Pachelbel - Canon In D Major

sexta-feira, outubro 20, 2017

No Exame do Bem - Emmanuel






No Exame do Bem

Emmanuel


Mal e bem!...


Vejamos alguns daqueles que são responsáveis pelo mal, conquanto, de algum modo, se relacionem com o bem:


· Os que falam bem e não agem bem;


· Os que vivem no bem de si, conscientemente foragidos do trabalho pelo bem dos outros;


· Os que apregoam o bem sem cultivá-lo;


· Os que se apresentam bem e não se comportam bem;


· Os que acreditam no poder do bem e exploram o bem do poder;


· Os que se apoiam no bem do dinheiro, sem distribuir o dinheiro do bem;


· Os que destacam o bem da ciência e ridicularizam a ciência do bem;


· Os que identificam claramente o bem e não procuram o bem naquilo que enxergam e naquilo que escutam;


· Os que se instruem bem e não ensinam bem;


· Os que sabem onde se encontra o bem e não se dispõem a preservá-lo;


· Os que se afligem pelo bem-estar, segundo o conforto próprio, e não se preocupam em estar bem, conforme a justiça.


O mal que surge nos que desconhecem o bem é fruto da ignorância.


O mal verdadeiro, o mal que se consolida qual moléstia minaz no organismo do mundo, é sempre o resultado de nossas atitudes, quando conhecemos o bem e apontamos a necessidade do bem, sem vontade e sem coragem de praticá-lo.



XAVIER ,Francisco Cândido ditado pelo Espírito Emmanuel. Hoje , p. 11.



quinta-feira, outubro 19, 2017

Nós e os Outros - Emmanuel





Nós e  os Outros


Emmanuel


Quando te sintas à beira de pesar e desânimo, diante dos contatos sociais menos felizes, reflete na importância dos outros.


Certamente, não nos é lícito aceitar os golpes e os preconceitos que os irmãos menos esclarecidos nos queiram impor, de vez que atendemos ao tato fraterno, em bases de respeito e discernimento.


Não podemos, no entanto, esquecer que os outros são para nós:


· Os companheiros do caminho;


· Os associados de ideal;


· Os colegas de aprendizado;


· Os fornecedores de serviço;


· Os mensageiros do pensamento que arremessamos na direção do futuro;


· Os ouvintes de nossas palavras;


· Os leitores das páginas que mais amamos;


· Os simpatizantes da causa a que empenhamos o coração;


· Os consumidores de nossas idéias;


· Os cultivadores dos princípios que nos clareiam a estrada;


· Os continuadores do esforço que nos marca a existência;


· Os amigos de nossas realizações...


Por muito te doam os desencantos adquiridos na comunidade social, que, aliás, correspondem a preciosas lições de que todos temos necessidade, na escola da experiência, medita na importância dos outros!... 


Eles são efetivamente nossos irmãos e tudo aquilo que fizermos aos outros, determinam as leis da vida seja debitado ou creditado, em nossa conta, diante da Humanidade – nossa família maior.




XAVIER ,Francisco Cândido ditado pelo Espírito Emmanuel. Hoje , p. 06.

Calma para o êxito - Joanna de Ângelis






Calma para o êxito


Joanna de Ângelis




Em todos os passos da vida, a calma é convidada a estar presente.






Aqui, é uma pessoa tresvairada, que te agride...





Ali, é uma circunstância infeliz, que gera dificuldade...


Acolá, é uma ameaça de insucesso na atividade programada...


Adiante, é uma incompreensão urdindo males contra os teus esforços...


É necessário ter calma sempre.


A calma é filha dileta da confiança em Deus e na Sua justiça, a expressar-se numa conduta reta que responde por uma atitude mental harmonizada.


Quando não se age com incorreção, não há por que temer-se acontecimento infeliz.


A irritação, alma gêmea da instabilidade emocional, é responsável por danos, ainda não avaliados, na conduta moral e emocional da criatura.


A calma inspira a melhor maneira de agir, e sabe aguardar o momento próprio para atuar, propiciando os meios para a ação correta.


Não antecipa, nem retarda.


Soluciona os desafios, beneficiando aqueles que se desequilibram e sofrem.


Preserva-te em calma, aconteça o que acontecer.


Aprendendo a agir com amor e misericórdia em favor do outro, o teu próximo, ou da circunstância aziaga, possuirás a calma inspiradora da paz e do êxito.




