Pachelbel - Canon In D Major

quarta-feira, maio 31, 2006

FELICIDADE

O MESMO OU PIOR







O MESMO OU PIOR

Em toda parte, junto a todas as pessoas, és esperado com a tua mensagem
de ânimo e otimismo.


Não decepciones quem te escuta.

Fala edificando e ouve estabelecendo indispensável triagem nos assuntos ventilados.
Eleva o nível do diálogo do qual participas.

Não endosses opiniões desairosas em torno de quem quer que seja.

O comentário que destaca o mal é incentivo ao mal nas almas invigilantes.

Chama a atenção de teus interlocutores para o aspecto positivo de vida
daqueles que estejam sendo alvo de observações descaridosas.

Salienta as qualidades do companheiro sob o malho da crítica.

Aponta as virtudes de quem, numa hora infeliz, passou a centralizar
os ataques do falso moralismo.

A não ser de ti, não exijas atitude irrepreensível de ninguém.

Quem se decepciona com o ser humano revela desconhecimento de sua
própria natureza em transição.

Os que mais facilmente se escandalizam com os erros dos semelhantes
são os que, em idênticas circunstâncias, seriam capazes de fazer o mesmo ou pior.


Irmão José

Psicografia de Carlos A. Bacelli :: Do livro Dias Melhores

sábado, maio 27, 2006



VENHA A NÓS O TEU REINO


"Venha a nós o teu reino..." - assim rogou Jesus ao Pai Celestial,
sabendo que só o Plano de Deus pode conceder-nos a verdadeira felicidade.
Mas, o Mestre não se limitou a pedir;
ele trabalhou e se esforçou para que
o Reino do Céu encontrasse as bases necessárias na Terra.

Espalhou, com as próprias mãos, as bênçãos da paz e da alegria,
a fim de que os homens se fizessem melhores.
Uma locomotiva não corre sem trilhos adequados.
Um automóvel não avança sem a estrada que lhe é própria.
Um prato bem feito precisa ser preparado com todos os temperos necessários.


Assim também, o auxílio celeste reclama o nosso esforço.
É sempre indispensável purificar o nosso sentimento
para recebê-lo e difundi-lo.
Sem a bondade em nós, não poderemos sentir a bondade

de Deus ou entender a bondade de nossos semelhantes.

Quando é noite e reclamamos: - "Venha a nós a luz",
é necessário ofereçamos a lâmpada ou a candeia,
para que a luz resplandeça entre nós.

Se rogamos a Graça Divina, preparemos o sentimento
para entendê-la e manifestá-la, a fim de que a felicidade
e a harmonia vivam conosco.

Jesus trabalhou pela vinda da Glória do Céu ao mundo,
auxiliando a todos e ajudando-nos até à cruz do sacrifício,
dando-nos a entender que o Reino de Deus é Amor
e só pelo Amor brilhará entre os homens para sempre.

Meimei

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Da obra Pai Nosso.

AFLIÇÃO VAZIA




AFLIÇÃO VAZIA


Ante as dificuldades do cotidiano, exerçamos a paciência,
não apenas em auxílio aos outros, mas igualmente a favor de nós mesmos.
Desejamos referir-nos, sobretudo, ao sofrimento inútil da tensão mental
que nos inclina à enfermidade e nos aniquila valiosas oportunidades de serviço.

No passado e no presente, instrutores do espírito e médicos do corpo
combatem a ansiedade como sendo um dos piores corrosivos da alma.
De nossa parte, é justo colaboremos com eles, a benefício próprio,
imunizando-nos contra essa nuvem da imaginação que nos atormenta
sem proveito, ameaçando-nos a organização emotiva.

Aceitemos a hora difícil com a paz do aluno honesto, que deu o melhor de si,
no estudo da lição, de modo a comparecer diante da prova,
evidenciando consciência tranquila.

Se o nosso caminho tem as marcas do dever cumprido,
a inquietação nos visita a casa íntima na condição do malfeitor
decidido a subvertê-la ou dilapidá-la; e assim como é forçoso defender
a atmosfera do lar contra a invasão de agentes destrutivos,
é forçoso defender a atmosfera do lar contra a invasão de agentes destrutivos,
é indispensável policiar o âmbito de nossos pensamentos,
assegurando-lhes a serenidade necessária...

Tensão à face de possíveis acontecimentos lamentáveis é facilitar-lhes a eclosão,
de vez que a idéia voltada para o mal é contribuição para que o mal aconteça;
e tensão à frente de sucessos menos felizes é dificultar a ação regenerativa do bem,
necessário ao reajuste das energias que desastres ou erros hajam desperdiçado.

Analisemos desapaixonadamente os prejuízos que as nossas preocupações
injustificáveis causam aos outros e a nós mesmos,
e evitemos semelhante desgaste empregando em trabalho nobilitante
os minutos ou as horas que, muita vez, inadvertidamente, reservamos
à aflição vazia.

