Pachelbel - Canon In D Major

sábado, maio 31, 2014

Regras de Felicidade - André Luiz





Regras de Felicidade

André Luiz


Lembre-se de que os outros são pessoas que você pode auxiliar, ainda hoje, e das quais talvez amanhã mesmo você precisará de auxílio.


Todo solo responde não somente conforme a plantação mas também segundo os cuidados que recebe.



Aqueles que renteiam conosco nas mesmas trilhas evolutivas assemelham-se a nós, carregando qualidades adquiridas e deficiências que estão buscando liquidar e esquecer.

Reflita nos arranhões mentais que você experimenta quando alguém se reporta irrefletidamente aos seus problemas e aprenda a respeitar os problemas alheios.



Pensemos no bem e falemos no bem, destacando o lado bom dos acontecimentos, pessoas e coisas.

Toda vez que agimos contra o bem, criamos oportunidades para a influência do mal.



Mostremos o melhor sorriso - o sorriso que nos nasça do coração - sempre que entrarmos em contato com os outros.

Ninguém estima transitar sobre tapetes de espinhos.



Evitemos discussões.

Diálogo, na essência, é intercâmbio.



Se você tem algo de bom a realizar, não se atrase nisso.

Hoje é o tempo de fazer o melhor.



Estime a tarefa dos outros, prestigiando-a com o seu entusiasmo e louvor na construção do bem.

Criar alegria e segurança nos outros é aumentar o nosso rendimento de paz e felicidade.



Não contrarie os pontos de vista dos seus interlocutores
.
Podemos ter luz em casa sem apagar a lâmpada dos vizinhos.



Você é uma instituição com objetivos próprios dentro da Vida, a Grande Instituição de Deus.

Os amigos são seus clientes e se você procura ajudá-los, eles igualmente ajudarão você.


Se você sofreu derrotas e contratempos, apenas se deterá se quiser.

A Divina Providência jamais nos cerra as portas do trabalho e, se passamos ontem por fracassos e dificuldades em nossas realizações, o Sol a cada novo dia nos convida a recomeçar.




XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito  André Luiz. Do livro "Na era do Espírito".


sexta-feira, maio 30, 2014

Deus te Sustentará - Emmanuel





Deus te Sustentará

Emmanuel


"Se alguém cria meios de fazer-te chorar e procuras sorrir, em auxílio aos outros que necessitam de ti, Deus te revestirá de forças novas, a fim de que a paz esteja contigo..."



Se alguém te engana e perdoas a esse alguém, sem pedir contas, Deus te fortalecerá na jornada para a frente...


Se alguém cria meios de fazer-te chorar e procuras sorrir, em auxílio aos outros que necessitam de ti, Deus te revestirá de forças novas, a fim de que a paz esteja contigo.


Se alguém se te atravessa no caminho, apropriando-se de vantagens que talvez viessem a pertencer-te e sabes olvidar aborrecimentos e prejuízos em favor do contentamento alheio, Deus te guiará para conquistas mais valiosas.


Se alguém te censura, injustamente, e consegues esquecer azedumes e agravos, Deus te garantirá com energias novas para que prossigas em serviço, dissipando a sombra em que te buscam envolver.


Se alguém duvida de tua sinceridade e continuas servindo por amor a todos aqueles que confiam em ti, Deus te fará justiça no momento oportuno.


Se alguém te subtrai a estima e a presença daqueles que mais amas e aceitas a prova, compreendendo que os entes queridos podem ser felizes sem o teu devotamento. Deus te anestesiará o coração, a fim de que continues caminhando no rumo de alegrias maiores e mais belas do que quantas já conheceste.



À frente de quaisquer forças negativas, pensa no bem, desculpa e esquece, empenhando-te a construir e reconstruir em favor do melhor...


Ama compreendendo, para que possas realmente servir.


Em qualquer circunstância, recorda que Deus não nos abandona.


A cada novo dia, entrega-te a Deus e Deus te sustentará.





XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro "Tempo de Luz".

quinta-feira, maio 29, 2014

Faze Algo - Scheilla




Faze Algo

Scheilla



Não te deixes anular pelas horas vazias.


O comodismo é ponte para o remorso.


O tédio resulta da falta de iniciativa.


Ainda hoje, podes ser útil ao Bem, valendo-te dos recursos que possuis.


