plante essas sementes em outros corações.

Agindo assim, desde já estará preparando a farta colheita do futuro.


Humberto Pazian


Texto extraído do livro Para viver bem... página 156Editora PetitAutor: Humberto Pazian:: Mensagem do Grupo Espírita Fraternidade de Assis::SP

sábado, dezembro 09, 2006




O alimento da alma


“Orar constitui a fórmula básica da renovação íntima, pela qual o divino entendimento desce do Coração da Vida para a vida do coração"
"Depois de despedido o povo, subiu a um monte, a fim de orar, ele só. Já era noite, e ainda se achava sozinho." (Mateus, 14: 22-23)

"Jesus, porém, se retirou a um lugar solitário para orar." (Lucas, 5: 12-16)

"De manhã, ainda bem escuro, levantou-se, retirou-se para um lugar solitário, onde orou." (Marcos, 1:35-39)

Conta-nos Frei Estefânio Piat, insuspeito biógrafo de São Pedro de Alcântara, que este venerável religioso costumava isolar-se a uma ermida da horta do convento de Plasência. Envolvido pela natureza, em silêncio e solitude, buscava com maior liberdade entregar-se à meditação e à oração.

Certa vez, vieram visitá-lo o Marquês de Mirabel, o Conde Torrejón e outros nobres cavaleiros. Não o encontrando na cela, dirigiram-se à referida ermida. Deparam, então, com uma cena insólita. Levantando os olhos, viram Frei Pedro a levitar, mas tão distanciado da superfície do solo, que parecia elevar-se aos céus.

O devotado frei ainda se encontrava envolto em brilhante claridade e, à sua volta, os nobres cavaleiros testemunharam inúmeras avezinhas muito formosas, entre as sonoridades de uma suave música.

Em outra ocasião, ao ajoelhar-se para uma oração diante da cruz do horto de um mosteiro, “começou a levantar-se do solo e, despedindo seu rosto raios de luz e fogo, subiu até tocá-la com seus lábios.” Seu hagiógrafo acrescenta que a cruz se cobriu de grande esplendor e a estranha claridade inundou as cercanias, enquanto uma nuvem luminosa envolveu o busto do santo cristão.

Cita ainda Piat: “Os habitantes se intrigam pelo halo de luz que lhe aureola a fronte, vêem-no acima das copas das árvores, paralisado na contemplação do crucifixo. Aconteceu mesmo que, no convento de Pedroso, Frei Pedro, através do espaço, alcançou a cruz gigante que coroava lá em cima o cume do monte. Uma nuvem do Tabor parecia envolvê-lo, enquanto ele se oferecia, de braços abertos, ao beijo do divino Sofredor. O céu glorioso da Estremadura andou todo abrasado. E os frades, que pensavam no Estigmatizado do Alverne, ajoelham-se chorando no meio da massa popular que acorrera para ver o espetáculo.”





Comoventes apelos à oração



Em tempos contemporâneos é comovedor o insistente apelo à oração feito por Maria Santíssima nas muitas aparições às suas crianças e a outros humildes mensageiros por ela escolhidos. No início dos ciclos de todas essas grandes aparições pelo mundo, ainda quando nem mesmo a Igreja e as autoridades tenham tomado partido sobre os fenômenos, as crianças videntes contam que a “senhora vestida de sol” as convida para uma transformação interior verdadeira, ao sacrifício pela humanidade e, sobretudo, à recitação diária do rosário.

A oração tem um papel nesses fenômenos, como podemos ver, por exemplo, no episódio de Fátima, Portugal, quando na primavera de 1916 a aparição do denominado “Anjo da Paz” antecede as visitas da Senhora aos três anônimos pastorinhos. As crianças daquela localidade isolada, Lúcia, Jacinta e Francisco (com idades respectivas de 10, 9 e 7 anos) tornar-se-iam, então, protagonistas e mensageiros da mais intrigante e prodigiosa revelação religiosa ocorrida em nossos tempos.
Conforme relatam os documentos, as crianças brincavam após a reza habitual que faziam todos os dias. Repentinamente, um vento forte sacudiu as árvores. Sobre o olival, caminhando em sua direção, elas se deparam com um jovem resplandecente e de grande beleza, aparentando 15 anos. Sua consistência e brilho assemelhavam-se o do cristal atravessado pelos raios do sol.

