Pachelbel - Canon In D Major

quinta-feira, novembro 29, 2012

Convite à saúde - Joanna de Ângelis






Convite à saúde

Joanna de Ângelis



“Senhor, se quiseres, poderás curar-me. Jesus, estendendo a mão, o tocou e disse: quero-o, fica curado; no mesmo instante desapareceu a lepra.” (Mateus: capítulo 8º, versículos 2 e 3).



Melancolia e inquietação em festival de sofrimento.


Neuroses e psicoses clamando a patética das dores.


Enfermidades do corpo, da mente, do espírito, em compacta carga sobre os ombros humanos.


Enfermos e hipocondríacos em tormento incessante.


Não obstante as conquistas da inteligência e os êxitos da cultura nos múltiplos campos do conhecimento, débeis são as colheitas da paz.


Triunfos externos convertidos em amargas derrotas íntimas.


Glórias e aplausos silenciados na amargura das duras soledades.


Tributos ao gozo em rios de sofrimentos. Poder, abastança, e a miséria espiando em desespero.


No entanto, a saúde buscada com avidez e pouco possuída é de fácil aquisição.


O mais poderoso contágio que existe, ainda é o da saúde.


Saúde, todavia, de dentro para fora, que produz equilíbrio e consolida tranqüilidade.


Na preocupação de adquirir os valores transitórios, o homem desdenha a edificação interior, desconsiderando a capacidade íntima de produzir para a
vida os tesouros incorruptíveis do espírito.


Pensamentos salutares, disciplina e comedimento de ações, exercícios oracionais, otimismo e auxílio fraterno desinteressado são poderosos, eficientes meios de ajustar e produzir a saúde nos painéis da mente e do
espírito, a se refletirem, posteriormente, no psiquismo, no sentimento e no
corpo.


“Se quiseres” — disse o necessitado a Jesus, e, querendo o Senhor atendeu-o.


Se quiseres e envidares esforços adquirirás a saúde, palmilhando o caminho da fé enobrecida que em te falando da imortalidade, oferece-te os imprescindíveis recursos para a perene aquisição da vida total.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Convites da Vida , CAP. 52

Convite à realidade - Joanna de Ângelis





Convite à realidade

Joanna de Ângelis



“Eu o sou, eu que falo contigo.” (João: capítulo 4º, versículo 26).



Fascinam-se ante a aduana colorida da ilusão.


Atravessam o pórtico dos sonhos em ansiosa busca de cousa nenhuma.


Preferem o ácido lisérgico da fantasia, a maconha embriagadora do romantismo absurdo, o estupefaciente da irrealidade...


Transladam-se de uma esfera nebulosa de dor para uma irreal jornada do planeta do gozo transitório donde retornam mais consumidos e mais desgastados...


As incursões ao reino mirabolante da vacuidade redundam em francos desaires e irreversíveis malogros íntimos.


Inutilmente alguém conseguiria evadir-se de si mesmo, porqüanto onde quer que se encontre o homem aí estarão os seus problemas afligindo.


É inegável que as viagens de recreio, o teatro e o cinema, os desportos e as experiências de ligeiros ócios proporcionam renovação, alegria. 


Isto, porém, quando funcionam como medicamento restaurador de forças, complementação que chega após tarefas cumpridas, executadas.


Sem embargo seja mui difícil catalogar as linhas definitivas da realidade —
no mundo em que estão soberanas as conquistas do conhecimento sobre as
leis físicas vigentes — todos sabemos que a vida terrena obedece a superior
planificação para enobrecedora finalidade. 


Assim, angústia moral ou limitação física, enfermidades orgânicas ou distonias emocionais, significam, não raro, tratamento reparador a que são submetidos os espíritos calcetas pelo impositivo reencarnatório da evolução.


O pântano padece imundície até o instante em que experimenta ser drenado e o solo crestado permanece árido até o momento da irrigação e da adubagem...


Retira a venda dos olhos e despedaça as lentes escuras que te impedem fixar as claridades reais da vida, promovendo o teu programa de ação eficiente onde te encontras, como te encontras. 


Nada de ilusões.


