Pachelbel - Canon In D Major

sábado, agosto 26, 2006






Adoro as obras de Amélia Rodrigues e presto a ela esta humilde homenagem...
Gosto de ouvir a Darci Moreira Neves apresentar este texto, antes do estudo que realiza de suas obras:

"Meu nome é Amélia, venho de uma caminhada longa de dores e sofreres,
quando num determinado instante , fui atraida pelo magnetismo do Meigo Rabi da Galiléia...

Acompanhei Seus passos, vi como atendia a todos , sem exceção .

E através de Suas mensagens que era um bálsamo , renasci então para a verdadeira vida
e até hoje revejo aquelas imagens .

Agora muito feliz , passo a falar das lições do Evangelho ,
para todos os irmãos do caminho"...

Amélia Rodrigues

sexta-feira, agosto 25, 2006



Eleja um bom motivo para viver, tudo irá girar em torno dele

PARA VIVER BEM...


Analisemos esse exemplo.
Já percebeu que no esporte nem sempre o time mais preparado
ou o melhor é que vence a partida?
Já refletiu porquê?
Alguns fatores são observados em alguns desses casos.
A motivação em alta dosagem faz com que acreditem,
apesar de tudo, que poderão vencer;
São concentrados.
Deixam todas as coisas secundárias
e se firmam no objetivo a ser alcançado.
São unidos .
Todos os envolvidos formam um só corpo.
Têm religiosidade.
Acreditam que fazendo a parte que lhes cabem,
Deus fará o resto.

Humberto Pazian


::Texto extraído do livro Para viver bem... p. 128Letras & Textos Editora ::Autor: Humberto Pazian :: Mensagem do Grupo Espírita Fraternidade de Assis ::

segunda-feira, agosto 21, 2006


AMAR SEMPRE ...

Não te canses de amar.
É possível que a resposta do amor
não te chegue imediatamente.

Talvez te causem surpresa as reações que propicia.
É possível queas haja desencorajadoras.
Sucede que, desacostumadas
aos sentimentos puros,
as pessoas reagem
por mecanismos de auto-defesa.

Insistindo, porém,
conseguirás demonstrar a excelência desse sentimento
sem limite emimetizarás aqueles a quem amas,
recebendo de volta a bênção
de que se reveste.
Ama, portanto, sempre.

Joanna de Ângelis


Amar sempre.
E em amando você descobrirá
a magia que envolve este sentimento.

Pois ele é força e paz.
É alegria e compreensão.
É harmonia e participação.

Que nesta semana você ame muito.
A tudo e a todos.
Um amor construção,
um amor dedicação,
um amor caridade.
Tenha uma semana só de amor.

domingo, agosto 20, 2006




AUTÓGRAFO DE DEUS


ANA MARIA SPRANGER LUIZ


Diz-nos, Joanna de Ângelis, em excelente assertiva: "Caminha um pouco ao ar livre.Tranqüilamente, redescobre a natureza que te abençoa a vida.
Espairece, saindo deste turbilhão em que te encontras, deixando a imaginação voar.

Evita os lugares movimentados, para o teu passeio, e aspira o oxigênio balsâmico
da floresta, da montanha, do mar...
Refaze conceitos, acalma-te e abençoa a vida na forma como se te apresente.
A tua atual existência é rica do que necessitas para ser feliz. "

Oportunamente, ao ler esses conceitos, pela tela da minha memória recordei fato
que se deu com Divaldo Franco, quando viajava ele de Madrid à Toledo.
Seguia ele com um confrade amigo, de automóvel, para uma de suas conferências,
onde com sua palavra clara e balsâmica, esclarece sobre o Evangelho de Jesus,
aplacando anseios dos ouvintes em aflição, apresentando outrossim, aos que o ouvem,
a excelência da doutrina dos espíritos, através a codificação kardequiana, dirimindo a
depressão de tantos que o buscam...

Faltavam ainda 45 minutos para os dois chegarem a Toledo, quando de súbito,
surge aos olhos do médium baiano, um enorme campo de papoulas.
Eram flores amarelas, outras vermelhas, mergulhadas como num oceano belíssimo de cor verde. Divaldo não titubiou e disse ao amigo:
"- Pare o veículo, por favor."
"- Sentindo-se mal?"
"- Não, nunca me senti tão bem!

Ë que quero desfrutar dessa natureza ímpar, desse sol de verão, nesse abençoado mês de agosto, respirar ar puro ao invés do monóxido de carbono que nos acompanha..."
"- ...mas e a conferência em Toledo?"