Uma palavra de consolo a quem sofre;


Um momento de atenção a quem experimenta o abandono;


Um simples pedaço de pão a quem tem fome.


São atitudes que podem te preencher por dentro, permitindo que alcances a plenitude interior.


Entretanto, se não te consideras em condições de ser útil aos outros, faze algo em favor de ti mesmo.


Evita o pessimismo;


Abre espaço para o estudo elevado;


Alimenta os ideais nobres;


Sintoniza com o Alto através da prece.


Lembra que a oportunidade que te sorri agora, convidando-te à paz e ao progresso, é única, cabendo a ti mesmo seguir para a felicidade ou a frustração, mediante a escolha que fizeres.





LEVY, Clayton pelo Espírito Scheilla . Novas Mensagens . A Mensagem do Dia – Vol. 2 .

quarta-feira, maio 28, 2014

Ação da Amizade - Joanna de Ângelis




Ação da Amizade

Joanna de Ângelis



A amizade é o sentimento que imanta as almas unas às outras, gerando alegria e bem-estar.


A amizade é suave expressão do ser humano que necessita intercambiar as forças da emoção sob os estímulos do entendimento fraternal.


Inspiradora de coragem e de abnegação. a amizade enfloresce as almas, abençoando-as com resistências para as lutas.


Há, no mundo moderno, muita falta de amizade!


O egoísmo afasta as pessoas e as isola.


A amizade as aproxima e irmana.


O medo agride as almas e infelicita.


A amizade apazigua e alegra os indivíduos.


A desconfiança desarmoniza as vidas e a amizade equilibra as mentes, dulcificando os corações.


Na área dos amores de profundidade, a presença da amizade é fundamental.


Ela nasce de uma expressão de simpatia, e firma-se com as raízes do afeto seguro, fincadas nas terras da alma.


Quando outras emoções se estiolam no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada dos homens que se estimam.


Se a amizade fugisse da Terra, a vida espiritual dos seres se esfacelaria.


Ela é meiga e paciente, vigilante e ativa.


Discreta, apaga-se, para que brilhe aquele a quem se afeiçoa.


Sustenta na fraqueza e liberta nos momentos de dor.


A amizade é fácil de ser vitalizada.


Cultivá-la, constitui um dever de todo aquele que pensa e aspira, porquanto, ninguém logra êxito, se avança com aridez na alam ou indiferente ao elevo da sua fluidez.


Quando os impulsos sexuais do amor, nos nubentes, passam, a amizade fica.


Quando a desilusão apaga o fogo dos desejos nos grandes romances, se existe amizade, não se rompem os liames da união.


A amizade de Jesus pelos discípulos e pelas multidões dá-nos, até hoje, a dimensão do que é o amor na sua essência mais pura, demonstrando que ela é o passo inicial para essa conquista superior que é meta de todas as vidas e mandamento maior da Lei Divina.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Da obra: Momentos de Esperança. LEAL.

terça-feira, maio 27, 2014

Amigo Ingrato - Joanna de Ângelis




Amigo Ingrato

Joanna de Ângelis 



Causa-te surpresa o fato de ser o teu acusador de agora, o amigo aturdido de ontem, que um dia pediu-te abrigo ao coração gentil e ora não te concede ensejo, sequer, para esclarecimentos.


Despertas, espantado, ante a relação de impiedosas queixas que guardava de ti, ele que recebeu, dos teus lábios e da tua paciência, as excelentes lições de bondade e de sabedoria, com as quais cresceu emocional e culturalmente.


Percebes, acabrunhado, que as tuas palavras foram, pelo teu amigo, transformadas em relhos com os quais, neste momento, te rasga as carnes da alma, ele, que sempre se refugiou no teu conforto moral.


Reprocha-te a conduta, o companheiro que recebeste com carinho, sustentando-lhe a fragilidade e contornando as suas reações de temperamento agressivo.


Tornou-se, de um para outro momento, dono da verdade e chama-te mentiroso.


Ofereceste-lhe licor estimulante e recebes vinagre de volta.


Doaste-lhe coragem para a luta, e retribui-te com o desânimo para que fracasses.


Ele pretende as estrelas e empurra-te para o pântano.


Repleta-se de amor e descarrega bílis na tua memória, ameaçando-te sem palavras.


*

Não te desalentes!