Haja o que haja, nos fugazes transes do sonho, de nada te valerão esses êxtases, pois logo tornarás à realidade do caminho, do qual somente a esforço de renovação e aprimoramento íntimo te libertarás para sintonizar com outra realidade, além das sombras e longe das agonias de hoje.


Assim, tranqüilo, afirmou Jesus à samaritana iludida, que se refugiava nas
sombras das fugas:


“Eu o sou, eu que te falo “, convocando-a à realidade da Era que ele iniciava.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de ÂNgelis. Convites da Vida , CAP. 46.

quarta-feira, novembro 28, 2012

Respeito Mútuo - Emmanuel





 Respeito Mútuo

 Emmanuel

Compadece-te dos que não pensam com as tuas idéias e não lhes encareces a vida em tua própria vida, afastando-os da senda a que foram convocados.



Chamem-se pais ou filhos, cônjuges ou irmãos, amigos ou parentes, companheiros e adversários, diante de ti, cada um daqueles que te compartilham a existência é uma criatura de Deus, evoluindo em degrau diferente daquele em que te vês.



Ensina-lhes o amor ao trabalho, a fidelidade ao dever, o devotamento à compreensão e o cultivo da misericórdia, que isso é dever nosso, de uns para com os outros, entretanto, não lhes cerres a porta de saída para os empreendimentos de que se afirmam necessitados.



Habituamo-nos na Terra a interpretar por ingratos aqueles entes queridos que aspiram a adquirir uma felicidade diferente da nossa, entretanto, na maioria das vezes, aquilo que nos parece ingratidão é mudança do rumo em que lhes cabe marchar para a frente.



Quererias talvez titulá-los com os melhores certificados de competência, nesse ou naquele setor de cultura, no entanto, nem todos vieram ao berço com a estrutura psicológica indispensável aos estudos superiores e devem escolher atividades quase obscuras, não obstante respeitáveis, a fim de levarem adiante a própria elevação ao progresso.



Para outros, estimarias indicar o casamento que se te figura ideal, no campo das afinidades que te falam de perto, no entanto, lembra-te de que as responsabilidades da vida a dois pertencem a eles e não a nós, e saibamos respeitar-lhes as decisões.



Para alguns terás sonhado facilidades econômicas e domínio social, contudo, terão eles rogado à Divina Sabedoria estágios de sofrimento e penúria, nos quais desejem exercitar paciência e humildade.



Para muitos terás idealizado a casa farta de luxuosa apresentação e não consegues vê-los felizes senão em telheiros e habitações modestas, em cujos recintos anseiam obter as aquisições de simplicidade de que se reconhecem carecedores.



Decerto, transmitirás aos corações que amas tudo aquilo que possuis de melhor, no entanto, acata-lhes as escolhas se te propões a vê-los felizes.



Respeita os pensamentos e afinidades de cada um e aprende a esperar.



Todos estamos catalogados nas faixas de evolução em que já estejamos integrados.



Se entes queridos te deixam presença e companhia, não lhes conturbes a vida nem te entregues a reclamações.



Cada um de nós é atraído para as forças com as quais entramos em sintonia.



E se te parece haver sofrido esse ou aquele desgaste afetivo, não te perturbes e continua trabalhando na seara do bem.



Pelo idioma do serviço que produzas, chamarás a ti, sem palavras, novos companheiros que te possam auxiliar e compreender.



Não prendas criatura alguma aos teus pontos de vista e nem sonegues a ninguém o direito da liberdade de eleger os seus próprios caminhos.



Se as tuas afinidades pessoais ainda não chegaram para complementar- te a tranqüilidade e a segurança é que estão positivamente a caminho.



E assim acontecerá sempre, porque fomos chamados a amar-nos reciprocamente e não para sermos escravos uns dos outros, porque, em princípio, compomos uma família só e todos nós somos de Deus.





XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel.

Riqueza para o céu - Emmanuel





Riqueza para o céu

Emmanuel


Quem se aflige indebitamente, ao ver o triunfo e a prosperidade de muitos homens impiedosos e egoístas, no fundo dá mostras de inveja, revolta, ambição e desesperança. É preciso que assim não seja!


Afinal, quem pode dizer que retêm as vantagens da Terra, com o devido merecimento?