"- Amigo, são nove horas e vinte minutos, a palestra se dará às vinte horas.
Faltam ainda dez horas e quarenta minutos para o início dos trabalhos em Toledo!..."
Divaldo desceu animado, feliz, sorvendo a plenos pulmões aquela flagrância deliciosa
das papoula, e, adentrando pelo campo em flor, percebe ao seu lado Joanna de Ângelis,
que distendendo sua nívea mão, fala doce e suavemente:

"- Meu filho, as flores são o autógrafo que Deus coloca no álbum da natureza para dizer:
fui eu quem fez!"

Refeito, encantado e alegre, Divaldo retorna ao asfalto, o amigo encontra-se sentado no acostamento, olhos marejados, e diz :

"- Divaldo, eu passo por aqui três dias na semana, o que equivale a dizer seis vezes,
ida e volta, e, jamais houvera percebido essas papoulas!
Só me detenho na estrada, no asfalto, sempre atento aos horários, às vezes remoendo fatos ocorridos no dias anteriores... agradeço-lhe o haver me ensinado mais essa lição!"

Diz-nos Joanna de Ângelis, Benfeitora de todos nós, no excelente livro da Editora LEAL, " Episódios Diários ", à página 11:

"- Cada amanhecer é convite sereno à conquista de valores que parecem inalcançáveis .
À medida que o dia avança, aproveita os minutos, sem pressa nem postergação do dever.
Não te aflijas ante o volume de coisas e problemas que tens pela frente.
Dirige cada ação à sua finalidade específica.
Após concluir um serviço, inicia outro e, sem mágoa dos acontecimentos desagradáveis, volve à liça com disposição, avançando, passo a passo, até
o momento de conclusão dos deveres planejados."

Logo cedo manifestou- se nele profunda inteligência e senso de responsabilidade,
acervo conquistado naturalmente nas experiências de vidas pretéritas.
Era ainda bem moço, porém muito estudioso e com tendências para o ensino,
por isso foi incumbido pelo seu mestre- escola de ensinar aos próprios
companheiros de aula.
Respeitável representante político de sua comunidade, tornou- se secretário da
Irmandade de São Vicente de Paula, tendo participado ativamente da fundação
do jornal "Gazeta de Sacramento" e do "Liceu Sacramentano". Logo viu- se guindado
à posição natural de líder, por sua segura orientação quanto aos verdadeiros valores
da vida.

Através de informações prestadas por um dos seus tios, tomou conhecimento da
existência dos fenômenos espíritas e das obras da Codificação Kardequiana.
Diante dos fatos voltou totalmente suas atividades para a nova Doutrina,
pesquisando por todos os meios e maneiras, até desfazer totalmente suas dúvidas.
Despertado e convicto, converteu- se sem delongas e sem esmorecimentos,
identificando-se plenamente com os novos ideais, numa atitude sincera e própria
de sua personalidade, procurou o vigário da Igreja matriz onde prestava sua
colaboração, colocando à disposição do mesmo o cargo de secretário da Irmandade.

Repercutiu estrondosamente tal acontecimento entre os habitantes da cidade e
entre membros de sua própria família. Em poucos dias começou a sofrer as
conseqüências de sua atitude incompreendida.
Persistiu lecionando e entre as matérias incluiu o ensino do Espiritismo,
provocando reação em muitas pessoas da cidade, sendo procurado pelos pais
dos alunos, que chegaram a oferecer- lhe dinheiro para que voltasse atrás quanto
à nova matéria e, ante sua recusa, os alunos foram retirados um a um.
Sob pressões de toda ordem e impiedosas perseguições, Eurípedes sofreu forte
traumatismo, retirando- se para tratamento e recuperação em uma cidade vizinha,
época em que nele desabrocharam várias faculdades mediúnicas, em especial
a de cura, despertando- o para a vida missionána. Um dos primeiros casos de cura
ocorreu justamente com sua própria mãe que, restabelecida, se tornou valiosa assessora
em seus trabalhos.

A produção de vários fenômenos fez com que fossem atraídas para Sacramento
centenas de pessoas de outras paragens, abrigando- se nos hotéis e pensões,
e até mesmo em casas de famí1ias, pois a todos Barsanulfo atendia e ninguém
saía sem algum proveito, no mínimo o lenitivo da fé e a esperança renovada e,
quando merecido, o benefício da cura, através de bondosos Benfeitores Espirituais.
Auxiliava a todos, sem distinção de classe, credo ou cor e, onde se fizesse necessária
a sua presença, lá estava ele, houvesse ou não condições materiais.

