Pachelbel - Canon In D Major

segunda-feira, dezembro 31, 2012

Reflexão de Ano Novo : Renascer Agora – Emmanue







Renascer Agora

Emmanuel

"Aquele que não renascer de novo não pode ver o Reino de Deus" -  Jesus (João,3:3)


A própria natureza apresenta preciosas lições,nesse particular. Sucedem-se os anos com matemática precisão,mas os dias são sempre novos.


Dispondo, assim, de trezentas e sessenta e cinco ocasiões de aprendizado e recomeço,anualmente, quantas oportunidades de renovação moral encontrará a criatura,no abençoado período de uma existência?


Conserva do passado o que for bom e justo, belo e nobre,mas não guardes do pretérito os detritos e as sombras,ainda mesmo quando mascarados de encantador revestimento.


Faze por ti mesmo, nos domínios da tua iniciativa pela aplicação da fraternidade real, o trabalho que a tua negligência atirará fatalmente sobre os ombros de teus benfeitores e amigos espirituais.


Cada hora que surge pode ser portadora de reajustamento.


Se é possível,não deixes para depois os laços de amor e paz que podes criar agora,em substituição as pesadas algemas do desafeto.


Enquanto nos demoramos na fortaleza defensiva,o adversário cogita de enriquecer as munições, mas se descemos à praça, desassombrados e serenos, mostrando novas disposições na luta, a idéia de acordo substitui, dentro de nós e em torno de nossos passos,a escura fermentação da guerra.


Alguém te magoa? Reinicia o esforço da boa compreensão.


Alguém te não entende? Persevera em demonstrar os intentos mais nobres.


Deixa-te reviver, cada dia, na corrente cristalina e incessante do bem.


Não olvides a assertiva do Mestre: -"Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus."


Renasce agora em teus propósitos, deliberações e atitudes, trabalhando para superar os obstáculos que te cercam e alcançando a antecipação da vitórias sobre ti mesmo, no tempo...


Mais vale auxiliar, ainda hoje, que ser auxiliado amanhã.




XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel.

Oração no Ano Novo - Joanna de Ângelis






Oração no Ano Novo

Joanna de Ângelis


Senhor Jesus!


Ante as promessas do ano que se inicia, não nos permitas que esqueçamos aqueles com quem nos honraste o caminho iluminativo:


as mães solteiras, desesperadas, a quem prometemos o pão do entendimento;


as crianças delinqüentes que nos buscaram com a mente em desalinho;


os calcetas que, vencidos em si mesmos, nos feriram e retornaram às nossas portas;


os enfermos solitários, que nos fitaram, confiantes em nosso auxílio;


os esfaimados e desnudos que chegaram até nossas parcas provisões;


os mutilados e tristes, ignorantes e analfabetos, que nos visitaram, recordando-nos de Ti...


Sabemos, Senhor, o pouco valor que temos, identificamo-nos com o que possuímos intimamente, mas, contigo, tudo podemos e fazemos. Ajuda-nos a manter o compromisso de amar-Te, amando neles toda a família universal em cujos braços renascemos.




"Seja o que for que peçais na prece, crede que obtereis e concedidos vos será o que pedirdes".Marcos: 11-24.


"Pela prece, obtém o homem o concurso dos bons Espíritos que acorrem a sustentá-lo em suas boas resoluções e a lhe inspirar idéias sãs". Evangelho Segundo O Espiritismo - Cap. XXVII - Item 11.





FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis . Do livro: Florações Evangélicas.

Iniciando um Novo Ano - Momento Espírita






Iniciando um Novo Ano



Toda vez que o ano vai chegando ao fim, parece que todos vamos manifestando cansaço maior.


Seja porque as festas se multipliquem (são formaturas, casamentos, jantares de empresas), seja porque já nos vamos preparando para as viagens de férias de logo mais.