Se observarmos homens e mulheres, despojados de qualquer escrúpulo moral, detendo valores transitórios do mundo, tenhamos, ao revés, pena deles.


A palavra de Cristo é clara e insofismável. – “Amontoa tesouros no Céu” – disse-nos o Senhor.


Isso quer dizer “acumulemos valores íntimos para comungar a glória eterna!”.
Efêmera será sempre a galeria de evidência carnal.


Beleza física, poder temporário, propriedade passageira e fortuna amoedada podem ser simples atributo da máscara humana, que o tempo transforma, infatigável.


Amealhemos bondade e cultura, compreensão e simpatia.


Sem o tesouro da educação pessoal é inútil a nossa penetração nos céus, porquanto estaríamos órfãos de sintonia para corresponder aos apelos da Vida Superior.


Cresçamos em virtude e incorporemos a verdadeira sabedoria, porque amanhã será visitado pela mão niveladora da morte e possuirás tão somente as qualidades nobres ou aviltantes que houveres instalado em ti mesmo.




XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel .

terça-feira, novembro 27, 2012

Ao amanhecer - Joanna de Ângelis





Ao amanhecer

Joanna de Ângelis



Dia novo, oportunidade renovada.


Cada amanhecer representa divina concessão que não podes nem deves desconsiderar.


Mantém, portanto, atitude positiva em relação aos acontecimentos que devem ser enfrentados; 

otimismo diante das ocorrências que surgirão; 

coragem no confronto das lutas naturais; 

recomeço de tarefa interrompida; 

ocasião de realizar o programa planejado.


Cada amanhecer é convite sereno à conquista de valores que parecem inalcançáveis.


À medida que o dia avança, aproveita os minutos, sem pressa nem postergação do dever.


Não te aflijas ante o volume de coisas e problemas que tens pela frente.


Dirige cada ação à sua finalidade específica.


Após concluir um serviço, inicia outro e, sem mágoa dos acontecimentos desagradáveis, volve à lição com disposição, avançando, passo a passo, até o momento de conclusão dos deveres planejados.


Não tragas do dia precedente o resumo das desditas e dos aborrecimentos.


Amanhecendo, começa o teu dia com alegria renovada e sem passado negativo, enriquecido pelas experiências que te constituirão recurso valioso para a vitória que buscas.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis . Episódios Diários.

Perdoar não é impossível - Gerson Simões Monteiro





Perdoar não é impossível

Gerson Simões  Monteiro


De fato, perdoar não é uma coisa muito fácil, mas também não é nada impossível. 


Quem perdoa é humilde de coração. 


É sinal de que entendeu a mensagem de Jesus, pois o Seu maior exemplo neste mundo foi dado no alto da cruz, ao rogar para seus algozes: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". 


E mais: o perdão evita doenças, porque a mágoa contra alguém é o gerador de muitas doenças físicas e mentais, além da obsessão, pois os pensamentos doentios atraem espíritos malévolos. 


Foi por isso que Jesus aconselhou-nos a perdoar setenta vezes sete cada ofensa recebida, ou seja, infinitamente.


Curioso que, em matéria de perdão, você já deve ter ouvido alguém dizer que perdoa, mas não quer ver nunca mais o inimigo à sua frente, e ainda completa: "nem que ele venha pintado de amarelo". 


Outro perdão esquisito: "Eu já esqueci o que ela me fez, mas se ela vier andando na minha direção, eu atravesso a rua na mesma hora". 



Outro: "Eu te perdoo, mas o mal que tu me fizeste eu entrego a Deus". 


E diz isso entre os dentes, com rancor, esperando que Deus se vingue em nome dela, como se Ele fosse vingativo.


Pelo visto, há duas maneiras de perdoar: o perdão dos lábios e o perdão do coração.


Segundo Paulo, apóstolo, numa mensagem em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", muitas pessoas dizem "Eu lhes perdoo" com relação aos seus adversários, "mas por dentro ficam alegres com o mal que eles sofrem, e acrescentam que eles têm o que merecem".


O perdão recomendado no Evangelho de Jesus é aquele que esquece completamente as ofensas recebidas. 