FRANCO, Joanna de Ângelis pelo Espírito Joanna de Ângelis.

quarta-feira, outubro 18, 2017

Felicidade - André Luiz





Felicidade

André Luiz





Em matéria de felicidade convém não esquecer


que nos transformamos sempre naquilo que amamos.


Quem se aceita como é, doando de si à vida o melhor


que tem, caminha mais facilmente para ser feliz


como espera ser.


A nossa felicidade será naturalmente proporcional


em relação à felicidade que fizermos para os outros.


A alegria do próximo começa muitas vezes no sorriso


que você lhe queira dar.


A felicidade pode exibir-se, passear, falar e


comunicar-se na vida externa, mas reside com endereço


exato na consciência tranqüila.


Se você aspira a ser feliz e traz ainda consigo


determinados complexos de culpa, comece a desejar


a própria libertação, abraçando no trabalho em favor


dos semelhantes o processo de reparação desse ou


daquele dano que você haja causado em prejuízo de alguém.


Estude a si mesmo, observando que o auto-conhecimento


traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.


Amor é a força da vida e trabalho vinculado ao amor


é a usina geradora da felicidade.


Se você parar de se lamentar, notará que a felicidade


está chamando o seu coração para vida nova.


Quando o céu estiver em cinza, a derramar-se em chuva,


medite na colheita farta que chegará do campo e na beleza


das flores que surgirão no jardim.





XAVIER, Francisco Cãndido- Pelo Espírito André Luiz -Da Obra Sinal Verde.

terça-feira, outubro 17, 2017

Ação de Paz - Joanna de Ângelis





Ação de Paz

Joanna de Ângelis



No teu círculo de amigos não faltam aqueles que cultivam a violência, a arrogância, o espírito perturbador...


Bulhentos, irrequietos, gostam de promover desordens sempre armados contra tudo e todos.


Cuidado com eles!


Aconselham a anarquia, estimulam as arruaças, encorajam a malquerença.


Não te inspires na sua poluição mental, responsável pelo seu comportamento alienado.


Trata-os com gentileza, no entanto poupa-te à sua convivência malfazeja.


Eles são cansativos pela instabilidade e exaurem aqueles que os cercam, em razão da agressividade em que se debatem.


*


Há quem aconselhe revide a qualquer ofensa; reproche a toda insinuação; respostas ácidas às provocações...


O fogo não se acaba, quando se lhe atira combustível.


Assim também acontece com o mal.


A única alternativa é a que decorre da ação do bem, que apaga as labaredas da violência e estabelece a paz na qual o progresso se firma.


*


És instrumento da vida, para a tua e a felicidade geral.


Esparze alegria, sem fomentar o pandemônio.


Irradia dignidade, sem carantonha ou simulação sisuda.


Favorece a paz, sem pieguismo ou receio da perturbação.


Tua realidade íntima, tua forma de vida pessoal.


Vive em paz, e apazigua todos quantos se acerquem de ti.




Divaldo Pereira Franco - Episódios Diários - Pelo Espírito Joanna de Ângelis p. 78- 79.

segunda-feira, outubro 16, 2017

Saúde - Joanna de Ângelis






 Saúde

Joanna de Ângelis


Estás mergulhado, psiquicamente, na Mente Universal e Divina.


Seguindo a diretriz ética do equilíbrio e da ordem, que flueme refluem em toda parte, respiras em clima de saúde e de paz.


Quando te desconectas do complexo mantenedor da harmonia que te envolve, desconcertam-se as peças da maquinaria física, face às vibrações violentas da mente, favorecendo a instalação das doenças.


A enfermidade, geralmente, procede do ser espiritual, resultante do seu passado, que encontra ressonância no psiquismo atual, gerando o campo propício à instalação da desordem.


*


Durante o dia, muitos fatores conspiram contra a tua harmonia mental, não te cabendo agasalhá-los.


Resolve, assim, cada situação, com calma e segurança, não guardando resíduos mentais negativos.


Fato consumado, mente liberada, em programação de novo cometimento superior.


A tua saúde depende sempre do teu comportamento moral e espiritual.


E, não obstante, se a enfermidade encontrar guarida no teu organismo, recorre à oração e resgata a tua dívida com alegria, em pleno processo de libertação total.


Divaldo Pereira Franco - Episódios Diários - Pelo Espírito Joanna de Ângelis 80.


domingo, outubro 15, 2017

Ser professor - Momento Espírita





Ser professor




Se alguém lhe perguntasse qual é a mais nobre das profissões, o que você responderia?


Talvez a resposta correta seja: Todas. Todas as que são exercidas com nobreza.


