Pachelbel - Canon In D Major

terça-feira, março 31, 2015

Página de Bom Ânimo - André Luiz





Página de Bom Ânimo

André Luiz



Jesus é o escultor divino de nossa individualidade eterna.


Com o martelo da dificuldade modifica o bloco da ignorância em que jazem nossas possibilidades de sublimação; com o cinzel do sofrimento estrutura-nos os mais altos destinos.


Saibamos interpretar obstáculos, inibições dores e provas, dissabores e lágrimas, por benditos desafios ao nosso próprio burilamento.


A Terra é a nossa escola.


A luta é o nosso caminho.


O trabalho é a nossa lição.


A experiência é o valor que adquirimos.


O amor é a nossa bússola n infinito de recursos em que se nos movimenta o aprendizado.


A morte ser-nos-á sempre o juiz imperturbável.


E sobretudo, não nos esqueçamos de que sendo o evangelho o roteiro que abraçamos, o Cristo é invariavelmente o nosso Mestre.


Aceitemos, desse modo, a obrigação de fazer o melhor que pudermos cada dia e procurando Jesus em nosso pensamentos, palavras e ações, estejamos convencidos de que Jesus nos encontrará para alçarmos enfim a suprema paz da suprema alegria!!





XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito André Luiz.

segunda-feira, março 30, 2015

Desejos- André Luiz







Desejos


André Luiz



Desejo é realização antecipada.


Querendo, mentalizamos; mentalizando, agimos; agindo, atraímos; e atraindo, realizamos.


Como você pensa, você crê, e como você crê, será.


Cada um tem hoje o que desejou ontem e terá amanhã o que deseja hoje.


Campo de desejo, no terreno do espírito, é semelhante ao campo de cultura na gleba do mundo, na qual cada lavrador é livre na sementeira e responsável na colheita.


O tempo que o malfeitor gastou para agir em oposição à Lei, é igual ao tempo que o santo despendeu para trabalhar sublimando a vida.


Todo desejo, na essência, é uma entidade tomando a forma correspondente.


A vida é sempre o resultado de nossa própria escolha.


O pensamento é vivo e depois de agir sobre o objetivo a que se endereça, reage sobre a criatura que o emitiu, tanto em relação ao bem quanto ao mal.


A sentença de Jesus: "procura e acharás" equivale a dizer: "encontrarás o que desejas".




XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito André Luiz.  Sinal Verde, cap. 24 , edição CEC.

domingo, março 29, 2015

Renovação de Ânimo - Momento Espírita






Renovação de Ânimo



 O desânimo é inimigo sutil do ser humano. Instala-se a pouco e pouco, terminando por vencer as resistências morais, que se sentem desestimuladas por falta de suporte emocional para a luta.


São várias as causas do desânimo. 


Pode ser resultante de uma enfermidade orgânica, que gera perda de energia, por consequência, de entusiasmo pela vida.


Pode resultar de estresse decorrente de agitação ou de tensões continuadas. Também por frustrações profundas, que deixam n’alma um grande vazio.


Contudo, seja qual for a causa, o importante é não se deixar envolver pelo desânimo, desalentador e destruidor de vidas.


Se a causa é a enfermidade, o estresse ou a frustração, há que se buscar a terapia conveniente.


Por vezes, um pequeno estímulo, um alento é suficiente para se sair de um estado de desânimo para o de entusiasmo.


Um ilustre juiz contou, certa vez, um episódio que transformou toda a sua vida. 


Aos dezesseis anos de idade, viu-se obrigado a deixar a escola e a se empregar como varredor numa fábrica.


Quando veio a crise econômica da década de 1930, numa tarde cinzenta, na véspera de Natal, ele foi despedido, junto com centenas de outros empregados.


Quando saiu para a rua, ao final do turno de trabalho, foi seguindo no meio de uma fila silenciosa e sombria de operários.


Embora adolescente, ele se sentia envelhecido num mundo sem esperanças.


À sua frente, caminhava um homem magro e mal vestido. Aquele homem também fora despedido. 


Mas ia assobiando pelo caminho.


O rapaz se aproximou dele e perguntou:


O que você vai fazer agora?


