Pachelbel - Canon In D Major

terça-feira, janeiro 31, 2012

Prece de encerramento do Programa Luz na Penumbra da Rádio Rio de Janeiro

                                                                                  

Espiritismo e Tecnologia da Informação



No Rio de Janeiro, temos a Rádio Rio de Janeiro - 1400 AM, uma emissora de Rádio Espírita , que tem um programa diário, de segunda a sexta-feira, das 21 às 22 horas, chamado: Luz na Penumbra, programa este, que deu origem a Rádio, inicialmente apresentado pelo próprio fundador, Geraldo de Aquino (já desencarnado), que traz em seu encerramento, uma prece, na voz do próprio fundador, a qual, por gostar muito dela, transcrevo-a abaixo:


Para quem reside fora da cidade do Rio de Janeiro, a Rádio Rio de Janeiro que apresenta uma programação espírita de 24:00h no ar, pode ser ouvida pela Internet, através da seguinte endereço:
http://www.radioriodejaneiro.am.br . Acesse: Ouça a programação e atualmente programas ao vivo, já podem ser assistidos online.


Outra opção para quem tiver dificuldades em frequentar uma Casa Espírita é assistir as reuniões do Centro Espírita Leon Denis, acessando http://www.celd.org.br/, conferindo nos links à direita o horário das reuniões e durante o mesmo, acessar o ícone  CELD AO VIVO - ASSISTA AGORA.

Outra opção interessante é que ao mesmo tempo que você assiste a palestra no CELD, interage com os trabalhadores da Casa através da instalação do programa Paltalk, que poderá ser baixado em http://www.paltalk.com/ e que também é disponibilizado no site do CELD, abaixo do ícone CELD AO VIVO.
Dessa forma, a Tecnologia da Informação vem se apresentando como mais uma ferramenta de acesso ao ambiente das Casas Espíritas. 
 

Prece de encerramento do Programa Luz na Penumbra da Rádio Rio de Janeiro:

Jesus dá-nos coragem para luta,
Piedade com os insultos e misericórdia para as injustiças e ingratidões,
Limpa nossa alma de inveja e ambições mesquinhas,
De ódio e de vingança o nosso caminho.
E que dentro em pouco, ao recolhermos de novo ao calor do nosso leito,
Para que o sono nos dê a paz e o esquecimento das tristezas humanas,
Possamos sentir Senhor,
No mais intimo de nosso ser,
A doçura indefinível do teu amor,
E a grandeza incomparável da Tua divina presença.
Que assim seja.

FONTE:
Fórum Espírita 

Acorde para Vencer - Autor Desconhecido


Acorde para Vencer 

Autor Desconhecido

Não deixe que nada afete seu espírito. Envolva-se pela música, ouça, cante e comece a sorrir mais cedo. 

 
O bom humor é contagiante espalhe-o, fale de coisas boas, de saúde de sonhos, de amor. 

 
Ajude as outras pessoas a perceberem o que há de bom dentro de si.

Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito.

Torne suas obrigações  atraentes, tenha garra e determinação.

Mude, opine, ame o que faz.

Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da missão cumprida. 
Lembre-se de que nem todos têm a mesma  oportunidade.

Pense no melhor, trabalhe pelo melhor espere sempre o melhor. 
Você pode tudo que quiser. Perdoe!! 
Seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo.

O trabalho é  uma das contribuições que damos à vida,  mas não se deve jogar nele todas as nossas  expectativas de realizações.

E finalmente,  ria das coisas à sua volta, de seus problemas,  de seus erros, ria da vida.

E... ame.  Antes de tudo, a você mesmo!


Recebemos esta mensagem por email como autor desconhecido,caso algum leitor identifique a autoria, por gentileza nos comunique.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Preocupações - André Luiz


Preocupações

André Luiz


Não se aflija por antecipação, porquanto é possível que a vida resolva o seu problema, ainda hoje, sem qualquer esforço de sua parte.
Não é a preocupação que aniquila a pessoa e sim a preocupação em virtude da preocupação.

Antes das suas dificuldades de agora, você já faceou inúmeras outras e já se livrou de todas elas, com o auxílio invisível de Deus.

Uma pessoa ocupada em servir nunca dispõe de tempo para lembrar injúria ou ingratidão.
Disse um notável filósofo: "uma criatura irritada está sempre cheia de veneno", e podemos acrescentar: "e de enfermidade também".