O verdadeiro perdão se reconhece muito mais pelos atos do que pelas palavras, como, por exemplo, ajudar o inimigo quando ele precisar de auxílio. Isso é perdão!


Agora, se queremos implantar a paz no mundo, e construir a nossa paz interior, não guardemos ressentimentos contra quem quer que seja. 


Ora, se ninguém guarda lixo dentro de casa, por isso mesmo, não guardemos o lixo dos sentimentos inferiores dentro de nossas almas. 


Enfim, quem perdoa é inteligente: vive em paz! 


Cá pra nós: põe inteligência nisso!




*Gerson Simões Monteiro Vice-Presidente da FUNTARSO

E-mail: gerson@radioriodejaneiro.am.br

segunda-feira, novembro 26, 2012

Aniversário da nossa Querida Gabriela



Hoje é uma data muito especial !

Aniversário da nossa Querida Gabriela







Parabéns , parabéns !
É minh'alma que diz
Deus te guarda e proteja
E te faça feliz!


Que o Deus de bondade 
Muitas graças Te dê 
E que a felicidade 
Acompanhe você !







Que as bênçãos  de Jesus e dos Amigos Espirituais a envolvam, ampare e proteja,  derramando luzes e flores espirituais no seu caminhar...



Comemoração de aniversário - Momento Espírita





Comemoração de aniversário



Como você costuma comemorar o seu aniversário?


Quando se é criança, aniversário tem gosto de brigadeiro e sabor de brincadeiras. Espera-se o dia com muita ansiedade.


As mães já estão habituadas a responder, durante meses, a mesma pergunta: É hoje o dia do meu aniversário?


E, em verdade, embora as crianças queiram muito comemorar, para elas o mais importante são os amigos. É claro que elas adoram abrir os pacotes de presentes. 


Aliás, rasgam o papel com muita pressa, pois querem logo ver o que está dentro.


Elas gostam de cachorro quente, brigadeiro e sorvete. 


Mas, o que mais apreciam são as brincadeiras com os amigos.


Tão verdadeiro é isso que, normalmente, quem fica ao redor da mesa de doces e salgados são os adultos. 


A criançada está correndo no jardim, no pátio, gritando, pulando, rindo.


Costuma-se dizer que algumas datas são marcantes. 


O calendário terrestre estabeleceu, por exemplo, o aniversário de quinze anos como especial. Particularmente para as meninas.


Não mais que o de vinte e um anos, porque os jovens conquistam a sua liberdade. 

É a maioridade.


E que se dizer da marca dos cinquenta anos? 

Meio século de conquistas, de atividades. 

Idade de reflexão, de ponderação.


Na medida em que os anos vão se somando, os aniversários passam a ter outro sabor. 


Sabor de saudade, de lembrança, de recordações, de amigos que já não estão ao seu lado.


Há os que apreciam festas ruidosas, com música, dança e muitas pessoas ao redor. 


Há os que preferem comemorações mais íntimas, com os amigos mais chegados.


A atriz Jamie Lee Curtis instituiu uma tradição de aniversário envolvendo a sua mãe, a também atriz Janet Leigh.


Todos os anos, até a morte de sua mãe, em 2004, no aniversário de Jamie, ela telefonava para a mãe às oito horas e trinta e seis minutos,e imitava um obstetra:


Muito bem, Janet. 

Vamos. 

Continue a fazer força. 

Respire fundo. 

Lá vai!


Às oito horas e trinta e sete minutos, Jamie imitava o choro de um recém-nascido e agradecia à mãe por ter feito tanta força.


Toda vez, conta a atriz, sua mãe ria e chorava ao mesmo tempo.


E sempre que alguém comemora um aniversário, Jamie pergunta: Já ligou para sua mãe e agradeceu?


*   *   *


Todos os que estamos vivendo na Terra devemos ser muito gratos pela vida. 


Nosso primeiro agradecimento a Deus, que por amor nos criou.


Depois a nossos pais que nos geraram. 


A nossa mãe que nos embalou com sua sinfonia rítmica, mantendo-nos próximos ao seu coração, durante toda a gestação.


E depois de termos nascido, nos amamentou, cuidou, ensinou, esquecendo-se de si mesma.


Por isso, não aguarde o seu aniversário. 