E o desconhecido respondeu com naturalidade:


Acho que vou para a África. 

Lá, rapaz, as estrelas sobre o deserto são do tamanho de ameixas. 


Ou talvez eu vá para o Rio de Janeiro. 


As luzes ali sobem sem parar da praia até o céu.


O mundo é bem grande, rapaz, e o que há nele dá de sobra para fazer qualquer homem feliz, desde que não tenha medo de ir aonde a cabeça e o coração o levarem.


Para o adolescente, aquelas palavras tiveram um grande efeito. 


Foi como se tivesse sido aberta uma janela na parede de uma prisão e ele pudesse ver através de milhões de quilômetros.


Foi para casa com a cabeça cheia de planos. 


Se aquele homem, bem mais maduro do que ele, tinha forças para tecer planos para o futuro, ele, adolescente, deveria ter muito mais.


E, pensando assim, na semana seguinte não somente conseguiu encontrar um meio de se manter, como se matriculou numa escola noturna, perseguindo o seu sonho que viria se tornar realidade: formar-se em Direito e seguir a carreira da magistratura. 


Ser juiz.


*   *   *


Nunca será demais insistir que a oração é arma poderosa para o combate ao desânimo. 


Ela favorece a canalização de energias superiores, que vertem da Divindade em direção ao indivíduo que se encontra em atitude receptiva.


Com a prece, a criatura vai sentindo momentos de bem-estar e euforia. 


São momentos rápidos, mas que pela constância, vão se fixando na criatura, até se tornarem habituais, preenchendo o vazio interior.


O hábito da oração sincera restitui a alegria de viver, oferecendo ao ser metas saudáveis e renovadoras, que o enriquecem de paz interior.




Redação do Momento Espírita, com base no cap. Relógio marcando dez horas,
do livro Remotos cânticos de Belém, de Wallace Leal Rodrigues, ed. O clarim e do item Cansaço e desânimo, do cap. A busca, do livro O despertar do Espírito, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de  Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 7, ed. FEP. Disponível em www.momento.com.br

sábado, março 28, 2015

Auto Encontro - Joanna de Ângelis





Auto Encontro

Joanna de Ângelis


A ansiosa busca de afirmação da personalidade leva o indivíduo, não raro, a encetar esforços em favor das conquistas externas, que o deixam frustrado, normalmente insatisfeito.


Transfere-se, então, de uma para outra necessidade que se lhe torna meta prioritária, e, ao ser conseguida, novo desinteresse o domina, deixando-o aturdido.


A sucessão de transferências termina por exauri-lo, ferindo-lhe os interesses reais que ficam á margem.


Realmente, a existência física é uma proposta oportuna para a aquisição de valores que contribuem para a paz e a realização do ser inteligente.


Isto, porém, somente será possível quando o centro de interesse não se desviar do tema central, que é a evolução.


Para ser conseguida, faz-se imprescindível uma avaliação de conteúdos, a fim de saber-se o que realmente é transitório e o que é de largo curso e duração.


Essa demorada reflexão selecionará os objetivos reais dos aparentes, ensejando a escolha daqueles que possuem as respostas e os recursos plenificadores.


Hoje, mais do que antes essa decisão se faz urgente, por motivos óbvios, pois que, enquanto escasseiam o equilíbrio individual e coletivo, a saúde e a felicidade, multiplicam-se os desaires e as angústias ceifando os ideais de enobrecimento humano.Se de fato andas pela conquista da felicidade, tenta o auto-encontro.


Utilizando-te da meditação prolongada, penetrar-te-ás, descobrindo o teu ser real, imortal, que aguarda ensejo de desdobramento e realização.


Certamente, os primeiros tentames não te concederão resultados apreciáveis.Perceberás que a fixação da mente na interiorização será interrompida, inúmeras vezes, pelas distrações habituais do intelecto e da falta de harmonia.


Desacostumado a uma imersão, a tua tentativa se fará prejudicada pela irrupção das idéias arquivadas no inconsciente, determinantes de tua conduta inquieta, irregular, conflitiva.


Concordamos que a criatura é conduzida, na maior parte das vezes, pelo inconsciente, que lhe dita o pensamento e as ações, como resultado normal das próprias construções mentais anteriores.