Lembremo-nos de que as Leis Divinas, através dos processos de ação visível
e invisível da natureza, a todos nos tratam em bases de equilíbrio,
entregando-nos a elas, entre as necessidade do aperfeiçoamento
e os desafios do progresso, com a lógica de quem sabe que
tensão não substitui esforço construtivo, ante os problemas naturais do caminho.

E façamos isso, não apenas por amor aos que nos cercam,
mas também a fim de proteger-nos contra a hora da ansiedade
que nasce e cresce de nossa invigilância para asfixiar-nos a alma
ou arrasar-nos o tempo sem qualquer razão de ser.

Emmanuel

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Da obra: Encontro Marcado

ATUA EM PAZ



ATUA EM PAZ

Joanna de Ângelis

Não suponhas que a mudança das velhas estruturas

ocorra de um para outro momento.
A violência, por mais intente fazê-lo, não consegue

os resultados desejados.
Ao contrário, complica a situação.
A sedimentação de hábitos morais e comodismos sociais

não se desfaz a golpes de precipitada determinação.
Exige recursos e tempo que propicie o seu desgaste.
As circunstâncias e os sofrimentos gerais que constringem

os homens têm logrado expressivas alterações no comportamento geral,
não, porém, o suficiente para mudar a face egoísta da sociedade.

O trabalho atual é de preparação psicológica e despertamento
dos que dormem na indiferença acerca dos valores do espírito.
Se já consegues despertar o interesse de alguns poucos,
em torno da mensagem espírita,rejubila-te,
porquanto Jesus começou com reduzido número de companheiros
para a grande tarefa de renovação da Humanidade,
que infelizmente ainda não se deu.

Se logras fazer-te ouvir e te apresentam as suas inquietações,
entusiasma-te, porque o Mestre, não raro,
depois dos seus incomparáveis ensinos, era sempre defrontado
pelo sarcasmo farisaico ou pela provocação de adversários gratuitos.
Se alcanças mentes que se propõem, em pequeno grupo,
estudar ou conhecer a Doutrina, agradece, pois que o Senhor,
por identificar a alma humana em toda a sua realidade,
já afirmava que a “Seara é grande, mas os seareiros são poucos”.

Se já podes desviar alguém da delinqüência ou da ociosidade,
induzindo a uma mudança de atitude perante a vida,
alegra-te, tendo em vista que o Rabi, após haver liberado tantas almas
das suas duras aflições e torpes compromissos, não contou com ninguém
à hora do testemunho.

O importante, por enquanto, é apresentar a mensagem da vida eterna,
embora muitos a desprezem e te desconsiderem.
Não descoroçoes no labor para o qual foste chamado e estás a atender.

Evita preocupar-te com o sucesso do ministério que, aliás,
não pode ser considerado do ponto de vista multidinário.
O ocidente diz-se cristão e o oriente parece ressumar antiga Espiritualidade;
todavia, os fatos e os problemas humanos superlativos demonstram o contrário.
Certamente que há exceções, o que corrobora a generalidade.

Atua, em paz e confiança, sem pressa nem imposição.
A vida se manifesta em ciclos que se traduzem em resultados eficazes.
Há um período para a sementeira e outro para a germinação;
hoje é o dia do crescimento, amanhã, o da flor e, mais tarde, o do fruto...
O embrião espera o tempo para alcançar a plenitude da forma.
Nas realizações morais do espírito, o tempo é, igualmente, fator de sua importância.
Procede com equilíbrio e jamais te desanimes. Um dia os resultados se darão e esses, sim, são os que mais importa.

Psicografia de Divaldo P. Franco :: Roteiro de Libertação

COMO MARCO O MUNDO COM MINHA PRESENÇA?


COMO MARCO O MUNDO COM A MINHA PRESENÇA ?


Como posso contribuir? Participar em que?
Como transformar o desassossego em veículo de reflexão e ação.

Que cada um de nós é único, é singular, todos nós sabemos.

Que a vida de cada um é vi­vida em diversos papéis,
de marido e esposa, de pai e mãe, de profissi­onal, de cidadão,
de amigo e tantos outros, é indiscutível.

Todos sabem o esforço que fazem e como é difícil conciliar e ter
um equilíbrio razoá­vel nestes papéis.
O que, às vezes, não está muito claro para as pessoas

é o impacto que as suas vidas causam nos ou­tros e no meio em que vivem.

Será que fazem diferença? Como influ­enciar a história do mundo,
de sua cidade, de seu bairro com a história de suas vidas?
Estão ajudando a construir um mundo diferente, um mundo melhor,
já que este que vivemos não agrada a ninguém?

O ano de 2001 comemorou o Ano Internacional do Voluntariado e,
como é bom consta­tar, este numeroso e valoroso exér­cito de pessoas,
que de alguma forma, acordaram para a idéia de que po­dem fazer
a diferença para melhor.

Como marco o mundo com a minha presença,
além de ser uma profunda indagação existencial,
nos provoca uma grande inquietude pessoal que nos desaloja,
nos de­sassossega.

Como posso contribuir? Participar em que?
Como posso transformar o desassossego em matéria prima
para reflexão e ação?