É a própria Lúcia quem relata a primeira solicitação daquele belíssimo ser espiritual:
“Ao chegar junto de nós, (o anjo) disse: — Não temais! Sou o Anjo da Paz. Orai comigo...”
Meses mais tarde, em seu ciclo de aparições, Maria Santíssima reafirmaria: ‘Rezem o terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra’.





O apelo dos Benfeitores Espirituais


Também os espíritos benfeitores enfatizaram ao Codificador a sublimidade da prece, o que o levou a registrar em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”: “A prece é recomendada por todos os espíritos. Renunciar a ela é ignorar a bondade de Deus; é rejeitar para si mesmo a Sua assistência; e para os outros, o bem que se poderia fazer. Ao atender o pedido que lhe é dirigido, Deus tem frequentemente em vista recompensar a intenção, o devotamento e a fé daquele que ora. Eis porque o homem de bem tem mais merecimento aos olhos de Deus, e sempre maior eficácia”.

O próprio Kardec, nos vários períodos das grandes agressões morais e provações pelas quais serena e honrosamente atravessou, buscava elevar-se mental e emocionalmente às Esferas Superiores, sobrepondo-se com dignidade acima de todos os infortúnios e torpezas vindas da parte de seus inimigos gratuitos. Nesses momentos, o venerável educador lionês sabia haurir inspiração e força hercúlea para prosseguir no cumprimento de sua delicada missão.





“A oração é o meu refúgio e o meu sustento”


Nosso saudoso Chico Xavier jamais perdeu oportunidades de reafirmar a importância da prece em sua vida. Dizia: “a oração é o meu refúgio, o meu sustento. De pensamento ligado às Altas Esferas é que tenho conseguido seguir adiante com as minhas lutas... Oro trabalhando e trabalho orando. Eu não entendo como é que a pessoa que não ora pode sobreviver neste mundo...”

Muitas vezes foi considerado místico por parte de alguns confrades mais apegados ao aspecto científico e filosófico da doutrina. Ele então rebatia: “— Não me importa que me considerem místico... Se ser amigo da prece é ser místico, então eu assumo.”

É fato conhecido entre todos os espíritas as inúmeras visitas sublimes que iluminavam o quartinho do Chico quando imerso em suas orações. Mergulhado nas vibrações balsâmicas da prece o humilde médium de Pedro Leopoldo soube catalisar amparo e fortaleza para sua espinhosa missão em nossa pátria.


“Em meio às lágrimas de nossas súplicas, a Providência Divina já atuava”

Os momentos de comunhão com Deus, através da prece, são de fato fundamentais na experiência de todo sincero e devotado trabalhador do bem.

Certa vez interpelamos dona Aparecida Conceição Ferreira, a grande protetora dos portadores de pênfigo foliáceo e fundadora do antigo Hospital do Fogo Selvagem de Uberaba, sobre suas imensas dificuldades pecuniárias em manter aquela obra, uma vez sendo ela tão desprovida de recursos próprios. Com convicção e humildade ela nos respondeu: “—Muitos vêm aqui, mas poucos ajudam meus doentes. No entanto, quando a comida está acabando, os remédios começam a faltar, as contas estão vencidas eu olho para o céu e digo: Meu Deus! Foi o Senhor quem me colocou aqui... Então, por favor, faça agora a Sua parte, porque tudo que estava ao meu alcance eu já fiz...”