A mudança de hábito necessita de novo condicionamento, a fim de mergulhares nesse oceano tumultuado, atingindo-lhe o limite que concede acesso às praias da harmonia, do autodescobrimento, da realização interior.


Nessa façanha verás o desmoronar de muitas e vazias ambições, que cultivas por ignorância ou má educação; o soçobrar de inúmeros engodos; o desaparecer de incontáveis conflitos que te aturdem e devastam.


Amadurecerás lentamente e te acalmarás, não te deixando mais abater pelo desânimo, nem exaltar pelo entusiasmo dos outros.


Ficarás imune à tentação do orgulho e à pedrada da inveja, à incompreensão gratuita e à inimizade perseguidora, porque somente darás atenção à necessidade de valorização do ser profundo e indestrutível que és.


Terminarás por te venceres, e essa será a tua mais admirável vitória.


Não cesses, portanto, logo comeces a busca interior, de dar-lhe prosseguimento se as dificuldades e distrações do ego se te apresentarem perturbadoras.



Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos Enriquecedores. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Salvador, BA: LEAL. 1994.

sexta-feira, março 27, 2015

A Reivindicação - Hilário Silva






A Reivindicação

Hilário Silva



Há muito aspirava Saturnino Peixoto ao interesse de algum homem público para favorecê-lo na abertura de certa estrada.


Para isso, conversou, estudou, argumentou...


Concluiu, por fim que a pessoa indicada seria o deputado Otaviano, recém-eleito, homem ao qual se referiam todos da melhor maneira, pela atenção e carinho com que se dedicava à solução dos problemas da extensa região que representava.


Depois de ouvir o escrivão da cidade, Saturnino redigiu longa carta-memorial, minudenciando a reivindicação. E ficou aguardando a resposta.


Correram dias, semanas, meses. Nenhum aviso.


Revoltado, Saturnino começou a exprobrar a conduta política do deputado que nem sequer lhe respondera à carta.


Sempre que se lembrava do assunto, criticava o político, censurando-o asperamente, a envolver todos os homens públicos em condenação desabrida.


Nada valiam ponderações da companheira, Dona Estefânia, espírita convicta, que lhe pedia perdoar e esquecer.


Transcorreram três anos, até que a solicitação caducou.


Saturnino, obrigado a desistir da ideia, guardou, contudo, profundo ressentimento do legislador que terminava o mandato.


Certo dia, porém, revolvia os guardados de velha prateleira no escritório, quando encontrou, surpreendido, entre livros e papéis relegados à traça, o memorial que escrevera ao deputado, dentro de envelope sobrescritado, selado e recoberto de pó.


Saturnino se esquecera de enviar a carta...




XAVIER, Francisco Cândido; VIEIRA, Waldo pelo Espírito  Hilário Silva. Frases e mensagens Espíritas.

quinta-feira, março 26, 2015

Fascinação Amorosa - Richard Simonetti









Fascinação Amorosa



Richard Simonetti


Só pensava nela. Cérebro em circuito fechado. A jovem namorada, de estonteante beleza, ocupava-lhe todos os espaços mentais. Última lembrança ao dormir. A primeira, ao despertar.



Levantava-se com ela, passava o dia pensando nela, por ela suspirava... Em seus devaneios imaginava-se a retê-la em seus braços, aspirando seu perfume, cobrindo-a de carícias, fundindo-se ambos em ardentes abraços.


Às vezes desligava-se. Eram momentos fugidios, como breves intervalos separando músicas num disco. Logo recuperava-lhe a imagem, assustado como quem houvesse sofrido a perda da respiração por momentos.


Contava os dias e as horas que os separavam. A seu lado pedia a Deus que parasse o relógio do tempo, a fim de que pudesse desfrutar indefinidamente a ventura de sua presença.


Sempre acontecia o inverso: Juntos, as horas ganhavam asas. Separados, fluíam com a lentidão das tartarugas.