Trabalhar para o bem comum, par­ticipar de um processo de construção humana,
contribuir e ser um agente ativo de transformação
pode ser rea­lizado de inúmeras maneiras.
Existem hoje entidades, ONGs, grupos mais ou menos organizados de voluntários
que atuam em educação, saúde, pre­servação ambiental, família, crianças
e adolescentes, idosos, alfabetização, entre tantos outros focos.

O processo de escolha é individu­al e exige uma opção consciente,
responsável para que, de fato, as­sumamos o compromisso de fazer
a nossa parte na construção de um novo mundo.

O filme Impulsionando as Águas que pode ser alugado ou adquirido da Siamar,
apresenta cinco aspec­tos que nos ajuda, neste processo.
Vale tanto para indivíduos como para organizações.

O primeiro aspecto é a auto‑estima .
É o que penso e o que faço a meu respeito.
Auto‑estima é a soma da auto‑confiança com o auto‑respeito.
Não é competitivo e nem comparativo.
Nossas reações são de­terminadas por quem e pelo que pensamos que somos.
É a chave para o sucesso ou o fracasso.
A compreensão de nós mesmos influ­encia todas as nossas escolhas signi­ficativas.
Por isso, a importância de termos uma auto‑estima adequada.

O segundo aspecto cuida da ne­cessidade de estabelecermos uma visão,
uma meta, um sonho e como podemos realizar o nosso sonho,
criando metas claras, possíveis e exeqüíveis que poderão ser alcan­çadas
através de um planejamento.

O propósito que nos anima é nosso terceiro aspecto.
"É a resolu­ção de lutar para atingir a meta estabelecida,
é a razão de viver e lutar, é acreditar que há algo a realizar neste mundo, além de nós".

O quarto aspecto é o compromis­so íntimo,
que cada um estabelece consigo mesmo, de perseguir com empenho,
com dedicação, os obje­tivos e as metas que fixou.
É a res­ponsabilidade que se sente mesmo no trabalho voluntário.
É a consciên­cia de que a luta, o trabalho escolhi­do vale a pena e faz a diferença.

Por fim, o último elemento é a contribuição que cada um de nós,
dentro de suas características pes­soais ‑ qualificação, habilidades, experiência,
conhecimento , pode dar para melhorar um pouco mais seu bairro,
sua comunidade, seu trabalho, sua família.

Um ditado africano é muito ilus­trativo quando diz:
"O mundo que temos hoje nas mãos, não nos foi dado por nossos pais,
mas na verdade, ele nos foi emprestado por nossos filhos".

Que tipo de mundo entregare­mos para as gerações futuras? Como estamos marcando nossa presença no mundo?
Jeanete W. Scheibe

RELAÇÕES DE UM AMOR ADULTO



RELAÇÕES DE UM AMOR ADULTO


Por que alguns relacionamentos dão certo e outros não?

Por que existem relacionamentos bons, construtivos,
que ajudam as pessoas crescerem, intelectual, emo­cionalmente ?
Por que outros relaci­onamentos são destrutivos,
não fa­vorecem o crescimento das pesso­as, pelo contrário, as aviltam,
as de­primem?
Por que há homens e mu­lheres que na prática de suas vidas
estão a valorizar muito mais o indi­vidualismo e a liberdade pessoal
do que o amor e o compromisso?


A maioria das pessoas talvez não saiba responder
se os seus re­lacionamentos atuais os fazem feli­zes e realizados.
Poucos responde­riam sem titubear ou contempori­zar.
As respostas mais comuns se­riam talvez: "estou mais ou menos feliz",
"temos altos e baixos", a gente vai levando".
Como aprender sobre os sucessos e os fracassos dos relacionamentos?


Há cerca de 15 anos, Leo Buscaglia, mundialmente reconheci­do
por sua extensa obra sobre o amor e relacionamentos humanos
desen­volveu uma pesquisa sobre relacio­namentos amorosos.
A pesquisa ex­tremamente atualizada para os dias de hoje foi encaminhada
para uma po­pulação selecionada de mil homens e mulheres.
0 questionário abrangia diversas questões e solicitava comen­tários
e definições sobre como os participantes da pesquisa entendiam
um relacionamento de amor.


As duas questões que respon­dem aos questionamentos
coloca­dos acima foram: "quais as quali­dades que você acredita ser as que
mais conduzem ao contínuo desenvolvimento do amor
e cresci­mento neste relacionamento?"
E quais os aspectos que você con­sidera mais destrutivos
para um re­lacionamento amoroso?"


As qualidades mais essenciais que ajudam o crescimento do amor,
mencionadas pelos pesquisados foram:
1) Comunicação ‑ como sendo o desejo e a prática de compartilhar

com o outro sentimentos, valores, frustrações, expectativas,
de man­ter cultivar um diálogo ativo entre os parceiros.
2) Afeição ‑ caracterizado como cuidado, compreensão, respeito,

gentileza para com o outro.
3) Capacidade de perdoar ‑ ca­pacidade de empatia,

de se colocar no lugar do outro, de apoiar e de ser altruísta.
4) Honestidade ‑ como sendo a capacidade de externar sentimentos

verdadeiros na hora apropriada, verbalizar temores e expectativas.
Estas quatro qualidades foram respondidas por mais de 85% do grupo pesquisado.

