Pachelbel - Canon In D Major

domingo, fevereiro 25, 2007


Acredite, a abundância é um direito de todos
Para viver bem...
Não fique guardando dinheiro para uma eventual desgraça no futuro.
Muitas pessoas chegam até a passar necessidades para poupar uma quantia esperando que no futuro, num momento qualquer, poderão necessitar dela.
Poupar é útil é correto, mas a forma de poupar é que tem de ser analisada.
Viva da melhor forma possível, com tudo a quem tem direito e pense que Deus sempre vai lhe dar o necessário.
Acredite nisso e aguarde só a prosperidade em sua vida.
Humberto Pazian
Mensagem da Fraternidade de Assis:: SP :: página 174Editora PetitAutor: Humberto Pazian

quarta-feira, fevereiro 21, 2007



CUIDANDO DA SAÚDE

Insiste na preservação
da tua saúde.

Muitas enfermidades
têm origem
no temperamento desajustado,
nas emoções em desalinho,
em influências
espirituais negativas...

A ansiedade, o medo,
o pessimismo, a ira, o ciúme,
o ódio são responsáveis
por males que ainda
não se encontram catalogados,
prejudicando a saúde física,
emocional e mental.

Esforça-te por
permanecer em paz,
cultivando os pensamentos bons,
que te propiciarão
inestimáveis benefícios.

Conforme preferires mentalmente,
assim te será a existência.

Joanna de Ângelis



É fato...
O que pensamos é energia
a envolver-nos e
a atuar diretamente
sobre nosso corpo físico.

Bons pensamentos nos tornam saudáveis e criam,
em torno de nós,
uma aura de beleza.

Pois que você consiga
educar seus pensamentos
e que eles possam se transformar
em dínamo a emitir e captar
muita energia de paz e amor.

Que sua semana seja super gostosa, regada a pensamentos de alegria,
amor, harmonia e paz... muita paz.

Mensagem semanal da Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo::RJ

domingo, fevereiro 18, 2007



ESTRESSE E ESPIRITUALIDADE

Marlene Rossi Severino Nobre

Para o grande público, estresse é uma situação psicologicamente agressiva que repercute no corpo.
Este, porém, é apenas um dos aspectos do estresse, a sua versão psicossomática, há outros, porém, a serem considerados. Na verdade, o ser humano vive em estado de estresse permanente, bombardeado por fatores estressantes diversos - físicos, psico-emocionais, e espirituais - que lhe exigem constante adaptação ao mundo que o cerca.

Os fatores estressantes emocionais tanto podem ser tristes, como a morte de um ente querido, o desemprego, quanto felizes, como o sucesso do atleta ou as alegrias do reencontro - todos desencadeiam, do mesmo modo, os mecanismos e as conseqüências do estresse.
O mesmo acontece em relação aos abalos nervosos, como no estado de cólera, medo, etc., assim como frente aos fenômenos físicos nocivos -frio, calor, fadiga, agentes tóxicos ou infecciosos, jejum, exercícios físicos exagerados, etc.
Na verdade, o estresse é a resposta não específica que o corpo dá a toda demanda que lhe é feita. Ele corresponde à interação entre uma força e a resistência do organismo a esta força.
É o complexo agressão-reação. Se a agressão é ocasionada por uma grande diversidade de fatores, a reação comporta uma parte idêntica, comum a todos os indivíduos, e uma parte própria de cada um, denominada "coping" ou aspecto específico da reação não específica.
A medicina hoje considera a doença como sendo a resultante da agressão mais a reação não específica, mais reação específica. Isto pode ser resumido em estresse mais coping.
Desse modo, considera-se a originalidade própria das reações específicas ao agente estressor, superpostas às reações não específicas do estresse, criando a diversidade dos aspectos clínicos.
Em 1936, Hans Selye, descobridor do estresse, publicou os seus primeiros trabalhos sobre o assunto.
Em 1950, descreveu a Síndrome Geral de Adaptação - Reação de Alarme, estágio de Resistência e de Exaustão - com seus aspectos bioquímicos e endócrinos, mostrando qual a reação não específica do organismo às agressões do mundo exterior. Para ele, a intensidade da demanda, a duração e a repetição determinam à resposta.
E condiciona o bom ou o mau estresse à eficiência ou não da fase de adaptação. Para Selye, todo indivíduo tem um capital de energia biológica diferente e pode consumir suas reservas conforme tenha maus estresses.
Na reação de alarme, a primeira resposta do organismo ao estresse, entra em ação o sistema hipotálamo-simpático-adrenérgico que prepara o organismo para a luta ou fuga. Entram em jogo a adrenalina e a noradrenalina, com isso, há muita produção de glicogênio, taquicardia, respiração acelerada, concentração do sangue nos vasos principais e nos músculos estriados, inibição dos sistemas digestivo, sexual e imunológico.
Depois disso, outro sistema vai entrar em jogo, o hipotálamo - hipófiso-suprarrenal com produção de ACTH e corticóides.Esses sistemas entram em funcionamento na fase de reação e o organismo pode sofrer esgotamento ou entrar na fase de exaustão, tendo como resultado final doença e morte. São inúmeras as doenças de adaptação, entre elas, hipertensão, úlcera, hemorróidas, ataques cardíacos, acidente vascular cerebral, diabetes, enxaqueca, etc.
Hoje, como avanço dos estudos, considera-se o sistema limbo-hipotálamo-hipófiso-suprarrenaliano (LHHS). Através do hipotálamo na zona parvocelular mediana do núcleo paraventricular (NPV), são liberados o CRF, o Fator de liberação corticotrófico (Corticotrophin Releasing Factor) e a Argenina Vasopressina (AVP) - que determinam a liberação de ACTH pela hipófise e esta o cortisol pela suprarrenal.