De uma forma ou de outra, é comum se escutar as pessoas desabafarem dizendo que desejam mesmo que se acabe logo o ano.


Quem muito sofreu, deseja que ele se acabe e aguarda dias novos, de menos dores.


Quem perdeu amores, deseja que ele se acabe de vez, na ânsia de que os dias que virão consigam trazer esperanças ao coração esfacelado pelas ausências.


Quem está concluindo algum curso e deu o máximo de si, deseja que os meses que se anunciam cheguem logo, para descansar de tanto esforço.


E assim vai. Cada um vai pensando no ano que se finda no sentido de deixar algo para trás. Algo que não foi muito bom.


Naturalmente, muitos são os que veem findar os dias do ano com contentamento, pois eles lhe foram propícios. Esses, almejam que os dias futuros reprisem esses valores de alegria, de afeto, de coisas positivas.


Ano velho, ano novo. São convenções marcadas pelo calendário humano, em função dos movimentos do planeta em torno do astro rei.


Contudo, psicologicamente, também nos remetem, sim, a um estado diferente.


Como Deus nada faz, em Sua sabedoria, sem um fim útil, também assim é com a questão do tempo como o convencionamos.


Cada dia é um novo dia. A noite nos fala de repouso. A madrugada nos anuncia oportunidade renovada.


Cada ano que finda nos convida a deixarmos para trás tudo de ruim, desagradável que já vivenciamos, permitindo-nos projetar planos para o futuro próximo.


Por tudo isso, por esta ensancha que a Divindade nos permite a cada trezentos e sessenta e cinco dias, nesta Terra, pense que você pode melhorar a sua vida no ano que se anuncia.


Comece por retirar de sua casa tudo que a atravanca. Libere-se daquelas coisas que você guarda nos armários, na garagem, no fundo do quintal.


Coisas que estão ali há muito tempo, que você guarda para usar um dia. Um dia que talvez nunca chegue. Pense há quanto tempo elas estão ali: meses, anos... Esperando.


São roupas, calçados, livros, discos antigos, utensílios que você não usa há anos. Libere armários, espaços.


Coisas antigas, superadas são muito úteis em museus, para preservação da memória, da evolução da nossa História.


Doe o que possa e a quem seja mais útil.


Sinta o espaço vazio, sinta-se mais leve.


Depois, pense em quanta coisa inútil você guarda em seu coração, em sua mente.


Mágoas vividas, calúnias recebidas, mentiras que lhe roubaram a paz, traições que o deixaram doente, punhais amigos que lhe rasgaram as carnes da alma...


Alije tudo de si. Mentalmente, coloque tudo em um grande invólucro e imagine-se jogando nas águas correntes de um rio caudaloso que as levará para além, para o mar do esquecimento.


Deseje para si mesmo um ano novo diferente. E comece leve, sem essa carga pesada, que lhe destrói as possibilidades de felicidade.


Comece o novo ano olhando para frente, para o alto. Estabeleça metas de felicidade e conquistas.


Você é filho de Deus e herdeiro do Seu amor, credor de felicidade.


Conquiste-a. Abandone as dores desnecessárias, pense no bem.


Mentalize as pessoas que são amigas, que o amam, lhe querem bem.


Programe-se para estar mais com elas, a fim de, fortalecido, alcançar objetivos nobres.


Comece o ano pensando em como você pode influenciar pessoas, ambientes, com sua ação positiva.


Programe-se para vencer. Programe-se para fazer ouvidos moucos aos que o desejam infelicitar e avance.


Programe-se para ser feliz. O dia surge. É ano novo. Siga para a luz, certo que com vontade firme, desejo de acertar, Jesus abençoará as suas disposições.


É ano novo. Pense novo. Pense grande. Seja feliz.



Redação do Momento Espírita.Disponível no CD Momento Espírita, v. 13, ed. Fep.Disponível em www.momento.com.br

Começando o Ano Novo - Carlos Drumond de Andrade





Começando o Ano Novo


Carlos Drumond de Andrade




Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,


a que se deu o nome de ano,


foi um indivíduo genial.