Trabalhe antes, durante e depois de qualquer crise e o trabalho garantirá sua paz.
Conte as bênçãos que lhe enriquecem a vida, em anotando os males que porventura lhe visitem o coração, para reconhecer o saldo imenso de vantagens a seu favor.

Geralmente, o mal é o bem mal-interpretado.
Em qualquer fracasso, compreenda que se você pode trabalhar, pode igualmente servir, e quem pode servir carrega consigo um tesouro nas mãos.

Por maior lhe seja o fardo do sofrimento, lembre-se de que Deus, que aguentou você ontem, agüentará também hoje.


XAVIER, Francisco Cândido pelo  Espírito André Luiz. Do livro: Sinal Verde.

domingo, janeiro 29, 2012

A Caridade e o Amor - Richard Simonetti


A Caridade e o Amor

Richard Simonetti


"Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?"

"Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas."

Questão n.º 886 (Da Lei de Justiça, de Amor e de Caridade) - O Livro dos Espíritos


Confunde-se, frequentemente, caridade com amor. No entanto, não são palavras sinônimas, tanto que ambas aparecem numa lei divina que inclui a justiça. Muitos centros espíritas levam o nome "Amor e Caridade". Evidentemente não imaginavam seus fundadores tivessem o mesmo significado, algo como "Luz e Claridade" ou "Paz e Tranqüilidade".


Caridade seria, na ótica de "O Livro dos Espíritos":

Benevolência, que se exprime na boa vontade e na disposição para praticar o Bem;

Indulgência, que é clemência e misericórdia para as imperfeições alheias;

Perdão, que é o ato de desculpar ofensas.


Exercício de benevolência: Trabalho em favor do semelhante.


Exercício da indulgência: Solidariedade em face das limitações e fraquezas do próximo, evitando discriminá-lo.


Exercício do perdão: Esquecimento do mal que se tenha sofrido de alguém, num ato de tolerância esclarecida que se exprime na compreensão.


Talvez tenhamos aí a origem da máxima de Kardec: "Trabalho, Solidariedade e Tolerância", a orientar a ação espírita. Sem tais princípios não há a possibilidade de um entendimento perfeito ente os homens na construção de um mundo melhor.


E o Amor?


Amor é afeição profunda. É gostar muito. É, em sua acepção mais nobre, querer o bem de alguém na doação de si mesmo.


Decantado pelos poetas e exaltado pelos sonhadores, o Amor é abençoado sol que ilumina e aquece os escabrosos caminhos humanos.


Só há um problema: é impossível sustentá-lo, torná-lo operoso e produtivo sem o combustível da caridade.


Encontramos na via pública uma mulher em penúria, rodeada de filhos maltrapilhos e famintos. Sensibilizamo-nos:

"Que quadro triste, meu Deus! Quanto sofrimento!"

Estendemos-lhe alguns trocados e seguimos em frente, evocando, cheios de compaixão:

"Jesus a ampare, minha irmã!."


Naquele exato momento brilhou em nós uma réstia de amor, infiltrando-se no impassível egocentrismo humano.


Mas que amor vazio, efêmero! Um amor quase inútil, que se limitou à esmola para aliviar a consciência, transferindo para o Cristo a providência melhor, sem considerar que Ele esperava por nós para atendê-la com a iniciativa de parar, conversar, conhecer melhor a extensão de seus problemas, ajudando-a. Sem caridade o amor pode ser muito displicente...


Temos um grande amigo. Gostamos muito dele. Um dia ele faz algo que nos desagrada. Irritamo-nos profundamente. Azedamos nosso relacionamento. Distanciamo-nos, jogando fora uma gratificante amizade. Sem caridade o companheiro mais querido pode converter-se num estranho.


O casal vive bem. Marido e mulher amam-se profundamente. Um dia ele comete um deslize: envolve-se em aventura extraconjugal. A esposa toma conhecimento e o abandona imediatamente, não obstante ele implorar-lhe que fique, dilacerado de remorsos. E estagiam ambos em crônica infelicidade, marcada por insuperável nostalgia. Sem caridade o afeto mais ardente pode ser afogado num oceano de mágoas e ressentimentos.


No passado muitos religiosos instalavam-se em lugares ermos, impondo-se privações e flagícios como sacrifício em favor da Humanidade. Em sua maioria apenas comprometeram-se em excentricidades e desequilíbrios. Sem caridade o amor pelo semelhante pode converter-se em perturbadora paixão por nós mesmos.