Sobre essa questão também ouvimos, pessoalmente, de outro querido companheiro e abnegado servidor do Cristo através do espiritismo, o Tadeu, de Araxá, da Casa do Caminho: “—Muitas vezes, com a dispensa vazia e quando já tínhamos esgotado todas as nossas tentativas e esforços, só nos restava o recurso da oração, rogando a Jesus pelos nossos velhinhos e doentes. E era com grande alegria que tantas vezes testemunhamos, em meio às lágrimas de nossas súplicas, a Providência Divina atuando, através da bondade de amigos ou pessoas que, às vezes, nem sequer conhecíamos pessoalmente.”


“Se soubessem o valor da prece, orariam o tempo todo”

Com certeza foi por todos esses motivos que afirmou André Luiz, através do Chico: “—Se vocês soubessem o valor da prece, orariam o tempo todo.”

Referindo-se a grandeza inimaginável das forças espirituais que se mobilizam no momento da prece, diz-nos também o nobre benfeitor: “(...)o sacerdote de classe elevada, toda vez que aproveita os elementos de sua fé para consolar um espírito desesperado, está impelindo-o à produção de raios mentais enobrecidos, com os quais forma o clima adequado à recepção do auxílio da Esfera Superior; o médico que encoraja o paciente, usando autoridade e doçura, inclina-o a gerar, em favor de si mesmo, oscilações mentais restaurativas, pelas quais se relaciona com os poderes curativos estuantes em todos os escaninhos da Natureza; o professor, estimulando o discípulo a dominar o aprendizado dessa ou daquela expressão, impulsiona-o a condicionar os elementos do próprio espírito, ajustando-lhe a onda mental para incorporar a carga de conhecimento de que necessita”.





Comunhão com as Esferas Superiores



O benfeitor esclarece também sobre a questão do reflexo mental condicionado em todos os momentos da alma, seja no repouso ou na atividade, como “ação independente da vontade que se segue, imediatamente, a uma excitação externa na base das operações da mente, objetivando esse ou aquele gênero de serviço.”

Considerado esse reflexo condicionado mental “resulta o impositivo da vigilância sobre a nossa própria orientação, de vez que somente a conduta reta sustenta o reto pensamento e, de posse do reto pensamento, a oração, qualquer que seja o nosso grau de cultura intelectual, é o mais elevado toque de indução para que nos coloquemos, para logo, em regime de comunhão com as Esferas Superiores”.


“Orar constitui a fórmula básica da renovação íntima”

Lembra o benfeitor que “orar constitui a fórmula básica da renovação íntima, pela qual o divino entendimento desce do Coração da Vida para a vida do coração. Semelhante atitude da alma, porém, não deve, em tempo algum, resumir-se a simplesmente pedir algo ao Suprimento Divino, mas pedir, acima de tudo, a compreensão quanto ao plano da Sabedoria Infinita, traçado para o seu próprio aperfeiçoamento, de maneira a aproveitar o ensejo de trabalho e serviço no bem de todos, que vem a ser o bem de si mesma”.


Sintonia entre criatura e Criador

Citando as sagradas escrituras, recorda-nos André os exemplos de Moisés e Jesus quanto a excelência da oração nas grandes manifestações do divino: “Orando, Moisés recolhe, no Sinai, os mandamentos que alicerçam a justiça de todos os tempos, e, igualmente em prece, seja nas margens do Genesaré ou em pleno Tabor, respirando o silêncio de Getsêmani ou nos braços da cruz, o Cristo revela na oração o reflexo condicionado da natureza divina, suscetível de facultar a sintonia entre a criatura e o Criador.”




Conclusão


Em nossos tempos conturbados e propensos à falta de introspecção parece-nos conveniente refletir sobre esse assunto.
Em meio às nossas tantas distrações cotidianas, muitos de nós deixamos de lado o salutar hábito de investir um tempo no convívio íntimo com o Pai Celestial. E o quanto essa atitude faz-nos falta, cada um bem sabe por si...
Refletindo sobre todo o exposto, estaríamos dispostos a disciplinar alguns minutos diários em oferecer à nossa alma a oportunidade de alçar vôos mais altos ao infinito das misericórdias de Deus?