Jamais esmorecia e, humildemente, seguia seu caminho cheio de percalços,
porém animado do mais vivo idealismo. Logo sentiu a necessidade de divulgar o
Espiritismo, aumentando o número dos seus seguidores. Para isso fundou o
"Grupo Espírita Esperança e Caridade", no ano de 1905, tarefa na qual foi apoiado
pelos seus irmãos e alguns amigos, passando a desenvolver trabalhos interessantes,
tanto no campo doutrinário, como nas atividades de assistência social.

Certa ocasião caiu em transe em meio dos alunos, no decorrer de uma aula.
Voltando a si, descreveu a reunião havida em Versailles, França, logo após a
I Guerra Mundial, dando os nomes dos participantes e a hora exata da reunião
quando foi assinado o célebre tratado.
Em 1o. de abril de 1907, fundou o Colégio Allan Kardec, que se tornou verdadeiro
marco no campo do ensino. Esse instituto de ensino passou a ser conhecido em todo
o Brasil, tendo funcionado ininterruptamente desde a sua inauguração, com a média
de 100 a 200 alunos, até o dia 18 de outubro, quando foi obrigado a cerrar suas
portas por algum tempo, devido à grande epidemia de gripe espanhola que assolou
nosso país.

Seu trabalho ficou tão conhecido que, ao abrirem- se as inscrições para matrículas,
as mesmas se encerravam no mesmo dia, tal a procura de alunos, obrigando um
colégio da mesma região, dirigido por freiras da Ordem de S. Francisco, a encerrar suas atividades por falta de freqüentadores.

Liderado a pulso forte, com diretriz segura, robustecia- se o movimento espírita
na região e esse fato incomodava sobremaneira o clero católico, passando este,
inicialmente de forma velada e logo após, declaradamente, a desenvolver uma
campanha difamatória envolvendo o digno missionário e a doutrina de libertação,
que foi galhardamente defendida por Eurípedes, através das colunas do jornal
"Alavanca", discorrendo principalmente sobre o tema: "Deus não é Jesus e
Jesus não é Deus", com argumentação abalizada e incontestável,
determinando fragorosa derrota dos seus opositores que, diante de um gigante
que não conhecia esmorecimento na luta, mandaram vir de Campinas, Estado de S. Paulo,
o reverendo Feliciano Yague, famoso por suas pregações e conhecimentos, convencidos
de que com suas argumentações e convicções infringiriam o golpe derradeiro no Espiritismo.

Foi assim que o referido padre desafiou Eurípedes para uma polêmica em praça pública, aceita e combinada em termos que foi respeitada pelo conhecido apóstolo do bem.
No dia marcado o padre iniciou suas observações, insultando o Espiritismo e os espíritas, "doutrina do demônio e seus adeptos, loucos passíveis das penas eternas",
numa demonstração de falso zelo religioso, dando assim testemunho público do ódio,
mostrando sua alma repleta de intolerância e de sectarismo.

A multidão que se mantinha respeitosa e confiante na réplica do defensor do Espiritismo,
antevia a derrota dos ofensores, pela própria fragilidade dos seus argumentos vazios e inconsistentes.

O missionário sublime, aguardou serenamente sua oportunidade, iniciando sua parte
com uma prece sincera, humilde e bela, implorando paz e tranqüilidade para uns e
luz para outros, tornando o ambiente propício para inspiração e assistência do plano
maior e em seguida iniciou a defesa dos princípios nos quais se alicerçavam seus
ensinamentos.

Com delicadeza, com lógica, dando vazão à sua inteligência, descortinou os desvirtuamentos doutrinários apregoados pelo Reverendo, reduzindo- o à insignificância dos seus parcos conhecimentos, corroborado pela manifestação alegre e ruidosa da multidão que desde o princípio confiou naquele que facilmente demonstrava a lógica dos ensinos apregoados pelo Espiritismo.

Ao terminar a famosa polêmica e reconhecendo o estado de alma do Reverendo,
Eurípedes aproximou- se dele e abraçou- o fraterna e sinceramente, como sinceros
eram seus pensamentos e suas atitudes.
Barsanulfo seguiu com dedicação as máximas de Jesus Cristo até o último instante
de sua vida terrena, por ocasião da pavorosa epidemia de gripe que assolou o mundo
em 1918, ceifando vidas, espalhando lágrimas e aflição, redobrando o trabalho do grande missionário, que a previra muito antes de invadir o continente americano,
sempre falando na gravidade da situação que ela acarretaria.