O apóstolo Paulo vai bem mais longe no assunto (I Coríntios 13: 1-3), quando destaca que ainda que detenhamos o verbo mais sublime, a mediunidade mais apurada, o conhecimento mais profundo, a convicção mais poderosa, o desapego mais amplo e inabalável destemor da morte, isso tudo pouco valerá se faltar a caridade, isto é, se não estivermos imbuídos do desinteresse pessoal, no desejo sincero de servir o semelhante.


E Kardec nos oferece a mesma visão de inutilidade de todas as iniciativas em favor da redenção humana, se faltar o componente básico, ao proclamar:

"Fora da Caridade não há Salvação."
 

Modo de Fazer - Emmanuel


Modo de Fazer

Emmanuel

"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus." Paulo (Filipenses, 2:5.)



Todos fazem alguma coisa na vida humana, mas raros não voltam à carne para desfazer quanto fizeram.

Ainda mesmo a criatura ociosa, que passou o tempo entre a inutilidade e a preguiça, é constrangida a tornar à luta, a fim de desintegrar a rede de inércia que teceu ao redor de si mesma.

Somente constrói, sem necessidade de reparação ou corrigenda, aquele que se inspira no padrão de Jesus para criar o bem.

Fazer algo em Cristo é fazer sempre o melhor para todos:

Sem expectativa de remuneração.

Sem exigências.

Sem mostrar-se.

Sem exibir superioridade.

Sem tributos de reconhecimento.

Sem perturbações.

Em todos os passos do Divino Mestre, vemo-lo na ação incessante, em favor do indivíduo e da coletividade, sem prender-se.

Da carpintaria de Nazaré à cruz de Jerusalém, passa fazendo o bem, sem outra paga além da alegria de estar executando a Vontade do Pai.

Exalta a vintém da viúva e louva a fortuna de Zaqueu, com a mesma serenidade.

Conversa amorosamente com algumas criancinhas e multiplica o pão para milhares de pessoas, sem alterar-se.

Reergue Lázaro do sepulcro e caminha para o cárcere, com a atenção centralizada nos Desígnios Celestes.

Não te esqueças de agir para a felicidade comum, na linha infinita dos teus dias e das tuas horas. Todavia, para que a ilusão te não imponha o fel do desencanto ou da soledade, ajuda a todos, indistintamente, conservando, acima de tudo, a glória de ser útil, "de modo que haja em vós o mesmo sentimento que vive em Jesus Cristo".


XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel.



sábado, janeiro 28, 2012

A Última Prova - Emmanuel


A Última Prova

Emmanuel


E porque o aprendiz indagasse sobre o currículo dos exames a respeito do aperfeiçoamento da alma, o mentor esclareceu, paciente:


- Na Espiritualidade Superior, as avaliações de aproveitamento são muitas. Temos as de paciência, de disciplina, de espírito de serviço e de auxílio aos semelhantes, no entanto, ao que me parece, a última é a mais difícil de todas.


- E qual é a última? - indagou o discípulo atento.


O mentor respondeu, em tom decisivo:


- A última prova, no aperfeiçoamento de cada um de nós é a humildade.



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro Agora é o Tempo, 26, IDEAL.


Na Terra - André Luiz


Na Terra

André Luiz


Na Terra, Deus nos concede o corpo, através de pais amigos.

Entretanto... Cada um de nós se lhe faz inquilino temporário em regime de responsabilidade.



Deus nos proporciona a riqueza das horas pela contabilidade do Tempo.

Entretanto... Cada criatura, em momento oportuno, apresentará o relatório dos próprios dias.



Deus nos oferta os laços afetivos pelos princípios da afinidade.

Entretanto... Podemos valorizá-los ou não, conforme o nosso próprio arbítrio.



Deus nos concede a propriedade, por intermédio das leis organizadas pelos próprios homens.

Entretanto... Daremos conta do usufruto respectivo.



Deus nos oferece as sementes pelos recursos da Natureza.

Entretanto... Plantio e colheita são sempre de nossa escolha.



Deus nos confia o dinheiro, através do trabalho ou da generosidade alheia.

Entretanto... Somos responsáveis pela aplicação da finança que nos seja creditada.



Deus nos habilita para a eficiência com máquinas diversas, por meio da própria inteligência humana.