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

“Mediunidade dos Santos”, Clóvis Tavares, IDE“Vida de San Pedro de Alcântara”, por um religioso de la orden de San Francisco Frei Estefânio Piat
“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Allan Kardec, LAKE
"Fátima, Aurora do Terceiro Milênio", João S. Clá Dias, Associação Cultural Nossa Senhora de Fátima “Memórias e Cartas”, Irmã Lúcia, pp. 109-119;
Pe. João de Marchi“Era uma Senhora mais brilhante que o sol...”, pp. 71-76;
Côn. José Galamba de Oliveira“História das Aparições”, in “Fátima, altar do mundo”, vol.2 pp. 51-59; D. Rubén H. di Monte, Bispo de Avellaneda“Devocionario de N.ª del Rosário de Fátima”, Bonum, Buenos Aires, 1998, pp. 8-11Santuário de Fátima – Portugal - http://www.santuario-fatima.pt/portal/
“Orações de Chico Xavier”, Carlos Baccelli, LEEPP
“Mecanismos da Mediunidade”, André Luiz/Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, FEB – http://www.febnet.org.br/
Casa do Caminho de Araxá - http://www.casacaminho.com.br/index.html
Equipe Consciesp
Texto recebido do amigo Douglas/BH.


Dr.Carlos Chagas



Confesso-lhes que tenho extrema admiração e carinho transcendentes por este Espírito , que muito corroborou para o progresso da Ciência através de suas pesquisas permeadas pela sua dedicação e amor ao próximo.
Querido Amigo, onde quer que você esteja , receba a minha gratidão por tudo que realizou em benefício dos "Irmãos do Caminho", tão esquecidos pelos teóricos que muitas vezes realizam seus discursos de uma pseudo-caridade, que nunca souberam praticar...
Refiro-me aos fariseus contemporâneos, mas que um dia conseguirão vislumbrar a Luz da Verdade.
Carinhosamente,
Gabi

quarta-feira, dezembro 06, 2006


“Pelos frutos se conhece a árvore”



Para viver bem...



Observe o que você expressa ao falar.

A palavra antes de alcançar o exterior carrega nosso organismo com as vibrações que a caracterizam.

Comentários alusivos a doenças e negatividade bombardeiam nossas células debilitando a defesa de nosso organismo.

Palavras de desânimo tiram do nosso ser o entusiasmo tão necessário para os embates da vida.

Palavras de ofensa, antes de chegarem ao alvo, envenenam nosso sangue e comprometem nossa saúde.

Mantenha a vida em harmonia.

Considere como fala com o próximo.


Humberto Pazian


Texto extraído do livro Para viver bem... página 154 Editora Petit Autor: Humberto Pazian

domingo, dezembro 03, 2006


SALIVA E SUOR


A tua reação de desespero diante dos problemas é que costuma conferir a eles a gravidade que não têm.

A tua serenidade reduzirá a força de impacto de toda notícia deprimente que te alcance.

A tua aceitação das provas que, direta ou indiretamente, te atingem haverá de lhes amenizar as conseqüências.

A tua atitude de perdão desencorajará o teu agressor.

O teu silêncio impedirá que o mal continue a se propagar através da palavra maledicente.

A tua perseverança no cumprimento do dever incomodará a consciência de teus opositores.

Os teus nobres exemplos sempre argumentarão de maneira irrefutável em teu favor.

Os teus gestos de bondade justificar-te-ão em tuas possíveis fragilidades.

A tua invariável compreensão de todos reivindicará a compreensão dos que se habituaram a condenar os semelhantes.

A tua alegria contagiará os que vivem tristes à tua volta.

O teu entusiasmo repercutirá nos espíritos desalentados e os revitalizará na luta, que consideravam perdida.

Toda a saliva dos que teorizam a teu respeito não vale por uma única gota de suor que vertes em prol do ideal que abraçaste.


Irmão José


Mensagem do livro Dias Melhores :: Psicografia de Carlos A. Bacelli :: Mensagem semanal do grupo Espírita Renascer:: Iguatama/MG
SERES ELEMENTARES...