Outras respos­tas apontaram outras qualidades como aceitação,
senso de humor, romance (incluindo sexo), paciên­cia e liberdade.


Com relação aos aspectos considerados prejudiciais,
que contribuern para destruir um relaciona­mento amoroso
foram menciona­dos: falta de comunicação, egoís­mo, desonestidade, ciúme,
falta de confiança, perfeccionismo, falta de flexibilidade
(não estar aberto a mu­danças), falta de compreensão,
fal­ta de respeito, apatia.


O interessante a notar é que as qualidades que ajudam
como as características que vão "minando" um relacionamento de amor,
podem ser estendidas a outros relaciona­mentos humanos como
o de pais com os seus filhos, entre colegas de trabalho ou entre amigos.


Acredito que estas idéias quan­do refletidas em cima de nossos re­lacionamentos,
podem produzir benefícios e mudanças de melhor qua­lidade em nossas vidas.
Relaciona­mentos duradouros não acontecem por acaso.
Precisam ser cultivados.
Precisam atenção, carinho, esforço e tempo.
As pistas estão aí.
Bom proveito!!!


Valmor P. Scheibe


Referências Bibliográficas:


"Amando Uns aos Outros" de Leo Buscaglia :: Ed. Nova Era

ÁGUIA



VOAR É PRECISO

Aldo Colombo

No ponto mais alto de uma rocha, a águia construiu seu ninho.

Lá embaixo ficava a planície, no alto as nuvens e as estrelas.
Foram longos dias de paciência e um dia, três pequenas águias romperam
a casca do ovo e ficaram fascinadas pela luz.
Os dias iam passando e os pais traziam, com pontualidade, o alimento.
E, à noite, as penas aveludadas da mãe garantiam o calor e a tranqüilidade,
evitando o vento frio e a neve. Para os filhotes, esta vida poderia durar sempre. E, de alguma maneira, assim pensavam seus pais. Mas chegou o dia do empurrão.


A águia empurrou, com ternura e firmeza, seus filhotes para a beirada do ninho.
Seu coração se acelerou, com emoções conflitantes,
ao mesmo tempo que sentiu a resistência dos filhotes, com medo de cair.
Lá embaixo estava o abismo.
Se as asas não funcionarem, os filhotes morrerão,
rolando de pedra em pedra até o sopé da gigantesca rocha.


Apesar do medo, a águia-mãe sabia que aquele era o momento.
Sua missão estava prestes a terminar. Faltava a tarefa final: o empurrão.
Ela se encheu de coragem. Enquanto os filhotes não descobrirem suas asas,
não haverá futuro.
Enquanto eles não aprenderem a voar, não descobrirão o privilégio de nascer águia.
O empurrão era o melhor presente que ela poderia oferecer-lhes.
Era seu supremo gesto de amar. Então, um a um, ela os precipitou para o abismo. E eles voaram.


A águia em seu instinto cego,fez aquilo que os pais devem fazer
em sua racionalidade.
O lar é o ninho da ternura, do amor e da aprendizagem.
Mas chega um dia que a excessiva proteção compromete o futuro dos filhos.
Coitados, são tão inexperientes, pensam alguns pais.
E os filhos ficam dormitando no comodismo, enquanto a vida passa.
Eles nunca vão aprender a voar.
A racionalidade deve vencer o medo e os filhos precisam encontrar seu próprio espaço, tomar em suas mãos o destino.


Amar não é querer bem, mas querer o bem dos filhos.
Amar não é sempre dizer sim, mas ter, igualmente, a coragem do não,
que também é prova de amor.
Os pais devem indicar aos filhos o caminho, mas não podem caminhar por eles.

Educar é fortalecer as asas, mas não podem voar por eles.
Misturar, de maneira inteligente, o amor e a firmeza,
sintetiza a arte de educar.
Por vezes o coração, sobretudo materno, raciocina mal.


Como a águia, os pais devem empurrar seus filhos.
Águias adultas não podem ficar dormitando no ninho a vida inteira.
Uma canção do padre Zezinho afirma: “Se já tem asas, seu destino é voar!”.


Somente voando as aves descobrem suas possibilidades.
Elas nasceram para serem águias e não galinhas.
Somente tentando tomamos consciência do enorme poder que temos.
Os limites humanos sempre podem ser superados.
Até mesmo aquilo que parece impossível pode ser feito.
Educar é também empurrar, a seu tempo, os filhos para fora do ninho.
E eles voarão.


Extraído do Correio Riograndense, 05/10/2005.





Queridos amigos, se existe uma ave com a qual nos identificamos , é com a águia, pela sua capacidade de desprendimento, de renovação, de liberdade...


"Aproveite as asas, com que você foi contemplado por Deus , como resultado do seu trabalho ou por acréscimo de Misericórdia Divina"...