Industrializou a esperança


fazendo-a funcionar no limite da exaustão.


Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar


e entregar os pontos.


Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,


com outro número e outra vontade de acreditar


que daqui para adiante vai ser diferente...


Para você, desejo o sonho realizado.


O amor esperado.


A esperança renovada.


Para você, desejo todas as cores desta vida.


Todas as alegrias que puder sorrir.


Todas as músicas que puder emocionar.


Para você neste novo ano,


desejo que os amigos sejam mais cúmplices,


que sua família esteja mais unida,


que sua vida seja mais bem vivida.


Gostaria de lhe desejar tantas coisas.


Mas nada seria suficiente...


Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.


Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto,


ao rumo da sua FELICIDADE!!!"




domingo, dezembro 30, 2012

Criança - Momento Espírita






Criança


De tudo o que nos cerca na vida, um dos dons mais preciosos que Deus nos proporciona é a presença da criança.


Ela tem o dom especial de dar sabor e graça a tudo. Contenta-se com tão pouco: um passeio, um por de Sol, um pacote de pipoca.


E tem a pretensão de que o mundo inteiro lhe pertence. É sua a árvore, a bola, a peteca. É seu o pássaro, o jardim. São seus o carro do papai e o batom da mamãe.


Uma criança nasce com um brilho angelical e mesmo crescendo, sempre fica um elo de luz suficiente para nos cativar o coração, mesmo que ela se sente no lodo, chore a todo o volume, faça um berreiro ou ande pela casa se gabando depois de vestir as melhores roupas e sapatos de sua mãe ou de seu pai.


Ela pode ser a mais carinhosa do mundo e parecer a mais ingênua, até o ponto de esgotar a nossa capacidade de responder perguntas.


Quando está brincando, produz todo tipo de ruídos que nos colocam os nervos à flor da pele.


Quando a repreendem ela fica quietinha, faz beicinho, carinha de choro. Mas continua com esse brilho angelical nos olhos.


Ela é a inocência jogada na terra, a beleza fazendo cambalhotas e também a mais doce expressão do amor materno, quando acaricia e faz dormir a sua boneca ou o seu bichinho de pelúcia.


Quando Deus a cria, utiliza uma parte da matéria-prima de muitas de suas criaturas. Usa os gorjeios do sabiá e os saltos do gafanhoto, a curiosidade e a suavidade do gato, a ligeireza do antílope e a teimosia de uma mulinha.


Gosta de sapatos novos, de sorvete, brinquedos, do jardim de infância, dos companheiros de folguedos e de correr atrás dos pombos e do gatinho.


Adora livros de colorir, as lições de dança, a bola e o patinete.


Ama a praia, o sol, o mar, as férias, o luar e as estrelas.


Não gosta que lhe penteiem o cabelo e é a mais ocupada criatura na hora de ir para a cama, porque sempre precisa acabar alguma coisa que ainda nem começou.


Ninguém nos dá maiores aflições ou alegrias, desgosto ou satisfações ou o mais legítimo orgulho.


Pode bagunçar nossos papéis de trabalho, o cabelo e a roupa. É especialista em nos pedir tempo para compartilhar das suas brincadeiras e tem uma fértil imaginação.


Às vezes, pode parecer uma calamidade que quase nos desespera com tantos ruídos e travessuras.


Mas quando sentimos que as nossas esperanças e desejos estão a ponto de cair por terra, quando o mundo parece que se fecha para nós; quando chegamos a pensar que o fracasso logo nos alcançará, ela nos converte em majestades, quando se senta em nossos joelhos, passa os bracinhos pelo nosso pescoço e pede para contar um segredo no ouvido, e diz: Eu te amo!



***



As crianças são como espelhos. Na presença do amor, refletem o amor. Quando o amor está ausente, elas nada têm a refletir.