FADAS


O genial dramaturgo William Shakespeare, em sua obra Hamlet, sentencia que existe sobre a terra mais coisas das que atinge a perceber, a imaginação.

Poderíamos agregar também, que numa percentagem alta o fantástico é invisível aos olhos. A crença na existência das Fadas, é comum às mais diversas culturas, encontrando sua origem nos mitos e legendas de cada uma delas.


Uma das tantas legendas, sustenta que as fadas são anjos caídos ou pagãos mortos que não foram suficientemente bons para entrar no paraíso, nem tão maus para entrar no inferno, ficando obrigados a viver eternamente à metade do caminho.


Outra legenda conta que certa vez, estava Eva, a orlas de um rio, banhando seus filhos, quando escutou que Deus, falava-lhe. Temerosa, Eva ocultou os filhos que todavia não havia banhado, para que Ele não os vissem. Deus, que tudo vê, perguntou-lhe se com ela estavam todos os seus filhos e Eva mentindo, respondeu que sim. Então, Deus lhe advertiu que aqueles que tinha ocultado, ficariam ocultos para sempre aos olhos dos homens e foram essas crianças os que se converteram em fadas ou Elfos

A localização destes seres elementares, foi variável com o correr dos tempos e as culturas.

Para os Irlandeses, existem no horizonte e outras sob seus próprios pés, alguma vezes em terras montanhosas e outras numa ilha mágica no meio do mar, ou debaixo do oceano.


Para outras culturas podem ser encontrados, no ambiente natural, numa planta, numa árvore, na terra, num lago, na brisa, no sol, no perfume das flores em qualquer ambiente natural que nos rodeia. Numa palavra, o ar, o água, a terra e o fogo são os quatro elementos que contêm aos Espíritos Elementares.


A crença em fadas e outros seres mágicos têm suas raízes na noite dos tempos e a recordação desta crença persiste no mas profundo da psique humana. Em toda Europa, o povo e em especial as comunidades rurais, conservou uma grande riqueza de tradições relativas a estes seres que adotam uma grande variedade de formas e que podem ser bons ou maus, prejudiciais ou benéficos.

A relação entre fadas e humanos é muito complexa , de mútua dependência e regidas por uns parametros fora do cotidiano, já que o mundo das fadas tem suas próprias leis, muito distintas das nossas. Algumas destas crenças são tão antigas : existem crônicas medievais de princípios do século XII em que aparecem contos que são exemplos, e em alguns lugares das Ilhas Britânicas, o folclore relativo às fadas é de uma riqueza impressionante e até certo ponto segue ainda viva.


Disponível em: <
http://usuarios.interar.com.ar/josnell/ >

ACHO ESTE GNOMO CORRENDO DO GATO , UMA GRAÇA...



LIBERDADE

Não se prenda à beleza das formas efêmeras.
A flor passa breve.

Não amontoe preciosidades que pesem na balança do mundo.
As correntes de ouro prendem tanto quanto as algemas de bronze.

Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância.
Incitatus, o cavalo de Calígula, podia comer num balde enfeitado de pérolas, mas não deixava, por isso, de ser um cavalo.

Não alimente a avidez da posse.
A casa dos numismatas vive repleta de moedas que serviram a milhões e cujos donos desapareceram.

Não perca sua independência construtiva a troco de considerações humanas.
A armadilha que pune o animal criminoso é igual à que surpreende o canário negligente.

Não acredite no elogio que empresta a você qualidades imaginárias.
Vespas cruéis por vezes se escondem no cálice do lírio.

Não se aflija pela aquisição de vantagens imediatas na experiência terrestre.
Os museus permanecem abarrotados de mantos de reis e de outros "cadáveres de vantagens mortas".