Agradecemos a Deus e aos Amigos Espirituais, por haver sido contemplada com pais , que nos estimularam a alçar o mais importante do vôos, o da liberdade sem receio de quedas, porque sabiam que ficariam físicamente pouco tempo ao nosso lado...
Com eles, muito aprendemos, principalmente que todos nós nascemos para sermos águias e águias nascem com todas as potencialidades para voarem seguindo o estímulo visual do sol...
Existe algo mais lindo?
Beijos mil!
Gabi

sexta-feira, maio 26, 2006

JANELAS DA ALMA

JANELAS NA ALMA


O sentimento e a emoção normalmente se transformam em lentes
que coam os acontecimentos, dando-lhes cor e conotação próprias.
De acordo com a estrutura e o momento psicológico, os fatos passam

a ter a significação que nem sempre corresponde à realidade.
Quem se utiliza de óculos escuros, mesmo diante da claridade solar,

passa a ver o dia com menor intensidade de luz.
Variando a cor das lentes, com tonalidade correspondente desfilarão

diante dos olhos as cenas.
Na área do relacionamento humano, também, as ocorrências assumem

contornos de acordo com o estado de alma das pessoas envolvidas.
É urgente, portanto, a necessidade de conduzir os sentimentos,

de modo a equilibrar os fatos em relação com eles.
Uma atitude sensata é um abrir de janelas na alma,

a fim de bem observar os sucessos da vilegiatura humana.
De acordo coma a dimensão e o tipo de abertura,

será possível observar a vida e vivê-la de forma agradável,
mesmo nos momentos mais difíceis.
Há quem abra janelas na alma para deixar que se externem

as impressões negativas, facultando a usança de lentes escuras,
que a tudo sombreiam com o toque pessimista de censura e de reclamação.
Coloca, nas tuas janelas, o amor, a bondade, a compaixão, a ternura,

a fim de acompanhares o mundo e o seu séqüito de ocorrências.
O amor te facultará ampliar o círculo de afetividade,

abençoando os teus amigos com a cortesia,
os estímulos encorajadores e a tranqüilidade.
A bondade irrigará de esperança os corações

ressequidos pelos sofrimentos e as emoções despedaçadas pela aflição
que se te acerquem.
O perdão constituirá a tua força revigoradora colocada

a benefício do delinqüente, do mau, do alucinado, que te busquem.
A ternura espraiará o perfume reconfortante da tua afabilidade,

levantando os caídos e segurando os trôpegos,
de modo a impedir-lhes a queda, quando próximos de ti.
As janelas da alma são espaços felizes para que se espraie a luz,

e se realize a comunhão com o bem.
Colocando os santos óleos da afabilidade nas engrenagens da tua alma,
descerrarás as janelas fechadas dos teus sentimentos,
e a tua abençoada emoção se alongará,
afagando todos aqueles que se aproximem de ti,
proporcionando-lhes a amizade pura que se converterá em amor,
rico de bondade e de perdão,
a proclamarem chegada a hora de ternura entre os homens da Terra.


Joanna de Ângelis

Do Livro: Momentos de Felicidade
Psicografia de Divaldo Pereira Franco

quarta-feira, maio 24, 2006

ORAÇÃO



ORAÇÃO DA SOLIDARIEDADE


Que eu possa a quem está com frio dar o cobertor.
Mas se o frio for da alma, que eu tenha condições de dar afetivo calor.
Se alguém chorar, que eu possa suas lágrimas enxugar.
Mas se eu também estiver em dor, que pelo menos possa companhia fazer.
Porque é chocante, senhor, chorar sem ter alguém para nos consolar;
sofrer sem ter com quem dividir;
precisar desabafar e não ter quem ouvir;
enfermar sem ter com quem contar.
Assim, Senhor, e por tudo isso, eu te suplico:
preciso ao próximo servir, tendo tolerância para com a ignorância;
o desprendimento frente à pobreza;
a solicitude moral diante dos reclames das crianças;
atenção e amparo para com a velhice;
o perdão sem condição;
a brandura na exaltação;
a verdade sem interesse e o amor sem cobranças.
Mas, se nada disso eu puder ter ou fazer, que a vida me torne humilde
para reconhecer que preciso espiritualmente crescer.
Assim seja.


terça-feira, maio 23, 2006

HAMMED



RIGIDEZ


Para melhorarmos as circunstâncias de nossa vida, precisamos transformar
nossos padrões de pensamentos limitadores.
Isolando-nos dentro dessas fronteiras estreitas, passamos a encarar o mundo
de forma reduzida e nos condicionamos a pensar que a vida é uma fatal provação.
Assim, não mais vivemos intensamente, limitando-nos apenas a sobreviver.


Explorando opções, diversificando nossas opiniões, conceitos, atitudes e
recolhendo os frutos do progresso aqui e acolá, teremos expandida a nossa visão,
que será a base para agirmos com prudência e maleabilidade diante das nossas decisões.
A arquitetura de uma ponte prevê os movimentos oscilatórios,

para que sua estrutura não sobre dano algum.
As estruturas imobilizadas nunca são tão fortes como as flexíveis.