O mundo é impermanente.


O afeto de hoje torna-se o adversário de amanhã.


As mãos que perfumas e beijas, serão, talvez, as que te esbofetearão, carregadas de urze.


*

Há mais crucificadores do que solidários na via de redenção.


Esquecem-se, os homens, do bem recebido, transformando-se em cobradores cruéis, sem possuírem qualquer crédito.


Talvez o teu amigo te inveje a paz, a irrestrita confiança em Deus, e, por isto, quer perturbar-te.


Persevera, tranqüilo!


Ele e isto, esta provação, passarão logo, menos o que és, o que faças.


Se erraste, e ele te azorraga, alegra-te, e resgata o teu equívoco.


Se estás inocente, credita-lhe as tuas dores atuais, que te aprimoram e te aproximam de Deus.


*

Não lhe guardes rancor.


Recorda que foi um amigo, quem traiu e acusou Jesus; outro amigo negou-O, três vezes consecutivas, e os demais amigos fugiram dEle.


Quase todos O abandonaram e O censuraram, tributando-Lhe a responsabilidade pelo medo e pelas dores que passaram a experimentar. 


Todavia, Ele não os censurou, não os abandonou e voltou a buscá-los, inspirá-los e conduzi-los de volta ao reino de Deus, por amá-los em demasia.


Assim, não te permitas afligir, nem perturbar pelas acusações do teu amigo, que está enfermo e não sabe, porque a ingratidão, a impiedade e a indiferença são psicopatologias muito graves no organismo social e humano da Terra dos nossos dias.



FRANCO,  Divaldo Pereira  pelo Espírito Joanna de Ângelis. Da obra: Momentos de Felicidade. Salvador, BA: LEAL.

segunda-feira, maio 26, 2014

Auto-Encontro - Joanna de Ângelis





Auto-Encontro

Joanna de Ângelis



A ansiosa busca de afirmação da personalidade leva o indivíduo, não raro, a encetar esforços em favor das conquistas externas, que o deixam frustrado, normalmente insatisfeito.


Transfere-se, então, de uma para outra necessidade que se lhe torna meta prioritária, e, ao ser conseguida, novo desinteresse o domina, deixando-o aturdido.


A sucessão de transferências termina por exauri-lo, ferindo-lhe os interesses reais que ficam á margem.


Realmente, a existência física é uma proposta oportuna para a aquisição de valores que contribuem para a paz e a realização do ser inteligente. 


Isto, porém, somente será possível quando o centro de interesse não se desviar do tema central, que é a evolução.


Para ser conseguida, faz-se imprescindível uma avaliação de conteúdos, a fim de saber-se o que realmente é transitório e o que é de largo curso e duração.


Essa demorada reflexão selecionará os objetivos reais dos aparentes, ensejando a escolha daqueles que possuem as respostas e os recursos plenificadores.


Hoje, mais do que antes essa decisão se faz urgente, por motivos óbvios, pois que, enquanto escasseiam o equilíbrio individual e coletivo, a saúde e a felicidade, multiplicam-se os desaires e as angústias ceifando os ideais de enobrecimento humano.


Se de fato andas pela conquista da felicidade, tenta o auto-encontro.


Utilizando-te da meditação prolongada, penetrar-te-ás, descobrindo o teu ser real, imortal, que aguarda ensejo de desdobramento e realização.


Certamente, os primeiros tentames não te concederão resultados apreciáveis.


Perceberás que a fixação da mente na interiorização será interrompida, inúmeras vezes, pelas distrações habituais do intelecto e da falta de harmonia.


Desacostumado a uma imersão, a tua tentativa se fará prejudicada pela irrupção das idéias arquivadas no inconsciente, determinantes de tua conduta inquieta, irregular, conflitiva.


Concordamos que a criatura é conduzida, na maior parte das vezes, pelo inconsciente, que lhe dita o pensamento e as ações, como resultado normal das próprias construções mentais anteriores.


A mudança de hábito necessita de novo condicionamento, a fim de mergulhares nesse oceano tumultuado, atingindo-lhe o limite que concede acesso às praias da harmonia, do autodescobrimento, da realização interior.


Nessa façanha verás o desmoronar de muitas e vazias ambições, que cultivas por ignorância ou má educação; o soçobrar de inúmeros engodos; o desaparecer de incontáveis conflitos que te aturdem e devastam.