Guardamos sérias responsabilidades para com esses espíritos que nos foram confiados por Deus, nosso Pai,.


Na condição de pais, é nosso dever guia-os pelos caminhos do bem, falar-lhes de responsabilidades e dos objetivos da vida.


E a melhor forma de ensinar é exemplificar. E exemplificar exige que se dedique tempo e amor aos nossos filhos.




Equipe de Redação do Momento Espírita, a partir do texto da autoria de Juan Alfonso Astiazarán, intitulado “Que é uma menina?”, da obra Um presente especial, de Roger Patrón Luján.Disponível em www.momento.com.br.

Descansa criança - Momento Espírita




Descansa criança

 
Os dias agitados e as preocupações, muitas vezes, nos levam para bem distante dos sonhos acalentados na infância.



As alegrias da meninice há muito foram tragadas pelo tempo, implacável, que exige cada vez mais concentração nas questões do dia-a-dia.



As responsabilidades, naturalmente, foram ocupando o lugar das brincadeiras descontraídas e o sorriso inocente foi dando lugar a um cenho marcado pelas preocupações e as dores da caminhada.



O tempo, que se desenrolava sem pressa, agora cobra o seu tributo, exigindo cada vez mais a participação nas decisões sérias da vida.



Quando nos damos conta, aquela criança já partiu há muito...



Sentimos uma saudade imensa dos dias risonhos e parece impossível reviver os mesmos sonhos, as mesmas alegrias, as mesmas esperanças de outrora.



Parece que os anos roubaram a confiança que se tinha no futuro e a dureza insiste em se instalar no coração...



Os passos ligeiros e saltitantes, agora são lentos e arrastados...



E aquela criança, onde está?



Ainda é possível dar um tempo e acordar a criança que dorme, na intimidade desse adulto tão mergulhado nas questões amargas.



Deixa tua dureza derreter-se frente ao novo que te é dado, dia após dia.



Para isso, basta buscar um lugar que te permita ouvir as águas rolando nos seixos. Elas trazem uma canção que o teu coração já conhece...



Observa o vento que balança as folhas das árvores... É o mesmo que toca tua fronte iluminada.



Acompanha o voo do pássaro sob o céu, e sente... O teu Espírito é tão livre quanto ele.



Sente o silêncio abençoado da natureza que te permite comungar com ela a quietude, a paz que vai em teu ser.



Olha as flores, mistura tuas cores e cria teu próprio arco-íris.



Deixa teu coração presente em tuas palavras, em tuas decisões, em teus silêncios.



Deixa a saudade vir e te avisar de um tempo precioso, onde viveste em liberdade, em alegria e vê... Ainda é tempo de ser feliz.



Relembra tua história e o caminho que fizeste...



Quanto aprendeste, quanto mudaste e quanto ainda há por ser feito.



O tempo não para, ele continua fiel à sua natureza: sê também fiel à tua natureza e resgata tuas fontes cristalinas, tua alegria generosa, tua confiança no agora, tua dança, tua segurança em ti mesmo.



O mundo não tem outro propósito senão o de te ensinar que és a criança de Deus, e para a criança de Deus toda a criação é presente, todo amor é dado.



Descansa, criança!



Teu jardim ainda é o mais bonito e floresce mansamente aos olhos Daquele que tem por alegria olhar, amar e cuidar de todas as tuas flores.


*   *   *


Dedica tempo para trabalhar, esse é o preço do triunfo.


Encontra tempo para pensar, o pensamento é a fonte do poder.


Permite-te um tempo para brincar, esse é o segredo da eterna juventude.


Arranja tempo para ler. A leitura nobre é o fundamento da sabedoria.


Permite-te um tempo para ser amigo, esse é o caminho da felicidade.


Encontra tempo para sonhar... E viaja rumo às estrelas.