Todavia, há uma profissão da qual praticamente todas as demais dependem: é a de professor.


Esse profissional é o grande responsável pela formação intelectual dos seres que passam pelas salas de aula. E não são poucos.


O professor é quase um segundo pai e a professora, uma segunda mãe, pois ambos têm o poder de influenciar sobremaneira, na formação dos caracteres de seus alunos.


Por isso, a profissão do educador é uma das mais nobres e também de grande responsabilidade.


Se todo professor tivesse consciência da gravidade da ação que exerce sobre seus educandos, certamente a nossa sociedade seria melhor.


Não queremos dizer que toda responsabilidade pese sobre o professor, mas grande parte dela, já que os pais são os maiores responsáveis pela conduta moral dos filhos.


No entanto, há professores e professores.


Há aqueles que não passam de comerciantes da educação. 


Dão suas aulas como quem se desincumbe de pesado fardo, pensando no valor que recebem no final do mês.


Há os indiferentes, que dão aulas de forma maquinal, não se esforçam nem para sair da mesmice, que os alunos já não suportam mais.


Há aqueles que são o exemplo vivo da deseducação. 


Sentam-se na mesa, gritam para serem ouvidos, esmurram a mesa ou o quadro para chamar a atenção dos educandos.


Há também os que pensam que crianças são adultos em miniatura. 


Não usam a criatividade nem para buscar o aperfeiçoamento pessoal e fazem apenas o que seus superiores lhes ditam.


Ser professor, no verdadeiro sentido da profissão, é ajudar a formar cidadãos de bem.


É conhecer o aluno e procurar extrair o que tem de melhor em sua intimidade, ajudando-o a reformular o que tenha que ser repensado.


Ser professor é estar sempre em busca do próprio aperfeiçoamento, para melhor servir.


É buscar sempre o que tem de melhor, para oferecer aos seus educandos.


É jamais se conformar com os desafios, por mais imponentes que sejam.


Ser professor é descobrir em cada aluno seu universo de potencialidades e ajudá-lo a desenvolvê-las.


Ser professor é muito mais do que passar teorias e conceitos. É edificar pelo próprio exemplo.


É romper com os modelos ultrapassados de incutir na cabeça do educando fórmulas prontas. 


É incentivar a criatividade, permitindo o surgimento de mentes mais preparadas para a construção de um mundo novo, onde não haja lugar para o preconceito, para a hipocrisia, nem para a subjugação dos mais fracos.


Ser professor, finalmente, é poder aplicar o amor na sua mais expressiva manifestação de sublimidade. É fazer brilhar no íntimo de cada aluno, a chama sagrada que o Criador ali depositou.


*   *   *


O nobre professor é abençoado maestro que consegue retirar dessa harpa viva, que é o coração da criança, a mais sublime musicalidade.


Sabe dedilhar nas cordas mais sutis da alma juvenil, a canção do dever e da justiça.


Consegue despertar nas almas que lhe ouvem os sábios conselhos, a mais harmoniosa melodia da esperança, da fé e do amor sem limites.



Redação do Momento Espírita.Disponível em www.momento.com.br


*





Prece do Educador

Dora Incontri


“Senhor,


Que eu possa me debruçar sobre cada criança e sobre cada jovem, com a reverência que deve animar minha alma diante de toda criatura Tua!


Que eu respeite em cada ser humano de que me aproximar, o sagrado direito de ele próprio construir seu ser e escolher seu pensar!


Que eu não deseje me apoderar do espírito de ninguém, imprimindo-lhe meus caprichos pessoais, nem exigindo qualquer recompensa por aquilo que devo lhe dar de alma para alma!


Que eu saiba acender o impulso do progresso, encontrando o fio condutor de desenvolvimento de cada um, dando-lhes o que eles já possuem e não sabem, fazendo-os surpreenderem-se consigo  mesmos!


Que eu me impregne de infinita paciência, de inquebrantável perseverança e de suprema força interior para me manter sempre sob o meu próprio domínio, sem deixar flutuar meu espírito ao sabor das circunstâncias! 


Mas que minha segurança não seja dogmatismo e inflexibilidade e que minha serenidade não seja mormaço espiritual!


Que eu passe por todos sem nenhuma arrogância e sem pretensão à verdade absoluta, mas que deixe em cada um uma marca inesquecível, por ter transmitido alguma centelha de verdade e todo o meu amor!”



INCONTRI, Dora . “A Educação Segundo o Espíritismo” .FEESP 1ª ed. 1997.