Amadurecerás lentamente e te acalmarás, não te deixando mais abater pelo desânino, nem exaltar pelo entusiasmo dos outros.


Ficarás imune à tentação do orgulho e à pedrada da inveja, à incompreensão gratuita e à inimizade perseguidora, porque somente darás atenção à necessidade de valorização do ser profundo e indestrutível que és.


Terminarás por te venceres, e essa será a tua mais admirável vitória.


Não cesses, portanto, logo comeces a busca interior, de dar-lhe prosseguimento se as dificuldades e distrações do ego se te apresentarem perturbadoras.



Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Joanna de Ângelis. Da obra: Momentos Enriquecedores.  Salvador, BA: LEAL, 1994

domingo, maio 25, 2014

Surge a Era Nova - Joanna de Ângelis





Surge a Era Nova

Joanna de Ângelis



O sol da esperança desbasta as trevas da ignorância.


Pequenos grupos de servidores verdadeiros do Evangelho, no silêncio da renúncia, estão levantando os pilotis sobre os quais será erguida a Era Nova.


Sem alarde, em luta ingente, esses corações convidados constituem segurança para o mundo melhor de amanhã.


Não obstante o vendaval, as ameaças do desequilíbrio e o predomínio aparente das forças da violência, o bem, como fluido de libertação, penetra todo o organismo terrestre preparando o mundo novo.


Não engrossam as fileiras dos desanimados, nem aplaudem a insensatez dos perversos ou apóiam a estultícia dos vitoriosos da ilusão.


Quem aprendeu a confiar em Jesus põe as suas raízes na verdade. São minoria, não, porém, grupo ao abandono.


Todos os grandes ideais da humanidade surgem em pequeninos núcleos, que se alargam em gerações após gerações.


O Cristianismo restaurado, por sua vez, é a doutrina do amanhã, no enfoque espírita, porque, enquanto a mensagem de Jesus teve de destruir as bases do paganismo para erguer o santuário do amor, o Espiritismo deve apenas erigir, sobre o Cristianismo, o templo luminoso da caridade.


Chamados para este ministério, não duvidam, alegrando-se por ter seus nomes inscritos, como diz o Evangelho, no livro do reino dos céus e serem conhecidos do Senhor.


Nossa Casa tem ação. É hoje reduto festivo, santuário que alberga Espíritos mensageiros da luz, oficina onde se trabalha, escola de educação e hospital de recuperação de vidas.


Com outros Obreiros aqui temos estado, mantendo a chama da verdade acesa - como ocorria com os antigos faróis com a flama ardente, apontando a entrada dos portos e mais tarde dando notícias dos recifes e perigos do mar.


Filhos da alma, nunca desistam de fazer o bem, face ao aparente triunfo do mal em desgoverno, em torno de suas vidas.


Passada a tempestade, a luz volta a fulgir.


A sombra é somente ausência da claridade. 


Não é real.


Só Deus é Vida; somente o Bem é meta.



FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito  Joanna de Ângelis. Livro Momentos Enriquecedores.

sábado, maio 24, 2014

Teoria e prática - Joanna de Ângelis




Teoria e prática

Joanna de Ângelis



O conhecimento liberta da ignorância. 


Todavia, somente a sua aplicação liberta do sofrimento.


Há uma expressiva diferença entre a teoria e a prática, em todos os segmentos da humanidade.

*

A teoria ensina. 


Porém, a prática afere-lhe o valor.


Não basta saber. É imprescindível utilizar o que se conhece.


O conhecimento, em verdade, amplia os horizontes do entendimento. 


Não obstante, a sua aplicação alarga as paisagens da vida.


A mente conhecedora deve movimentar as mãos no uso desses valiosos recursos.


*

O conhecimento de importância é aquele que pode mover essas conquistas em favor do bem do seu possuidor, assim como do meio social onde este se encontra.


Nula é a informação que não produz bênçãos, nem multiplica as disposições da pessoa para a ação útil.


*


Conhecendo saberás que a tua renúncia auxilia a comunidade, sem que esperes a abnegação dos outros a teu benefício.


O conhecimento superior estimula à imediata atividade.


Acumular informações sem finalidade prática, transforma-se em erudição egoísta que trabalha em benefício da presunção.


*


Tens a obrigação de conhecer para viver. 