Mentalidades rígidas não são consideradas desembaraçadas e rápidas,
pois, nunca estão prontas para mudar ou para receber novas informações.
"... Uma paixão se torna perigosa a partir do momento em que

deixais de poder governá-la e que dá em resultado um prejuízo qualquer
para vós mesmos, ou para outrem."


"... Todas as paixões têm seu princípio num sentimento,
ou numa necessidade natural. (...)
A paixão propriamente dita é a exageração de uma necessidade ou de um sentimento...".
Paixões podem ser consideradas predisposições impetuosas e violentas,

se levadas ao extremo.


Elas atingem as diversas áreas do relacionamento humano,
como, por exemplo, a política, a social, a afetiva, a religiosa e a sexual.
Predileção pelo lucro é útil; o exagero é cobiça.
Predileção pelo afeto é valorosa; o exagero é apego.
Predileção pela religião é a evolução; o exagero é fanatismo.
Predileção pela casa é necessária; o exagero é futilidade.
Predileção pelo lazer é saudável; o exagero é ociosidade.
Entendemos, portanto, que a predileção pelas nossas convicções é racional,

mas o exagero é inflexibilidade, obstinação, ou seja, paixão.


Ser flexível não quer dizer perda de personalidade ou "ser volúvel,
mas ser acessível à compreensão das coisas e pessoas.
Encontramos criaturas que se mantêm presas durante anos e anos

a conceitos e crenças imobilizadoras.


Convergiram toda a sua atenção para sentimentos,
objetivos ou pensamentos obstinados,
dificultando uma amplitude de raciocínio e discernimento.
Esse fenômeno não somente ocorre no mundo físico,

mas também com as criaturas na vida espiritual,
que permanecem estacionadas, compulsoriamente,
a uma paixão doentia ligada a uma idéia única.


Criando uma pluralidade de pensamentos reflexivos,
teremos, obviamente, um melhor discernimento para perceber,
escutar, ler, aprender e seguir nossos caminhos.
Nossa saúde mental está intimamente ligada a nossa capacidade de adaptação

ao meio em que vivemos,
e nosso progresso intelectual se expressa por meio da habilidade psicológica de associação de idéias.


Na atualidade, os estudiosos da mente acreditam que
os indivíduos duros e intransigentes, por não se adaptarem à realidade das coisas,
possuem uma maior predisposição para a psicose.
Fogem para um universo irreal, classificado como loucura.
Essa fuga é, por certo, uma forma de adaptação,
para que possam sobreviver no mundo social que eles relutam em aceitar.


Deixar a rigidez mental é fator básico para o crescimento interior.
Para aprendermos o "bem viver",
é preciso que abandonemos as condutas da paixão,
quer dizer, das emoções exageradas.
As atitudes inovadoras e consideradas inusitadas na vida
dos grandes homens foram as que fizeram com que fossem
denominadas criaturas extraordinárias.


Jesus Cristo, o Sublime Renovador das Almas,
é considerado a maior personalidade "sui generis"
de toda a humanidade.


O mestre não somente teve procedimentos e atitudes nobres,
mas também inéditos e inovadores,
substituindo toda uma forma de pensar rígida,
impetuosa e fanática dos homens de caráter austero
e intolerante que viviam em sua época.

Hammed

Psicografada por Francisco do Espírito Santo Neto

domingo, maio 21, 2006

HAMMED


Madre Teresa de Calcutá e "Sua Princesinha", forma carinhosa , como se referia à Princesa Diane

"O ser humano é verdadeiro campo magnético, atraindo pessoas e situações, as quais se sintonizam com seu mundo mental, ou mesmo antipatizam com sua maneira de ser."
Hammed


Da obra "Renovando Atitudes"
Psicografada por Francisco do Espírito Santo Neto .

PARA VIVER BEM



PARA VIVER BEM


Para viver bem...
Procure, todos os dias, ao se deitar,
fazer um relatório mental de todas suas atitudes.
Relembre se ajudou através de palavras, atos ou pensamentos
todos aqueles que de você necessitaram.
Force a memória e verifique se fez alguma coisa ao próximo
que não gostaria que fosse feita a você.
Analise se todos os seus comentários foram verdadeiros
e se nenhuma maledicência saiu de seus lábios.
Saiba que uma oração ajuda àquele que deixamos de auxiliar e que no,
novo dia, teremos a chance de repararmos nossos erros.


Humberto Pazian


Texto extraído do livro Para viver bem... :: Letras e Textos Editora


Mensagem recebida dos companheiros da Casa Espírita Fraternidade de Assis

SILENCIO


SILENCIA


Espera o momento certo de falar.
Deixa que os ânimos se asserenem.
Não te manifestes verbalmente no primeiro impulso.
Não permutes ofensas.



Quem se exalta está fora de controle.
Utiliza o bom senso e silencia.
Isola-te da faixa vibratória negativa que a palavra insensata estabelece.
Não aceites o convite da provocação.



Quando estronda a tempestade, a Natureza emudece.
A gritaria impossibilita o diálogo, e, sem dialogar, ninguém conversa com proveito.
Em determinadas circunstâncias, somente o silêncio consegue falar mais alto e convincente.
Quase sempre, a atitude de quem se encoleriza destitui de razão todos os seus argumentos.