Encontra tempo para amar e ser amado, esse é um privilégio dos filhos de Deus.


Reserva um tempo para olhar ao redor, o dia é muito curto para ser egoísta.


Invista boa parte do seu tempo para sorrir, pois o sorriso é a música da alma.




Redação do Momento Espírita com base em texto de autoria desconhecida e em  oração irlandesa. Disponível em www.momento.com.br.

Os Pedidos da infância - Momento Espírita






Os Pedidos da infância


O mundo adulto é, por vezes, sombrio. Envoltos na capa das preocupações, os homens se permitem a depressão, o estresse, o cansaço da vida.



Nesse ritmo, os dias se sucedem aos dias, enquanto o entusiasmo fica depauperado e as horas se arrastam, pesadas.



Há quem, tendo vencido uma etapa maior de anos, se mostre totalmente em desalento, com a certeza de que dias melhores não virão jamais.



E dizem: Ainda bem que não tenho mais tantos anos para viver. Ainda bem que não verei os anos futuros. Pobres de meus netos que terão que aguentar isso tudo!



Ao lado desses que já desistiram de viver, apenas sobrevivendo a cada dia, existe uma outra classe de pessoas bem diferente.



Essa é entusiasta, alegre e tem a certeza absoluta de que o céu é azul, os sonhos são cor-de-rosa e o mundo é uma rica promessa de venturas.



Essa classe é composta pelas crianças das mais variadas idades. Desde os bebês, que estão descobrindo o mundo e que riem por tudo e por nada.



Riem porque o cachorro lhes lambe o rosto; porque o brinquedo caiu e fez um barulho esquisito; porque alguém lhes faz cócegas.



Essa classe sabe viver cada dia com intensidade.



Quando vai a uma festa, não se importa com a roupa, nem com o que será servido.



O que deseja é estar com os amigos e brincar. Amigos que podem ser de longa data. Amigos que pode fazer na hora, simplesmente a partir de um convite tentador: Quer brincar comigo?



Ao final do dia, depois das brincadeiras, das risadas, o estômago diz que é preciso comer.



E todos os que fazem parte dessa privilegiada faixa etária chamada infância vão à mesa. Com gosto e com vontade.



Cachorro-quente, brigadeiro, bolo, suco. Tudo serve para se deliciar.


E todos eles comem com os olhos, com as mãos, antes mesmo de levarem à boca o alimento.



Criança é assim. Faz cada coisa a seu tempo e com prazer. Brinca, come, descobre as mil delícias de viver cada momento.



Essa classe dá lições de vida todos os dias. Não foi por outro motivo que a Sabedoria Nazarena afirmou que todo aquele que desejasse entrar no Reino dos Céus deveria se assemelhar a um menino.



É porque a infância enfrenta os perigos, os desafios, com a certeza da vitória.



Criança não pensa que será um fracasso. Ela joga para ganhar, ela canta para agradar, ela busca a proteção dos braços do amor para se abrigar e se entrega, em totalidade.



Adormece nos braços do aconchego, sem se preocupar se o hotel tem três ou cinco estrelas, se o quarto que lhe foi dado é pequeno ou grande.



E quando se entrega ao sono, faz a sua prece: Deus, obrigado pela vida.



Espero que ela tenha mais coisas boas do que ruins. Que todas as crianças tenham pais, que os pais sejam bons e as crianças, felizes.



Que sempre haja bastante brincadeira, festa, desenho animado, sorvete de chocolate e bolo na mesa de todas as crianças.



Agora eu vou dormir, Deus. Quando eu acordar, espero que o Senhor tenha já ouvido e atendido os meus pedidos.



Aprendamos com as crianças.




Redação do Momento Espírita. Disponível no livro Momento Espírita, v. 8, ed. Fep. Disponível em www.momento.com.br.

sábado, dezembro 29, 2012

Jesus sabe - Momento Espírita





Jesus sabe 



Quantas lágrimas você já verteu a sós, sem ninguém para lhe estender um ombro amigo, sem uma palavra de alento, sem nenhum consolo...