André Luiz

Do Livro Agenda Cristã. Edição de Bolso, 3ª ed., 1999:: Psicografado por Francisco Cândido ::Editora FEB ::Federação Espírita Brasileira.

segunda-feira, novembro 27, 2006


CONSTRUTOR DE CAMINHOS


Caminheiro, não te esqueças
Da verdade que resumo:
Com tuas próprias ações
É que traças o teu rumo.
Repara e verás sem custo,
Por onde já tenhas ido,
Que foste tu que fizeste
O caminho percorrido.

À medida em que prossegues,
A própria inércia vencendo,
Por debaixo dos teus pés
o caminho vai nascendo...

À retaguarda, somente
O teu trajeto restrito
Mas adiante, à tua espera,
O espaço imenso e bendito.

Vigia, pois os teus passos,
Ó construtor de caminhos,
Que ao derredor de teus rastros
Crescem flores ou espinhos!...


Eurícledes Formiga







Toda viagem começa com um passo,
já diz o provérbio.
E, passo a passo,
vamos conquistado o caminho.

Que seus passos sejam
fruto da escolha acertada
e que eles o conduzam,
de maneira firme e serena,
pela estrada que leva à evolução.

Tenha uma semana muito bonita
onde você encontre muitas flores,
cores e aromas embelezando
o seu caminhar.


Mensagem semanal da Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo :: Jacarepaguá/RJ::




domingo, novembro 26, 2006




SINAIS DA VIDA


Faze de cada pedra de tropeço um degrau de tua ascensão;

de cada obstáculo com que te defrontes, um sinal de advertência;

de cada reincidência no mal um alerta para que te mantenha mais vigilante;

de cada deslize, uma lição que se repete para que não olvides a tua própria fragilidade;

de cada desilusão um convite à realidade;

de cada lágrima uma lente com que melhor consigas divisar o caminho;

de cada ofensa uma nova oportunidade de aprender a superar-te;

de cada sofrimento, uma exortação para que te fortaleças na fé;

de cada mágoa recebida um exercício de esquecimento de ti mesmo;

de cada crítica incentivo ao trabalho em que deves te aperfeiçoar;

de cada ingratidão estímulo à prática do bem desinteressado;

de cada sentimento de culpa a valorização da virtude.


Irmão José


Do livro Dias Melhores :: Psicografia de Carlos A. Bacelli::Mensagem do Grupo Espírita Renascer:: Iguatama/MG

segunda-feira, novembro 20, 2006



MENSAGEM DO ESPÍRITO BEZERRA DE MENEZES NO ENCERRAMENTO DA 52ª SEMANA ESPÍRITA DE VITÓRIA DA CONQUISTA, EM 11/09/2005.


Somente o amor, conforme nos ensinou Jesus, poderá conduzir-nos com segurança nos dias em que todos estamos atravessando. Não é necessário que tenhamos uma sensibilidade especial para perceber esse momento de provas e de ásperas expiações. Os clarins da nova era soam anunciando o amanhecer do glorioso dia do futuro.

É natural que as sombras densas predominem na economia social e psíquica da Terra, como herança das ações perpetradas pelo ser humano nos dias do passado. Vós fostes convidados a meditar em torno da palavra de Jesus e estais honrados com o convite para segui-Lo. A convocação do mestre chega-vos aos refolhos da alma suplicando-vos paz e compaixão. Não vos permitais o desequilíbrio que se encontra em toda parte. Preservai a harmonia interior, mesmo quando convocados à luta redentora.

Espíritas, meus filhos da alma, o Senhor não espera realizações grandiosas de vós outros, mas Ele conta com a parcela da vossa compreensão e misericórdia em relação ao vosso próximo. O genitor difícil e irresponsável e a mãezinha desajustada e agressiva são a doce pedagogia da vida ensinando misericórdia à prole, compaixão para enfrentar a agressividade do mundo exterior. O filho rebelde e doente, o toxicômano alucinado apresentando as escalas do desespero da alma, a filhinha vulgar e insensata, são convites ao amor. Amar aqueles que são mais infelizes constitui o grande desafio da vida nesse momento grave. A psicosfera terrestre apresenta-se assinalada pelos tóxicos do horror. A dor galvaniza em toda parte a multidão dos aflitos que perambula aturdida; o número é incontável dos que perderam o endereço de Deus. A violência, sob qualquer aspecto considerado, prossegue dominando mentes e corações.