Manifestada em nosso continente, veio encontrá- lo à cabeceira de seus enfermos,
auxiliando centenas de famílias pobres. Havia chegado ao término de sua missão terrena. Esgotado pelo esforço despendido, desencarnou no dia 1.º de novembro de 1918, às 18 horas, rodeado de parentes, amigos e discípulos.

Sacramento em peso, em verdadeira romaria, acompanhou- lhe o corpo material
até a sepultura, sentindo que ele ressurgia para uma vida mais elevada e mais sublime.

Notícias de outras reencarnações :

¨... Eurípedes Barsanulfo, o abnegado servidor de Jesus, que abraçara o martírio
nos primórdios do Cristianismo nas Gálias lugdunenses, assinalando o seu sacrifício
com a coragem e a fé inamovível no Herói da Cruz.( ...)
Depois de inumeráveis existências profícuas o missionário do amor renascera em Zurique,
no ano de 1741, com o nome de Johann Kaspar Lavater, havendo manifestado desde
muito cedo pendor místico, que o levou através dos anos à adoção da religião dominante,
na área do protestantismo.(...)
Admirável teólogo passou a ser considerado o criador da moderna Fisiognomonia,
em razão do livro que deixou e foi publicado mais tarde sob o título de A ARTE DE
CONHECER OS HOMENS PELA FISIONOMIA.
(sic.¨Tormentos da Obsessão¨ Manoel Philomeno de Miranda / Divaldo Franco,
p.123/124 - 1ª edição - LEAL)

sábado, agosto 19, 2006


Eu Amo o Pequeno Príncipe ...
Existe algo mais delicado , que o simbolismo da sua rosa?
Sempre faço uma analogia entre os baobás da obra " O Pequeno Príncipe" , com nossas imperfeições...
Só posso desejar que diante das propostas de progresso espiritual, diariamente possamos destruir os pequenos "baobás" , que tentam renascer em nosso íntimo...

Carinhosamente,

Gabi

sexta-feira, agosto 18, 2006

AOS QUE PASSAM PELA NOSSA VIDA

AOS QUE PASSAM PELA NOSSA VIDA...

Cada um que passa em nossa vida passa sozinho...
Porque cada pessoa é única para nós,
e nenhuma substitui a outra.

Cada um que passa em nossa vida passa sozinho,
mas não vai só...

Levam um pouco de nós mesmos
e nos deixam um pouco de si mesmos.

Há os que levam muito,
mas não há os que não levam nada.

Há os que deixam muito,
mas não há os que não deixam nada.

Esta é a mais bela realidade da vida...
A prova tremenda de que cada um é importante
e que ninguém se aproxima do outro por acaso...


Antoine De Saint Exupéry

terça-feira, agosto 15, 2006

OS QUE NÃO PERDOAM



A fim de que não percam a condição de vítima,
há os que não perdoam.

Com o propósito de despertar a compaixão alheia,
estimam viver com os sentimentos feridos.
Evocam, com freqüência, a ingratidão de que foram alvo e,

ao descrevê-la, comovem-se às lágrimas.

De caso pensado, negam ao ofensor a oportunidade da reparação.

Fogem à reaproximação promovida por amigos comuns.

Dificultam, ao máximo, a possibilidade do entendimento.

Cobrem-se de razão,
não admitindo sequer a hipótese de que possam ter
alguma parcela de culpa.

Ofendidos uma única vez,
não hesitam em ofender sucessivas vezes em revide.

Estabelecem um preço excessivamente alto
a quem os tenha magoado por bagatela.

Não entendem o perdão como dádiva,
mas como mercadoria negociável

Esses irmãos, aos quais nos referimos,
mantêm o rancor como trunfo em seu relacionamento com os outros.

Perdoam ou não perdoam,
segundo interesses e conveniências que sopesam meticulosamente.


Irmão José


::Do Livro: Dias Melhores ::Psicografia: Carlos A. Bacelli:: Mensagem do Grupo Espírita Renascer/MG::

PARA VIVER BEM


Sentimos a vida de acordo como sentimos a Deus


PARA VIVER BEM...

Reflita: os sentidos com que a natureza nos brindou são
de suma importância para a manutenção harmoniosa da vida.

O paladar quando bem utilizado fornece sucos que auxiliam
a digestão do alimento,
mas quando se exagera na quantidade...