Com vemos, o estresse está ligado ao centro das emoções no hipotálamo, assim é importante o estudo de fatores como o medo, a raiva, etc, nos seus mecanismos e reações. Assim, quando o indivíduo sente raiva, por exemplo, é como se ele estivesse diante de um predador, de um perigo iminente e isto desencadeia a reação.
Como vimos, cada indivíduo tem uma reação específica frente ao estresse. Ele coloca suas estratégias de ajuste cognitivas e comportamentais, o "coping", para fazer face aos agentes estressores.As pesquisas têm demonstrado que doenças como depressão estão absolutamente ligadas ao estresse. Investigação ampla, realizada em 52 países, da qual participou o dr. Alvaro Avezum, do Brasil, acerca dos fatores de risco da doença cardíaca, demonstrou que os psico-sociais entram em mais de 30% dos casos.
O estresse é o campo da medicina que reunifica corpo e alma. O seu estudo está, portanto, intimamente ligado à espiritualidade.Segundo as lições espirituais dadas em 1947, no livro
No Mundo Maior, o nosso cérebro tem três áreas distintas: a inicial, onde habita o automatismo e que está no plano subconsciente, a do córtex motor que engloba as conquistas do hoje e está na área do consciente e a dos lobos frontais que representam o ideal e a meta superiores e estão vinculados ao superconsciente. Esta classificação encontra respaldo no livro de Paul Maclean, de 1968, The Triune Brain in Evolution, que nos fala acerca dessas três regiões, afirmando que vemos o mundo através de três cérebros distintos.
Aprendemos também com os Instrutores Espirituais que somos seres em evolução. Quanto mais perto nos encontramos da animalidade mais agimos com instintos e sensações. Com o passar do tempo, e a evolução espiritual conseqüente, passamos a ter sentimentos, sendo o amor, o mais sublimado deles.Se estamos escravizados aos instintos, a maneira pela qual fazemos face aos fatores estressantes é muito primitiva e resulta quase sempre em um mau estresse.
Aprendemos também que é preciso humildade para vencer a animalidade inferior. Infelizmente, porém, em nossas relações em sociedade e no lar estamos muito longe desse sentimento sublime que está intimamente ligado ao amor.
Assim, a fé é importante porque abre as portas do coração para sentir e viver o amor divino em nossas vidas. Através da oração, da meditação, da compreensão do valor da dor, temos a possibilidade de conhecermo-nos a nós mesmos e a reagirmos de forma mais equilibrada às tensões da existência humana. Compreendemos, igualmente, que é preciso treino para o perdão e para eliminação da raiva, da inveja, da mágoa e de outros sentimentos negativos.
A nossa busca da paz para viver no lar, no ambiente de trabalho, dentro da sociedade tem de ser centralizada em Jesus, o Médico da Almas, que afirmou ter a paz verdadeira para nos oferecer. Chico Xavier disse com muita sabedoria: "A paz em nós não resulta de circunstâncias externas e sim da nossa tranqüilidade de consciência no dever cumprido."
Para vencer positivamente o estresse é preciso guardar a paz, tê-la como patrimônio. E esta pacificação interior que é responsável pelo sucesso do "Coping", só será uma conquista definitiva quando houver harmonia entre os três cérebros. Para isso, no entanto, é imprescindível não esquecer que é preciso fé em Deus e obediência às Suas Leis.
Dra. Marlene Nobre é presidente da Associação Médico Espírita do Brasil e Internacional
Texto do blog da Graça/PE

sábado, fevereiro 17, 2007








QUANDO EU MORRER




Vez ou outra acontece. Lembramos que um dia abandonaremos o corpo de carne e partiremos para outra realidade.


É nesses momentos que recordamos de elaborar testamento, repartindo o que vamos deixar, entre aqueles que ficarão.


As vontades assim expressas, quase sempre criam disputas familiares, que chegam a se prolongar por anos.


Quanto maiores forem as posses daquele que se foi, a tendência é aumentar a disputa se, entre os contemplados, não existe entendimento, afeto.


Houve um homem, no entanto, que pensando em sua morte, elaborou vontades muito precisas.


Pensou em seu funeral e o que ele poderia significar para o mundo.


Ele era um líder e dizia que não desejava ser idolatrado, mas sim ouvido.