Do livro " Dias Melhores"
Pelo Espírito Irmão José
Psicografia de Carlos A. Bacelli


Mensagem recebida dos companheiros do Grupo Espírita Renascer.

sábado, maio 20, 2006

CONVITE AO DESPRENDIMENTO


CONVITE AO DESPRENDIMENTO


"Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões penetram e roubam..."
(Mateus: 6-19.)


Desprendimento na qualidade de desapego, não de estroinice nem dissipação.
Todo e qualquer motivo que ata à retaguarda sob condicionamentos retentivos

se transforma em cadeia escravizante.
Os objetos a que o homem se apega valem os preços que lhes são emprestados,

constituindo-se elos a impedirem o avanço do possuidor, na direção do futuro...


Desapego, portanto, em forma de libertação do liame pessoal egoístico
e tormentoso que constitui presídio e patíbulo para quem se fixa
negativamente como para aquele que se faz vítima afetiva.



Liberta-se das aflições constritivas, asfixiantes, para marchar com segurança.
Doa com alegria quanto possas, generosamente.
O que distribuis com equilíbrio e lucidez multiplica-se,

o que reténs reduz-se.


Abundância, como excesso engendram miséria e loucura.
Distende assim, mão generosa na alfândega da fraternidade,

mas liberta-te da emotividade desregrada, da posse afetuosa e objetos,
animais e pessoas, porquanto mais carinhos que te mereçam,
mais devoção que lhes dês,
chegará o dia de atravessares o portal do túmulo,
fazendo-o soledade, livre de amarras ou jungido ao que se demorará,
a desgastar-se pela ferrugem, pelo azinhavre,
corroído ou simplesmente
em trânsito por outras mãos ante
a tua tormentosa impossibilidade de reter e interferir.

Joanna de Ângelis


Psicografia de Divaldo P. Franco
Livro: Convites da Vida

BEZERRA DE MENEZES

MENSAGEM DE DR. BEZERRA DE MENEZES


Tu és o nosso sol!
Vem ter conosco, Jesus,
pois que se contigo debatemo-nos na aflição
e jornadeamos na ignorância,
sem Ti mergulharemos no caos.


Aquece-nos, Senhor,
para sermos dignos do teu inefável amor.
Espíritas do mundo, aqui reunidos:
tende como templo o Universo,
como nos disse Léon Denis, o Apóstolo do Espiritismo francês,
mas conduzi Jesus em vossos corações,
em vossas palavras,
em vossos atos.


Semeai a claridade inapagável da Doutrina Espírita.
Onde fordes, deixai que ela brilhe porintermédio de vós.
Sois agora mensageiros da Luz do Mundo.
Fazei que a Doutrina de liberdade que vibra, que pulsa em vós,
encontre outros continentes de almas para conquistar.


Não arroleis dificuldades,
não anoteis desafios, não aponteis fracassos.
A experiência resulta das tentativas de
acerto e de erro.
Em qualquer situação, amai.
Diante de qualquer desafio, perserverai no Bem.
Caluniados, jamais caluniadores.
Agredidos, nunca agressores.
Perseguidos, não perseguidores.


O Mestre espera por vós e o missionário Allan Kardec,
a quem homenageamos nesse momento,
vos inspira e vos guia em nome de Jesus.


Sede fiéis até o fim e ide em paz.
Quer o Senhor de Bênçãos vos abençoe.
A todos nos abençoe.
Em nome dos Espíritos espíritas aqui presentes,
de várias pátrias,
abraça o coração de todos vós o servidor humílimo e paternal.


Bezerra

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco no dia 5 de outubro de 2004, em Paris, França, por ocasião da solenidade de encerramento do 4o Congresso Espírita Mundial)

ORAÇÃO

ORAÇÃO


A oração não suprime, de imediato, os quadros da provação,
mas renova-nos o espírito,
a fim de que venhamos a sublimá-los ou removê-los.


Repara o caminho que a névoa amortalha,
quando a noite escura te distancia do Sol.
Em cima, nuvens extensas furtam-te aos olhos o painel das estrelas,
e embaixo, espinheiros e precipícios ameaçam-te os pés.
Debalde consultarás a bússola que a treva densa embacia.


Se avanças, é possível te arrojes na lama de covas escancaradas;
se paras, é provável padeças o assalto de traiçoeiros animais...
Faze, porém, pequenina luz, e tudo se modifica.
O charco não perde a feição de pântano
e a pedra mantém-se por desafio que te adverte na estrada;
entretanto, podendo ver, surgirás, transformado e seguro,
para seguir à frente, vencendo as armadilhas da sombra
e as aperturas da marcha.


Assim, também, é a oração nos trilhos da experiência.
Quando a dor te entenebrece os horizontes da alma,
subtraindo-te a serenidade e a alegria,
tudo parece escuridão envolvente e derrota irremediável,
induzindo-te ao desânimo e insuflando-te o desespero;
todavia se acendes no coração leve flama da prece,
fios imponderáveis de confiança ligam-te o ser à Providência Divina.