A visão auxilia-nos a nos relacionarmos com o mundo exterior,
mas quando a utilizamos para cobiçar o que não nos pertence...

A audição dá-nos entendimento para nos relacionarmos uns com os outros,
mas quando deixamos a maledicência entrar por essa porta...

A natureza nos brinda com as melhores ferramentas,
mas aprender a usa-las é função nossa.

Humberto Pazian

Texto extraído do livro Para viver bem... p. 126::Letras & Textos Editora::Autor: Humberto Pazian :: Mensagem do Grupo Espírita Fraternidade de Assis::

domingo, agosto 13, 2006


A ESCOLA TERRESTRE


A vida terrestre é uma escola.
Um meio de educação e de aperfeiçoamento pelo trabalho,
pelo estudo e pelo sofrimento.

Não há felicidade nem mal eternos.

A recompensa ou o castigo consistem na extensão
ou no encurtamento das nossas faculdades,
do nosso campo de percepções,
resultantes do bom ou do mal uso que houvermos feito
do nosso livre-arbítrio e das aspirações ou tendências
que tivermos em nós desenvolvido.

Livre e responsável a alma traz em si a lei dos seus destinos,
prepara no presente as alegrias ou as dores do futuro.

A vida atual é a conseqüência,
a herança das nossas vidas precedentes e a condição das
que se lhe devem seguir.

O espírito se esclarece,
se engrandece em potências intelectuais e morais na medida
do trajeto efetuado e da impulsão dada aos seus atos para o
bem e para a verdade.

Leon Denis


MEU PAI, MEU AMIGO E MEU HERÓI !!!

Pai , neste dia destinado a comemoração do seu dia,
receba todo o meu carinho, acrescido das vibrações dos
Amigos Espirituais, que você tanto me ensinou a respeitar
e a amar!

Jamais me esquecerei da frase : " Suas mãos são alavancas de progresso,
com elas você transforma a natureza e deixa suas marcas no mundo"...

Que as vibrações de Paz e Amor de Jesus e da Mãe Santíssima
o envolvam e fortaleçam sempre e que a alegria e o desejo de
trabalhar e servir, estejam sempre presentes em todos os seus
momentos !

Agradeço a Deus por ter me confiado a um pai como você!

Te amo muito!

Gabi

sábado, agosto 12, 2006


O importante é estar satisfeito consigo mesmo


PARA VIVER BEM...



Procure não se incomodar com o que dizem
ou pensam a seu respeito.

Seja autêntico, leal, sincero
e continue a superar seus obstáculos.

Todo aquele que se destaca,
que sobressai da massa comum,
assim como é venerado e aplaudido por muitos,
é também objeto de inveja e críticas por parte de outros.

Não se pode contentar a todos,
pois nem sempre os objetivos são iguais.

Mire-se nos grandes exemplos de humanidade
e siga seu caminho sem dar ouvidos às críticas destrutivas.


Humberto Pazian


Texto extraído do livro Para viver bem... :: p. 124 ::Letras & Textos EditoraAutor:: Humberto Pazian

quarta-feira, agosto 09, 2006



ESMORECER NUNCA


Referes-te aos Mundos Superiores do Espaço Cósmico,
qual se a Terra não estivesse localizada nos Céus.
E pensas nos Espíritos Angélicos,
à feição de inatingíveis ministros do Eterno,
mensageiros de forças prodigiosas que jamais alcançarás.

Entretanto, guardas contigo a mesma condição de imortalidade,
tocada de dons sublimes que podes claramente desenvolver ao infinito.

Por essa razão, convém saibas que,
por muito extensas se te façam as necessidades e as lágrimas,
carregas contigo o mais alto poder da vida.

Não creias compartilhem dele tão-somente os sábios e os justos,
os santos e os heróis.
Por mais ínfima se te mostre a situação,
hei-lo contigo por marca de tua origem celeste.

Mesmo que estejas atravessando rudes e escabrosos caminhos
de cinza e pranto, para que te soergas de quedas clamorosas,
exibindo sinais de poeira e fel,
ninguém te pode subtrair essa herança do Criador,
de cujo hálito nasceste.

Detém-te a pensar nisto e nunca esmoreças.
Ainda que os imperativos da experiência humana

te hajam arrojado de luminosas eminências do serviço
aos degraus mais obscuros do recomeço,
mergulha o próprio coração nas fontes da esperança e rejubila-te,
porque Deus te dotou com o Divino privilégio de trabalhar e auxiliar.