A sua era a luta por direitos humanos e em nome dela, foi preso 10 vezes, nada o demovendo do seu ideal de igualdade entre os homens.


Foi na igreja onde ele era pastor, que falou a respeito da sua morte:


“Freqüentemente eu penso naquilo que é denominador comum e derradeiro da vida: nessa alguma coisa que costumamos chamar de ‘morte’.


Freqüentemente penso em minha própria morte e em meu funeral, mas não em sentido angustiante.


Freqüentemente pergunto a mim mesmo o que gostaria que fosse dito então.


Eu deixo aqui com vocês, esta manhã, a resposta...
Se vocês estiverem ao meu lado, quando eu encontrar meu dia, lembrem-se de que não quero um longo funeral.


E se conseguirem alguém para fazer o ‘discurso fúnebre’, digam-lhe para não falar muito.


Digam-lhe para não mencionar que eu tenho um Prêmio Nobel da Paz: isto não é importante!


Digam-lhe para não mencionar que eu tenho trezentos ou quatrocentos prêmios: isto não é importante!



Eu gostaria que alguém mencionasse aquele dia em que Martin Luther King tentou dar a vida a serviço dos outros.



Eu gostaria que alguém mencionasse o dia em que Martin Luther King tentou amar alguém.


Quero que digam que eu tentei ser direito e caminhar ao lado do próximo.


Quero que vocês possam mencionar o dia em que... tentei vestir o mendigo, tentei visitar os que estavam na prisão, tentei amar e servir a Humanidade.


Sim, se quiserem dizer algo, digam que eu fui um arauto: um arauto da justiça, um arauto da paz, um arauto do direito.


Todas as outras coisas triviais não têm importância. Não quero deixar atrás nenhum dinheiro.

Eu só quero deixar atrás uma vida de dedicação!



E isto é tudo o que eu tenho a dizer:



Se eu puder ajudar alguém a seguir adiante


Se eu puder animar alguém com uma canção


Se eu puder mostrar a alguém o caminho certo


Se eu puder cumprir meu dever cristão


Se eu puder levar a salvação para alguém


Se eu puder divulgar a mensagem que o Senhor deixou...


Então, minha vida não terá sido em vão."





O Reverendo Martin Luther King Junior lutou pelos direitos dos negros nos Estados Unidos.


Foi Prêmio Nobel da Paz em 1964.


Todas as vezes que foi preso, que sofreu atentados à bomba, que sua casa, esposa e filhos foram ameaçados, respondeu com amor.


Dizia que a resposta ao ódio devia ser o amor e continha os seus seguidores para que não reagissem.


Morreu assassinado, conforme previra.


Em seu túmulo, está a prova de que tinha convicção da vida além desta vida.


E que partiu, embora de forma tão brusca, com a alma em paz pela certeza do dever cumprido.



O epitáfio diz:

“Enfim livre, enfim livre!

Graças a Deus Todo-poderoso sou finalmente livre!”


Foram estas palavras que usou para concluir o seu mais famoso discurso, intitulado Eu tenho um sonho, em que traduziu o ideal da liberdade e da igualdade entre todos os homens.





Oxalá todos os que abraçamos uma religião, possamos ter essas idéias lúcidas a respeito da vida e da morte.

Nesse dia, o mundo será muito melhor.

Texto da Redação do Momento Espírita, com base no discurso de Martin Luther King Junior: Quando eu morrer.

http://www.momento.com.br/



É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver.Martin Luther King




Com esta mensagem seguem muitas vibrações de paz e amor para você...




domingo, fevereiro 04, 2007






ACASO


Antoine de Saint-Exupéry


Cada um que passa em nossa vida,

passa sozinho, pois cada pessoa é única

e nenhuma substitui outra.






Cada um que passa em nossa vida,

passa sozinho, mas não vai só

nem nos deixa sós.





Leva um pouco de nós mesmos,

deixa um pouco de si mesmo.




Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.




Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso.

quinta-feira, fevereiro 01, 2007





CAMINHOS



O caminho mais humilde,
Seja na vila ou na serra,
É convite carinhoso
Que o Pai traçou sobre a Terra.

Qualquer estrada do mundo
É sugestão de bondade,
Por trazer às criaturas
Os bens da fraternidade.

É a chave silenciosa
Das mais belas ligações,
Que aproxima os interesses
No elo dos corações.

Há caminhos para o templo,
Para o lar, para a oficina,
Todos eles são recursos
Da Providência Divina.

A excelsa sabedoria
Jamais esqueceu ninguém,
Dispondo todas as sendas
Para a luz e para o bem.

Ditoso quem reconheça
Em toda estrada uma luz,
Que conduz à claridade
Do Caminho, que é Jesus.

Casimiro Cunha




Que o seu caminhar seja amparado
pelas bênçãos de Jesus.
Que sua estrada seja florida e suave.
E se obstáculos surgirem,
que você tenha a certeza que,
junto com você, está Jesus
a lhe amparar os passos.

Tenha uma semana de paz,
onde os caminhos percorridos
sempre o direcionem
para frente e para o alto.

Mensagem semanal da Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo::Rio de Janeiro