Com incontáveis variações, encontramos na literatura universal envolvimentos passionais semelhantes. Um paraíso, quando tudo corre bem. Um inferno, se surgem problemas. Semelhantes experiências situam-se nos domínios da fascinação quando, a partir da atração física, instala-se o desejo irrefreável de comunhão carnal, em paroxismos passionais.
George Bernard Shaw, teatrólogo inglês, dizia, referindo-se ao casamento, que um dos paradoxos da sociedade humana é que pessoas apaixonadas são obrigadas a jurar que continuarão naquele estado excitado, anormal e tresloucado até que a morte as separe.


Muitas uniões efêmeras ocorrem a partir de envolvimentos passionais, principalmente entre jovens, empolgados por recíproca fascinação, quando se rendem ao domínio dos hormônios.


Justamente por inspirar-se nos instintos, a fascinação amorosa é a mais freqüente, responsável por casamentos precipitados, adultérios, separações, crimes e tragédias sem fim.


Proclama a sabedoria popular que a paixão é cega, o que exprime uma realidade. Paixão e bom senso raramente seguem juntos.


Por isso os Espíritos obsessores estimam envolver as pessoas passionais, torturando-as com anseios amorosos irrealizáveis ou usando-as para exercer sua ação nefasta, criando estranhas e perigosas situações.





SIMONETTI, Richard . FEAL . Disponível em www.feal.com.br.

quarta-feira, março 25, 2015

Não Jogue Pela Janela - Cenyra Pinto





Não Jogue Pela Janela


Cenyra Pinto





Não jogue pela janela, como traste inútil, tudo de bom e belo que você recebeu de alguém, só porque esse alguém lhe ofereceu, uma vez, algo que lhe desagradou.




Valorize o que é bom e não seja ingrato, desprezando o que já lhe causou agrado, apenas por uma pequena coisa que lhe entristeceu.




Aprenda a aceitar a fraqueza humana como natural, porque certamente você também comete faltas.




Se você esquece e apaga tudo de bom que recebeu e que nunca lhe tocou a insensibilidade, a ponto de ser grato; se por um acontecimento que lhe desagradou, enraiveceu-se tanto, a ponto de maltratar a quem já lhe deu tantas provas de amizade, está provado que a sua capacidade de amar e reconhecer a bondade é muito pequena ante a força que tem de se ressentir.




Aprenda a valorizar as coisas boas e mantê-las vivas na sua mente, não as apagando só porque o portador dessas coisas boas, num momento de invigilância, lhe desagradou.




A criatura humana é, por vezes, portadora de uma incumbência desagradável como a de testar seus companheiros de luta terrena, o que faz, quase sempre inconscientemente, sem sequer pensar que está executando uma tarefa.




E, assim, quando cai em si e vê que fez algo que a sua consciência condena, decepciona-se consigo mesmo e se entristece.




A vida é assim mesmo. Uns testando os outros, até que a sensibilidade se equilibre e não haja mais necessidade desses exercícios.




Acorde, meu irmão.




Quando você receber o que lhe desagrada, pense que foi você o instrumento de provocação. Lembre-se de que todos nós somos falíveis.




Não jogue pela janela momentos tão bons, tão belos, por um pequeno desencontro.




Não guarde mágoas.




Procure apagar tudo que enfeia a sua trajetória terrena e procure orná-la com flores de compreensão e do amor.



PINTO, Cenyra . “...A Verdade e a Vida”.

terça-feira, março 24, 2015

Prece Irlandesa - Autor Desconhecido







Prece Irlandesa



Que a estrada se abra à sua frente,

Que o vento sopre levemente em suas costas,

Que o sol brilhe morno e suave em sua face,

Que a chuva caia de mansinho em seus campos,

E, até que nos encontremos, de novo...

Que Deus lhe guarde nas palmas de Suas mãos!

segunda-feira, março 23, 2015

Repare se seus comentários serão úteis a alguém - Humberto Pazian







Repare se seus comentários serão úteis a alguém

Humberto Pazian



Para viver bem...


Procure não criticar.


Só dê sua opinião se for solicitada e, mesmo assim, seja ponderado na sua crítica.


Com o intento de auxiliar, muitas vezes, farpas cruéis são colocadas nos caminhos dos outros.


Há muitas maneiras de dizer uma mesma verdade e ainda com inflexões de voz que caminham desde um tom paternal até uma doce reprimenda.