Meimei


::Do livro “Coragem” :: psicografado por Chico Xavier::

sábado, agosto 05, 2006

TEU CORPO


TEU CORPO

Não menosprezes teu corpo, a pretexto de ascensão à virtude.
Recorda que a semente responsável pelo pão que te supre a mesa,

em muitas ocasiões, se valeu do adubo repelente a fim de poder
servir-te e que a água a derramar-se do vaso para acalmar-te a sede,
quase sempre, foi filtrada no charco, para que a secura não te arruinasse
a existência.

O corpo físico é o santuário em que te exprimes no mundo.
Não olvides semelhante verdade para que não respondas

com o desleixo à Previdência Divina que, com ele,
te investiu na posse de valiosos recursos para o teu aperfeiçoamento de espírito na vida imperecível.

Realmente, as almas vacilantes na fé e ainda aprisionadas às teias
da ignorância arrojam-no aos desvãos da aventura e da inutilidade,
mas os caracteres valorosos e acordados para o bem,
dele fazem o precioso veículo para o acesso às alturas.

Com o corpo terrestre, Maria de Nazaré honorificou a missão da Mulher,
recebendo Jesus nos braços maternais e
Paulo de Tarso exalçou o Cristianismo nascente,
atingindo o heroísmo e a sublimação...

Com ele Francisco de Assis imortalizou a bondade humana;
Jordano Bruno lobrigou a multiplicidade dos mundos habitados;
Galileu observou o movimento da Terra em plena vida cósmica;
Vicente de Paulo teceu o poema inesquecível da caridade e
Beethoven trouxe ao ouvido humano as melodias celestiais...

Lembra-te de que teu corpo é harpa divina.
E ao invés de lhe condenares as cordas ao abandono

e à destruição, tange nelas, com o próprio esforço,
o hino do trabalho e da fraternidade, da compreensão e da luz,
que te fará nota viva e harmoniosa na sintonia de amor universal
com que a Beleza Eterna exalta incessantemente a Sabedoria Infinita de Deus.

Emmanuel



::Psicografia de Francisco Cândido Xavier:: Do livro: Viajor ::

terça-feira, agosto 01, 2006


Quem cria nossos limites somos nós mesmos


PARA VIVER BEM ...


O barro modelado por hábeis mãos,
transforma-se em rude material
pisoteado por todos.

Transforma-se, também, em belos utensílios
e objetos de adorno colocados em local de destaque nos lares,
para que todos possam observá-los em sua beleza.

Assim é a mente do homem de simples origem.

Pode sair da posição em que se encontra através do seu pensar
e com as ferramentas que possui dentro de si.

Pode, com fé, pensamento positivo e determinação
alçar posições de destaque no mundo.

Tudo é possível àquele que crê.


Humberto Pazian



::Texto extraído do livro Para viver bem... página 122::Letras & Textos EditoraAutor: Humberto Pazian::

::Mesagem recebida dos companheiros do Grupo Espírita Fraternidade de Assis::



RENASCE AGORA


A própria Natureza apresenta
preciosas lições, nesse particular.

Sucedem-se os anos com
matemática precisão, mas
os dias são sempre novos.

Dispondo, assim de trezentas e
sessenta e cinco ocasiões de
aprendizado e recomeço, anual-
mente, quantas oportunidades
de renovação moral encontrará
a criatura, no abençoado
período de uma existência?

Conserva do passado o que
for bom e justo, belo e nobre,
mas não guardes do pretérito
os detritos e as sombras, ainda
mesmo quando mascarados
de encantador revestimento.

Se é possível, não deixes para
depois os laços de amor e paz
que podes criar agora,
em substituição às pesadas
algemas do desafeto.

Deixa-te reviver, cada dia,
na corrente cristalina
e incessante do bem.

Renasce agora em teus pro-
pósitos, deliberações e atitudes, trabalhando para superar os
obstáculos que te cercam e
alcançando a antecipação
da vitória sobre ti mesmo,
no tempo...

Emmanuel




Renascer para a vida
é conquistá-la a cada dia.

São múltiplas as oportunidades
que se nos deparam... cabendo a nós
identificá-las, selecioná-las
e aconchegá-las.

São sementes que plantamos no
nosso caminhar, que se transformam
em frutos de conquista para
o ser imortal.

Que você possa descobrir-se
capaz de conquistas e vitórias.

Que você possa
ampliar-se e iluminar-se,
elevando-se e integrando-se
com o Universo e com Deus.

Tenha uma semana pródiga,
plena de alegrias e
fértil em realizações.