Entretanto... Compete a nós outros a programação e a condução delas.



Em suma, toda criação e doação das vantagens de que dispomos procedem de Deus.

Entretanto, é justo reconhecer que todos os êxitos e problemas da utilização pertencem a nós.



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito André Luiz . Do livro "Vida em Vida".



Abençoa - Emmanuel




Abençoa

Emmanuel

 

Deixa que a bênção de Deus te ilumine o coração para que saibas abençoar.

Ninguém prescinde do amor para viver.


Observa os que marcham, desdenhosos, ignorando-te a presença, habituados à convicção de que o ouro pode comprar a felicidade.

Abençoa-os e passa.

Ninguém conhece o rochedo em que o barco da ilusão lhes infligirá o derradeiro travo de angústia.


Vês, inquieto, os que se desmandam no poder.

Abençoa-os e passa.

Muitos deles simplesmente arrastam as paixões que os arrastarão para o gelo do ostracismo ou para a cinza do esquecimento.


Contemplas, espantado, os que são portadores de títulos preciosos, a te exigirem considerações e tributos especiais.

Abençoa-os e passa.

O tempo cobrar-lhes-á aflitivo imposto da alma pelas distinções que lhes conferiu.


Ouves, triste, os que injuriam e amaldiçoam.

Abençoa-os e passa.

São eles tão infelizes que ainda não podem assinalar as próprias fraquezas.


Fitas, admirado, os que fazem tábua rasa dos mais altos deveres para desfrutarem prazeres loucos, enquanto a vitalidade lhes robustece o corpo jovem.

Abençoa-os e passa.

Amanhã, surgirão acordados, em mais elevado nível de entendimento.


Se alguém te fere, abençoa.

E se esse mesmo alguém volta a ferir-te, abençoa outra vez.

Não te prevaleças da crueldade para mostrar a justiça, porque a justiça integral é de Deus e todos viverão para conhecê-la.


Se teu filho é rebelde e insensato, abençoa teu filho, porque teu filho viverá.


Se teus pais são irresponsáveis e desumanos, abençoa teus pais, porque teus pais viverão.


Se o companheiro aparece ingrato e desleal, abençoa teu companheiro, porque continuará ele vinculado à existência.


Se há quem te calunia ou persegue, abençoa os que perseguem e caluniam, porque todos eles viverão.


Humilhado, batido, esquecido ou insultado, abençoa sempre.


Basta a vida para retificar os erros da consciência.


Inquirido, certa vez, pelo Apóstolo quanto ao comportamento que lhe cabia perante a ofensa, afirmou Jesus:

— "Perdoarás não sete vezes mas setenta vezes sete."


Com isso o Divino Mestre desejava dizer que ninguém precisa vingar-se, porque o autor de qualquer crueldade tê-la-á como fogo nas próprias mãos.



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro

 
A Religião dos Espíritos,  FEB.

Pensamentos de Antoine de Saint Exupéry - Helena Galant




Pensamentos de Antoine de Saint- Exupéry

Helena Galant


Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nós deixam sós, deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.


Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.


A grandeza de uma profissão é talvez, antes de tudo, unir os homens: Não há senão um verdadeiro luxo e esse é o da relação humana.


Se tu choras por perder o sol, as lágrimas te impedirão de ver as estrelas.


Um pouco de filosofia afasta-nos da religião, muita filosofia faz-nos voltar a ela.


O homem modesto tem tudo a ganhar e o orgulhoso tudo a perder é que a modéstia tem sempre a ver com a generosidade e o orgulo com a inveja.


São os caminhos inreversíveis do amor que libertam o homem.


A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar.


Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.


Os homens cultivam cinco mil rosas num jardim e não encontram o que procuram. E no entanto, o que eles buscam poderia ser achado numa só rosa.


Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nos teremos necessidades um do outro. Serás para mim único no mundo. E serei para ti única no mundo.


Disse a flor para o pequeno principe: é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas.


Disponível em:< http://helenagalant.wordpress.com/2010/12/>. Acesso: 28 JAN. 2012.

sexta-feira, janeiro 27, 2012

Sol Nascente - Miramez


Sol Nascente

Miramez


Amai o sol, que ele devolverá esse amor na multiplicação que as leis vos garantem e essas leis são aquelas mesmas que trabalham quando plantais uma semente e a natureza vos oferta milhares e, por vezes, milhões das mesmas, renovadas nas suas estruturas.
 