Tende paz, preservai-a em vosso mundo íntimo, logrando a alegria de viver, agradecendo a Deus a oportunidade de conduzir-vos à luz da esperança, no meio da escuridão e do desespero.

Não revideis mal por mal; não vos permitais cobrança por dívida, exigência por exigência. Tende compaixão. Com um pouco de compaixão e de misericórdia vereis o amor expandir-se em relação à multidão dos desassisados e infelizes. A vida é rica de problemas engendrados pela própria criatura humana.

Jesus deu-nos o Evangelho como solução. Adulterado e menosprezado foi transformado em arma de extermínio, e o compadecido Amigo não amado oferece-nos o Espiritismo, permitindo que ele e os seus nobres mensageiros, como estrelas, tombem sobre a Terra iluminando o mundo.

Exultai! Cantai hosanas ao amor e amai até o momento em que possais dizer: já não sou eu quem vivo, mas é o amor que vive em mim.

Muita paz meus queridos! Ide em paz!

Não vos esqueçais destes dias, do que ouvistes, de tudo o quanto participastes. Não substituais as lembranças pelos banquetes da frivolidade, que apagam da memória os acontecimentos nobres.

Nós outros, os espíritos espíritas, vossos amigos, estaremos convosco. Tornai-vos dúcteis à nossa voz, tornai-vos maleáveis à comunhão conosco.

Que o Senhor de bênçãos vos abençoe.

São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre, Bezerra.

Muita paz!

Bezerra de Menezes

domingo, novembro 19, 2006


NÃO CAIRÁS



Se perseverares no trabalho no bem, o trabalho no bem te garantirá o equilíbrio.

Se não desistires da fé sob o implacável guante da tentação...

Se não te afastares dos compromissos, por mais que eles te imponham sacrifício...

Se não abandonares o fardo à margem, por mais que te custe transportá-lo aos ombros...

Se não te subornares em tua dignidade, cedendo às facilidades com que o mundo te acene...

Se no clima de acerbas provações, não te rebelares contra os Sábios Desígnios da Providência...

Se não permaneceres de braços cruzados, na expectativa da intervenção do Alto na solução de teus problemas...

Se não desacreditares do poder da oração, mesmo quando o socorro que implorares parece tardar...

Se não te deixares fragilizar pelas decepções sucessivas que experimentes em relação aos outros...

Se não esperares dos companheiros além do que seja justo esperar de alguém com as limitações que te são próprias...

Se não procurares qualquer espécie de evidência pessoal na tarefa que abraçaste...

Sem dúvida que, na jornada que empreendas na direção da luz, te sentirás muitas vezes renteando o abismo mas não cairás.


Irmão José


::Do livro Dias Melhores ::Psicografia de Carlos A. Bacelli::Mensagem semanal do Grupo Espírita Renascer:: Iguatama/MG::

sexta-feira, novembro 17, 2006




PLANTA O BEM

Na verdade e na justiça
Que a lei de Jesus encerra,
Receberemos de acordo
Com os nossos atos na Terra.

As ações do bem que fazes
E as ações do mal, em suma,
São sementes: serão árvores
Frutificando uma a uma.

Evita os males do mundo
Que dão árvores de espinho.
Planta o bem e terás frutos
De amor e paz no caminho.

Sobretudo não te esqueças,
Se não podes dar vintém,
Que não praticar o mal
É já fazer grande bem.

Casimiro Cunha





Quem planta com o coração
colhe incontáveis bênçãos.


Que nesta semana você se dedique
ao cultivo das flores do amor,
da simpatia, do carinho,
da solidariedade, da paz,
da harmonia, da sabedoria.


E que todas as sementes
dêem flores multi-coloridas,
que transformarão em pura beleza
os jardins da sua alma.


Que o plantio seja generoso
e a colheita, abundante.