Tudo é uma questão de hábito e, por isso, você pode começar desde já a observar mais e falar menos.


Se ainda não observou, saiba que sempre há um lado bom em tudo e em todos.




PAZIAN, Humberto. Para viver Bem... Página 32 SP:Petit.

domingo, março 22, 2015

Ação da Amizade - Joanna de Ângelis






Ação da Amizade


Joanna de Ângelis


A amizade é o sentimento que imanta as almas unas às outras, gerando alegria e bem-estar.


A amizade é suave expressão do ser humano que necessita intercambiar as forças da emoção sob os estímulos do entendimento fraternal. Inspiradora de coragem e de abnegação.


A amizade enfloresce as almas, abençoando-as com resistências para as lutas.


Há, no mundo moderno, muita falta de amizade!


O egoísmo afasta as pessoas e as isola.


A amizade as aproxima e irmana.


O medo agride as almas e infelicita.


A amizade apazigua e alegra os indivíduos.


A desconfiança desarmoniza as vidas e a amizade equilibra as mentes, dulcificando os corações.


Na área dos amores de profundidade, a presença da amizade é fundamental.


Ela nasce de uma expressão de simpatia, e firma-se com as raízes do afeto seguro, fincadas nas terras da alma.


Quando outras emoções se estiolam no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada dos homens que se estimam.


Se a amizade fugisse da Terra, a vida espiritual dos seres se esfacelaria.


Ela é meiga e paciente, vigilante e ativa.


Discreta, apaga-se, para que brilhe aquele a quem se afeiçoa.


Sustenta na fraqueza e liberta nos momentos de dor.


A amizade é fácil de ser vitalizada.


Cultivá-la, constitui um dever de todo aquele que pensa e aspira, porquanto, ninguém logra êxito, se avança com aridez na alam ou indiferente ao elevo da sua fluidez.


Quando os impulsos sexuais do amor, nos nubentes, passam, a amizade fica.


Quando a desilusão apaga o fogo dos desejos nos grandes romances, se existe amizade, não se rompem os liames da união.


A amizade de Jesus pelos discípulos e pelas multidões dá-nos, até hoje, a dimensão do que é o amor na sua essência mais pura, demonstrando que ela é o passo inicial para essa conquista superior que é meta de todas as vidas e mandamento maior da Lei Divina.



FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis.Momentos de Esperança . Salvador, BA: LEAL. Cap. 9.






sábado, março 21, 2015

A História da Águia - Autor Desconhecido






A História da Águia



A águia é a ave que possui maior longevidade da espécie. 


Chega a viver setenta anos.


Mas para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão. 


Aos quarenta ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. 


O bico alongado e pontiagudo se curva. 


Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!


Então a águia só tem duas alternativas: Morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar cento e cinquenta dias.


Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. 


Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.


Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. 


Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. 


E só cinco meses depois sai o formoso vôo de renovação e para viver então mais trinta anos.


Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação. 


Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, velhos hábitos que nos causam dor.


Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz.



***

Considerações


Este texto deve ser lido como uma fábula e  não como fonte de informação científica, tendo em vista que segundo alguns ornitólogos, o processo de automutilação é raro, ocorrendo apenas em casos de aves que são levadas ao cativeiro e também devido ao stress excessivo, que quando não devidamente tratado, poderá levá-las a morte .

*

Não podemos desconsiderar os ensinamentos contidos na tão conhecida fábula de Esopo  “A cigarra e a formiga”,   que embalou nossos sonhos infantis e persistem até hoje em nossa memória.


*

A história de renovação da águia é uma lenda, mas seu símbolo tornou-se referência e suas histórias são utilizadas em RH, é símbolo dos USA, entre outras analogias. 

*

Somos seres humanos racionais, porém capazes de alçar vôos cada vez mais altos, vencer desafios, renovar, quebrar paradigmas…

*

“A Águia com seu perfil austero, olhar focado para frente, sem deixar de ver o que está ao seu lado, atinge sempre seus objetivos e metas”.










Um lindo vídeo motivacional para permear nossos dias em busca da vitória sobre nossas limitações, em busca do nosso crescimento espiritual.


Que possamos  deixar a nossa águia íntima nascer a cada dia ...