 
É dando que recebemos, já foi dito.
 
 
 Não esqueçais, leitor amigo, de vos expor aos raios solares pela manhã, para que possam vos vestir de luz e, na luz, vos doarem aquilo de que fordes carente.
 
 
Não é somente vitamina D que ela propicia, mas também outros elementos de que precisais e que somente o futuro poderá revelar.
 
 
Um exercício de respiração diante do sol nascente vos enriquece por dentro de fatores indispensáveis à vossa saúde.


MAIA, João Nunes pelo Espírito Miramez .Texto do Livro Saúde.

 

O Equilíbrio da Mente Como Fonte Geradora de Saúde - Alírio de Cerqueira Filho



O Equilíbrio da Mente Como Fonte Geradora de Saúde

Alírio de Cerqueira Filho


A ação do pensamento sobre o corpo é muito poderosa, pois o corpo é apenas um reflexo do feixe de energias pensante que é o Espírito em sua essência (Ser Essencial) modelado pelo corpo fluídico que lhe serve de intermediário. O corpo, então, é um campo de energia eletromagnética condensada modelado pelo corpo fluídico.


Deste modo, o Ser Essencial como ser que pensa e origina a mente estará sempre manifestando a condição consciencial em que se encontra movimentando os campos energéticos do corpo fluídico, segundo a sua capacidade, gerando os caracteres físicos e psicológicos, bem como os núcleos celulares de onde se originam os órgãos, conforme o nível de experiências a que se entrega.


Quando o indivíduo irradia pensamentos salutares e edificantes revigora as células mantendo-as em harmonia. Porém se irradia pensamentos conflituosos, desequilibrados ou perturbados, frutos das experiências equivocadas, onde se identifica intensamente com o próprio ego, bombardeia as células gerando desarmonia que resultam em doenças. Por exemplo pessoas que cultivam ódios e ressentimentos acabam por degenerar as células dos seus órgãos mais frágeis, dando origem a tumores, especialmente, cancerígenos. Doenças dos mais variados tipos surgem em decorrência do desequilíbrio mental-espiritual do homem.


Sabendo que a mente desempenha esse poder, podemos utilizá-la para transmutar estados de doenças. Para isso é fundamental a correção dos pensamentos fazendo exercícios de fixação de pensamentos positivos e otimistas, criando estados de saúde.


Uma técnica que se pode utilizar é a visualização das células e órgãos funcionando perfeitamente enquanto se mentaliza energias de amor a penetrar e envolver as células. Outra técnica a ser utilizada em conjunto com a anterior é a de se conversar terna e amorosamente com as células para que as mesmas se reequilibrem. Ao se conversar com as células estaremos estimulando energeticamente o corpo fluídico a irradiar energias salutares que beneficiarão as células doentes, tornando-as sadias ou substituindo-as por outras.


Fonte : Site Amigo Espírita




Prece de Gúbio - André Luiz


Prece de Gúbio

André Luiz


Senhor Jesus!


Nosso Divino Amigo... Há sempre quem peça pelos perseguidos, mas raros se lembram de auxiliar os perseguidores!


Em toda parte ouvimos rogativas em benefício dos que obedecem, entretanto é difícil surpreendermos uma súplica em favor dos que administram.


Há muitos que rogam pelos fracos, para que sejam, a tempo, socorridos; no entanto, raríssimos corações imploram concurso divino para os fortes, a fim de que sejam conduzidos.


Senhor, Tua justiça não falha. Conheces aquele que fere e aquele que é ferido. Não julgas pelo padrão de nossos desejos caprichosos, porque o Teu amor é perfeito e infinito...


Nunca Te inclinaste tão somente para os cegos, doentes e desalentados da sorte, porque amparas, na hora justa, os que causam a cegueira, a enfermidade e o desânimo...


Se em verdade salvas as vítimas do mal, buscas, igualmente, os pecadores, os infiéis, e os injustos. Não menoscabaste a jactância dos doutores e conversaste amorosamente com eles no templo de Jerusalém. Não condenaste os afortunados e, sim abençoaste-lhes as obras úteis.


Em casa de Simão, o fariseu orgulhoso, não desprezaste a mulher transviada, ajudaste-a com fraternas mãos. Não desamparaste os malfeitores, aceitaste a companhia de dois ladrões, no dia da cruz.