Tenha uma semana repleta de alegrias.


segunda-feira, novembro 13, 2006

O antídoto do medo é a fé



Para viver bem...


Não tenha medo.

Provavelmente, aquilo que você teme jamais acontecerá.

Quantas vezes em sua vida houve momentos de angústia e ansiedade
por preocupar-se com insucessos que não ocorreram?

Esquecemos facilmente desses momentos e nos angustiamos,
freqüentemente, sem motivos.

O antídoto do medo é a fé.

Use-a, acredite que com a ajuda de Deus
você terá êxito em todos os seus empreendimentos.

Acredite nisso, esqueça o medo, pois você já o venceu.


Humberto Pazian


::Texto extraído do livro Para viver bem... página 148Editora PetitAutor: Humberto Pazian ::Mensagem do Grupo Espírita Fraternidade de Assis/SP::




domingo, novembro 12, 2006


NÃO TEM LIMITE


Não frustres a expectativa de quem procura em ti o socorro de que necessita.

Não te digas impossibilitado de auxiliar.

Ainda que não possas atender integralmente as reivindicações que te são endereçadas,
não permitas que ninguém se retire de mãos vazias de tua presença.

Improvisa algo em favor da penúria que, em ti, busca o amparo da Divina Providência.

Imagina-te na condição de último reduto para a esperança de muita gente.

Como te sentirias, após teres batido inutilmente à porta de quem contavas por derradeiro?

Que te custa uma palavra de ânimo aos desencorajados?

Que diferença farão em teu bolso algumas moedas a menos?

Advoga a causa dos sofredores, para que, diante das Leis que regem os princípios da Vida, encontres quem se disponha a advogar a tua.

Esforça-te para não dizer "não", a quem recorra aos teus préstimos.

Não te justifiques em tua omissão ou indiferença, ante a carência dos outros.

Se já auxiliaste, uma ou mais de uma vez, a quem se habituou a valer-se de tua generosidade, recorda que a verdadeira caridade não tem limite.



Irmão José


Do livro Dias Melhores :: Psicografia de Carlos A. Bacelli :: mensagem semanal do GRupo Espírita Renascer:: Iguatama/MG::

quarta-feira, novembro 08, 2006





"Se você pode fazer alguma coisa ou pensa que pode, comece.
A ousadia contém força, coragem e magia."

Goethe

terça-feira, novembro 07, 2006


SERVIDOR DE DEUS



Em qualquer atividade que exerças,
considera-te servidor de Deus.
Por mais humilde seja a tua profissão,
ela é por demais valiosa
no conjunto social em que te encontras.
Cumpre com os teus deveres com alegria
consciente do seu significado,
do valor que eles têm e de quanto
são importantes para a comunidade.
Ilhas imensas surgem nos mares,
construídas por humildes ostras.
Desertos colossais resultam de
pequenos grãos de areia que se acumulam.
Oceanos volumosos são nada mais
do que gotinhas nágua.
A tua parcela no mundo
é de grande relevância.
Portanto,
trabalha com disposição e nobreza.
Joanna de Ângelis



Muitas vezes deixamos de agir no bem
porque ficamos aguardando aquela oportunidade ímpar,
aquela condição espetacular,
aquela situação especial onde realmente
poderíamos contribuir com uma parcela
por nós considerada significativa.
No entanto, são as pequenas ações,
os gestos simples, mas carregados
de amor e boa vontade,
que efetivamente contribuem
e promovem a mudança.
De grão em grão é que
modificamos o nossos hábitos
e de passo em passo é que
caminhamos na estrada evolutiva.
Assim sendo, sempre está ao nosso alcance
contribuir para que o mundo,
este mundo que é nosso, também,
se transforme num lugar melhor.
Somos partículas do universo
Mas juntos, consiguiremos sanear e
fazer brilhar todo o nosso planeta.
Que nesta semana, e por todas as demais,
você seja luz a brilhar e envolver de amor e paz
todos que estão ao redor.

Mensagem da semana da Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo :: RJ