Hoje mesmo, agora, diga para sua mãe: Obrigado, mãe, por tantas coisas, pela minha vida. 


Obrigado por ter me transformado nesse ser completo que vive, ama, sente, trabalha e é feliz.




Redação do Momento Espírita, com base no artigo Comemoração, de Seleções Reader's Digest, de abril de 2000.Disponível em www.momento.com.br.

Um vaso útil ao Mestre - Momento Espírita






Um vaso útil ao Mestre



Ele se chamava Ananias e era sapateiro em Emaús. 


Conhecera Jesus na tarde trágica do Calvário. 


Tinha ido a Jerusalém para as comemorações da Páscoa e encontrara a cidade tomada por movimento inusitado.


Acompanhara o drama pungente de Jesus pelas ruas da cidade santa, condoendo-se de Sua marcha penosa, seguindo o cortejo até o monte.


Do alto da cruz, Jesus lhe lançou um olhar inesquecível. 


Era um chamado, um convite.


Teve notícias, três dias depois, da ressurreição do Mestre e então, procurou Simão Pedro para conhecer melhor a personalidade Daquele Homem.


Aceitou de imediato o Evangelho, tendo retornado a Emaús, disposto dos seus bens e tornado a Jerusalém, associando-se aos apóstolos galileus, nas primeiras atividades da Casa do Caminho.


Vivera em Jerusalém, algum tempo, indo de bairro em bairro, no seu mister de divulgador.


Deixando aquelas terras, estacionara em diversas aldeias, pregando as verdades de Jesus Cristo, rumando para Damasco, na Síria.


Sob as ordens de Jesus, Ananias procura o jovem Saulo de Tarso na hospedaria onde se acolhe, após ter tido seu glorioso encontro com Jesus, na estrada de Damasco.


Ananias é um homem de cabelos brancos, respeitável e diz ao tarsense, cego desde a visão de Jesus:


Irmão Saulo, Jesus, que Te apareceu na estrada de Damasco, mandou-Me ao teu encontro para que voltes a ver.


Que extraordinária lição. O perseguido vem atender ao seu perseguidor, porque o Cristo assim lhe dissera.


Teríamos nós a grandiosidade dessa fé? Ananias sabia que Saulo viera a Damasco para o prender.


É Ananias que aconselha Saulo a amadurecer as idéias, preparando-se para o seu apostolado, o que o faz procurar o velho mestre Gamaliel, em Palmira e internar-se, no deserto de Dan, em sequência.


Depois de passar 3 anos no deserto, Saulo retorna a Damasco e é novamente Ananias quem o recebe.


Tendo pregado na sinagoga, no segundo sábado de sua permanência na cidade, Saulo recebe ordem de prisão e se acolhe, a conselho de Ananias, em casa de humilde lavadeira.


O ancião é preso. 


Desejam que confesse onde se encontra o moço de Tarso, que ousara macular a sinagoga falando a respeito do Mestre da Galiléia.


Durante 24 horas permaneceu incomunicável. 


Recebeu vinte bastonadas que lhe deixaram o rosto e as mãos gravemente feridas.


Ao interrogatório, respondeu com firmeza: Saulo deve estar com Jesus, o que, conforme sua consciência, não equivalia a mentir aos homens, mas também não comprometia o amigo fiel.


É Ananias que vem ao encontro de Paulo de Tarso, logo após a sua decapitação e lhe diz: Desde a revelação de Damasco, dedicaste os olhos ao serviço do Cristo! Contempla, agora, as belezas da vida eterna, para que possamos partir ao encontro do Mestre amado!


*   *   *


Grande lição de amor nos oferece Ananias: em nome de Jesus, vai ao encontro de seu perseguidor e não somente o auxilia, quanto o abraça e o chama irmão.


Torna-se-lhe amigo fiel e incondicional. 


Uma das colunas de sustentação da tarefa extraordinária de Paulo, o apóstolo.


Pensemos nisso e imitemo-lo.




Redação do Momento Espírita, com base nos caps. IX e X, pt. 1  e nos caps. I e III, pt. 2 do livro Paulo e Estêvão, pelo  Espírito Emmanuel, psicografia de  Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.Disponível em www.momento.com.br