Considere, no entanto, que Jesus sabe...


Quando você descobre que seus amigos, nos quais você depositava a mais sincera confiança, lhe traem, e a amargura lhe visita a alma dolorida, no silêncio das horas... Jesus sabe.


Jesus conhece os mais secretos pensamentos e sentimentos de cada uma das ovelhas que o Pai Lhe confiou.


Jesus sabe das noites maldormidas, quando você se debate em busca de soluções para os problemas que lhe preocupam a mente...


Das dores que lhe dilaceram a alma, quando a solidão parece ser sua única companheira fiel, Jesus sabe...


Dos imensos obstáculos que você já superou, sem nenhuma estrela por testemunha, Jesus sabe...


Da sua sede de justiça, Jesus sabe.


Da sua luta para ser cada dia melhor que o dia anterior, Jesus sabe.


Jesus, Esse Irmão Maior, a quem o Pai confiou a Humanidade terrestre, conhece cada um dos Seus tutelados.


Se você sofreu algum tipo de calúnia, de injustiça, alguma punição imerecida, Jesus sabe.


Jesus conhece as suas horas de vigília ao lado do leito de um familiar enfermo...


Sabe da sua dedicação aos filhos, tantas vezes ingratos, ao esposo ou à esposa problemática.


Jesus sabe dos seus autoenfrentamentos para vencer os próprios vícios e as tendências infelizes.


Jesus conhece suas fraquezas, seus medos, suas chagas abertas, suas inseguranças...


Jesus sabe das muitas vezes que você persiste em caminhar, mesmo com os pés sangrando...


Jesus sabe o peso da cruz que você leva sobre os ombros...


Jesus sabe quantas gotas de lágrimas você já derramou por compaixão, sofrendo a dor de outros corações...


Jesus conhece suas muitas renúncias...


Suas amarguras não confessadas...


Jesus sabe das esperanças que você já distribuiu, dos alentos que você ofertou, das horas que dedicou voluntariamente a benefício de alguém...


Jesus conhece suas ações nobres e percebe o desdém daqueles que só notam e ressaltam suas falhas.


Jesus entende seu coração dorido de saudade, dilacerado pela solidão, amargurado pelas dificuldades que, às vezes, parecem intransponíveis...


Jesus sabe que todas as situações pelas quais você passa, são para seu aprendizado e para seu crescimento na direção da grande luz.


O Sublime Pastor conhece cada uma de Suas ovelhas e sabe o que se passa com cada uma delas.


Por isso Ele mesmo assegurou: Nunca estareis a sós.


Jesus é o Divino Amigo que nos segue os passos desde sempre e para sempre.


E nos momentos em que suas forças quiserem abandoná-lo, aconchegue-se junto ao Seu coração amoroso e ouça Sua voz a lhe dizer, com imensa ternura:


Meu filho, trace o seu sulco; recomece no dia seguinte o afanoso labor da véspera.


O trabalho das suas mãos lhe fornece ao corpo o pão terrestre; sua alma, porém, não está esquecida.


E eu, o jardineiro divino, a cultivo no silêncio dos seus pensamentos.


Quando soar a hora do repouso e a trama da vida se lhe escapar das mãos e seus olhos se fecharem para a luz, sentirá que surge em você, e germina, a minha preciosa semente.


Nada fica perdido no reino de nosso Pai e os seus suores e misérias formam o tesouro que o tornará rico nas esferas superiores, onde a luz substitui as trevas...


E onde o mais desnudo dentre vós será talvez o mais resplandecente.




Redação do Momento Espírita, com base no item 6, do cap. VI do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb. Disponível no cd Coletânea 8/9 do Momento Espírita e no livro Momento Espírita, v. 5, ed. Fep.Disponível em www.momento.com.br.