Se tu, Mestre, o Mensageiro Imaculado, assim procedeste na Terra, quem somos nós, Espíritos endividados, para maldiçoarmo-nos, uns aos outros?


Acende em nós a claridade dum entendimento novo! Auxilia-nos a interpretar as dores do próximo por nossas próprias dores. Quando atormentados, faze-nos sentir as dificuldades daqueles que nos atormentam, para que saibamos vencer os obstáculos em Teu nome.


Misericordioso amigo, não nos deixes sem rumo, relegados à limitação dos nossos próprios sentimentos... Acrescenta-nos a fé vacilante, descortina-nos as raízes comuns da vida, a fim de compreendermos, finalmente, que somos irmãos uns dos outros. Ensina-nos que não existe outra lei, fora do sacrifício, que nos possa facultar o anelado crescimento para os mundos divinos.


Impele-nos à compreensão do drama redentor a que nos achamos vinculados. Ajuda-nos a converter o ódio em amor, porque não sabemos, em nossa condição de inferioridade, senão transformar o amor em ódio, quando os Teus desígnios se modificam, a nosso respeito. Temos o coração chagado e os pés feridos na longa marcha, através das incompreensões que nos são próprias, e a nossa mente, por isto, aspira ao clima da verdadeira paz, com a mesma aflição por que o viajor extenuado no deserto anseia por água pura.


Senhor, infunde-nos o dom de nos ampararmos mutuamente. Beneficiaste os que não creram em Ti, protegeste os que Te não compreenderam, ressurgiste para os discípulos que Te fugiram, legaste o tesouro do conhecimento divino aos que Te crucificaram e esqueceram...


Por que razão nós outros, míseros vermes do lodo ante uma estrela celeste, quando comparados contigo, recearíamos estender dadivosas mãos aos que nos não entendem ainda?


É para eles, Senhor, para os que repousam aqui, em densas sombras, que Te suplicamos a bênção! Desata-os, Mestre da caridade e da compaixão, liberta-os para que se equilibrem e se reconheçam...


Ajuda-os a se aprimorarem nas emoções do amor santificante, olvidando as paixões inferiores para sempre. Possam eles sentir-Te o desvelado carinho, porque também Te amam, e Te buscam inconscientemente, embora permaneçam supliciados no vale fundo de sentimentos escuros e degradantes...



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito André Luiz. Do livro A Luz da Oração.

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Libertemo-nos - André Luiz



Libertemo-nos

André Luiz


O homem, na essência, é um espírito imortal, usando a vestimenta transitória da vida física.

A existência regular no corpo terrestre é uma série de alguns milhares de dias - átomos de tempo na Imortalidade - concedidos à criatura para o aprendizado de elevação.


A Crosta do Mundo é o campo benemérito, onde cada um de nós realiza a sementeira do próprio destino.

A Ciência é o serviço do raciocínio, erguendo a escola do conhecimento.

A filosofia é o sistema de indagação que auxilia a pensar.

A religião, porém, é a bússola brilhante, indicando, desde a Terra, o caminho da ascensão.

Todos nós somos herdeiros da Sabedoria Infinita e do Amor Universal.

Entretanto, sem o arado do trabalho, com que possamos adquirir valores inalienáveis da experiência, prosseguiremos colados ao seio maternal do Planeta, na condição de lesmas pensantes.


Não repouses à frente do dia rápido.


Abre os ouvidos à sinfonia do bem, que se derrama em toda parte.


Abre os olhos à contemplação da verdade que regenera e edifica.


Abre a mente aos ideais superiores que refundem a existência.


Abre os braços ao serviço salutar.


Descerra o verbo à exaltação da bondade e da luz.


Abre as mãos à fraternidade, auxiliando ao próximo.


Abre, sobretudo, o coração ao amor que nos redime, convertendo-nos fielmente em companheiros do Amigo Sublime das Criaturas, que partiu do mundo, de braços abertos na cruz, oferecendo-se à Humanidade inteira.


Cada inteligência tocada pela claridade religiosa, nas variadas organizações da fé viva, é uma estrela que ilumina os remanescentes da ignorância e do egoísmo, no caminho terrestre.


Liberta-te e sobe à luz do píncaro, a fim de iluminares a marcha daqueles mais necessitados que tu mesmo, na jornada de aperfeiçoamento e libertação.



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito André Luiz . Do livro Apostilas da Vida, cap. 2.