Simultaneamente, deves viver praticando os salutares esclarecimentos que armazenas, contribuindo para uma existência realizadora, humana e feliz.


*

Quando leias, exercita a praticidade do contributo cultural que assimilas.

O tempo urge, e as oportunidades de aplicação constituem tuas chances de progresso como de paz.

*

Conta-se que célebre monge budista, estudando algumas suras, descobriu que se não devia utilizar da pele de animais para conforto pessoal.


De imediato, levantou-se do catre e dali retirou o couro de um urso que lhe servia de apoio macio sobre as ripas da enxerga áspera.


Prosseguindo a leitura, porém, encontrou assinalado que, no entanto, se poderia usar a pele dos animais, quando se estivesse enfermo, esquálido ou envelhecido, a fim de ter diminuídas as penas e dores.


Ato contínuo, tomou da mesma com respeito, colocou-a no lugar de onde a retirara, sentou-se sobre ela e continuou a ler...


Conhecimento que não transforma em utilidade, pode ser qual "sepulcro caiado por fora", ocultando vérmina e morte por dentro, responsável pelo bafio do orgulho e da ostentação.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Da obra Momentos de Felicidade. 2a edição. Salvador, BA: LEAL, 1990.

sexta-feira, maio 23, 2014

Terapia da Oração- Joanna de Ângelis





Terapia da Oração

Joanna de Ângelis 


Recurso valioso para todo momento ou necessidade, a oração encontra-se ao alcance de quem deseja paz e realização, alterando para melhor os fatores que fomentam a vida e facultam o seu desenvolvimento.


A oração é o instrumento pelo qual a criatura fala a Deus, e a inspiração lhe chega na condição de divina resposta.


Quando alguém ora, luariza a paisagem mental e inunda-se de paz, revitalizando os fulcros da energia mantenedora da vida.


A oração sincera, feita de entrega íntima a Deus, desenvolve a percepção de realidades normalmente não detectadas, que fazem parte do mundo extrafísico.


O ser material é condensação do energético, real, transitoriamente organizado em complexos celulares para o objetivo essencial da evolução. 


Desarticulando-se, ou sofrendo influências degenerativas, necessita de reparos nos intrincados mecanismos vibratórios, de modo a recompor-se, reequilibrar-se e manter a harmonia indispensável, para alcançar a finalidade a que se destina.


*


O psiquismo que ora, consegue resistências no campo de energia, que converte em forças de manutenção dos equipamentos nervosos funcionais da mente e do corpo.


A oração induz à paz e produz estabilidade emocional, geradora de saúde integral.


A mente que ora, sintoniza com as Fontes da Vida, enriquecendo-se de forças espirituais e lucidez.


Terapia valiosa, a oração atrai as energias refazentes que reajustam moléculas orgânicas no mapa do equilíbrio físico, ao tempo que dinamiza as potencialidades psíquicas e emocionais, revigorando o indivíduo.


Quando um enfermo ora, recebe valiosa transfusão de forças, que vitalizam os leucócitos para a batalha da saúde e sustentação dos campos imunológicos, restaurando-lhes as defesas.


*

O indivíduo é sempre o resultado dos pensamentos que elabora, que acolhe e que emite.


O pessimista autodestrói-se, enquanto o otimista auto-sustenta-se.


Aquele que crê nas próprias possibilidades desenvolve-as, aprimora-as e maneja-as com segurança.


Aqueloutro que duvida de si mesmo e dos próprios recursos, envolvendo-se em psicosfera perturbadora, desarranja os centros de força e exaure-se, especialmente quando enfermo. 


Assemelha-se a uma vela acesa nas duas extremidades, que consome duplamente o combustível que sustenta a luz, até sua extinção.


A mente que se vincula à oração ilumina-se sem desprender vitalidade, antes haurindo-a, e mais expandindo a claridade que possui.


Envolvendo-se nas irradiações da oração a que se entregue, logrará o ser enriquecer-se de saúde, de alegria e paz, porquanto a oração é o interfone poderoso pelo qual ele fala a Deus, e por cujo meio, inspirado e pacificado, recebe a resposta do Pai.


Ao lado, portanto, de qualquer terapia prescrita, seja a oração a de maior significado e a mais simples de ser utilizada.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Da obra: Momentos Enriquecedores. Salvador, BA: LEAL, 1994.