Exteriormente, em torno,
o sofrimento não se desfaz da catadura sombria;
a morte, ainda e sempre,
é o véu de dolorosa separação;
a prova é o mesmo teste inquietante
e o golpe da expiação continua sendo a luta difícil e inevitável,
mas estarás, em ti próprio,
plenamente refeito, no imo das próprias forças,
com a visão espiritual iluminada por dentro,
a fim de que compreendas, acima das tuas dores,
o plano sábio da vida,
que te ergue dos labirintos do mundo à bênção do amor de Deus.

Emmanuel

Psicografia de Francisco Cândido Xavier

Do livro: À luz da Oração



DEZ MANEIRAS DE AMAR A NÓS MESMOS


1 - Disciplinar os próprios impulsos.

2 - Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3 - Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4 - Aceitar sem revolta a crítica e a reprovação.

5 - Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6 - Evitar as conversações inúteis.

7 - Receber o sofrimento o processo de nossa educação.

8 - Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9 - Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10 - Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.


André Luiz
Psicografia.:Francisco Cândido XavierLivro.: Paz e Renovação

VOAR


EU ACREDITO QUE POSSO VOAR


R. Kelly


Usei um pensamento que poderia não ter fundamento,
E a vida não era nada,
além de uma temível canção
Mas agora sei o significado do verdadeiro amor,
Inclinando as minhas eternas armas


Se eu posso ver isto, também posso fazê-lo
Se eu posso acreditar nisto que não está totalmente claro


Eu acredito que posso voar
Eu acredito que no céu posso tocar
Penso nisto dia e noite
Estendo minhas asas e vôo além...
Eu acredito que posso elevar-me
Eu vejo-me a correr em direção a uma porta aberta
Eu acredito que posso voar!


Vejo que estive na margem da fraqueza,
Por vezes o silêncio pode parecer tão ruidoso
São milagres da vida que eu realizo
Mas eu sei que primeiro inicia-se dentro de mim


Posso acreditar nisto?




English


I BELIEVE I CAN FLY

R Kelly


I Believe I Can Fly
I used to think that I could not go on
And life was nothing but an awful song
But now I know the meaning of true love
I'm leaning on the everlasting arms


If I can see it, then I can do (be) it
If I just believe it, there's nothing to it


I believe I can flyI believe
I can touch the skyI think about it every night and day
Spread my wings and fly away
I believe I can soar
I see me running through that open door
I believe I can flyI believe I can fly(Oh)
I believe I can fly


See I was on the verge of breaking down
Some times in silence can seem so loud
There are miracles in life
I must achieveBut first
I know it starts inside of me


Could I believe in it?

Adoro a letra e a melodia desta música e a mentalizo em todos os momentos menos fáceis, por que "Eu acredito que posso voar" e das alturas, supero todos os obstáculos...

Das alturas observo o brilho das estrelas e a pequenez dos pequenos obstáculos...

Tenham uma semana de muita Paz!

Carinhosamente,

Gabi

sexta-feira, maio 19, 2006

RETRATO DA AMIZADE



RETRATO DA AMIZADE


Agradeço, Alma Fraterna e boa
O Amor que no teu rosto se condensa deixando ao longe a festa,
o ruído e o repouso para dar-me a presença.


Sofres, sem reclamar, enquanto exponho minhas idéias diminutas
e anoto como é grande o teu carinho no sereno sorriso em que escutas.
Não sei dizer-te a gratidão que guardo pelas doces palavras que me dizes
amenizando as lutas que carrego em meus impulsos infelizes.


Auxilias-me a ver sem barulho ou reproche,
dos trilhos para o bem, o mais certo e o mais curto,
sem cobrar pagamentos ou louvores pelo valor do tempo que te furto.


Aceitas-me no todo como sou,
nunca me perguntaste de onde vim
nem me solicitaste qualquer conta da enorme imperfeição
que trago em mim.


Agradeço-te, ainda,
o socorro espontaneo que me estendes à vida estrada à fora
para que minhas mãos se façam mensageiras de consolo a quem chora.


Louvado seja Deus, Alma Querida e Bela,
pelo conforto de teu Braço Irmão,
por tudo que tens sido em meu caminho,
por tudo que me dás ao Coração.


Maria Dolores

quinta-feira, maio 18, 2006

DE ALMA PARA ALMA



DE ALMA PARA ALMA


Escuta, alma querida!
Ante as perturbações e os empeços da vida,
Onde não possas ajudar
A dissipar a treva e extinguir o pesar,
Nada fales, em vão!...



Uma palavra, às vezes, tão-somente,
Na moldura de um gesto irreverente,
Basta para espancar o coração.



Se anotas sombra e dor,
por onde jornadeias
Dá consolo e respeito às aflições alheias...
Tempo vai, tempo vem...
E assim como o carvão se faz diamante puro,
Na forja do destino, em louvor do futuro,
Todo o mal se converte em coluna do bem.



Usa o verbo, esparzindo novas luzes,
Não condenes, não firas, não acuses!...
Onde enxergares pedra, lodo, espinho,
Cobre de paz e amor as lutas do caminho.



Lembremos nossos erros, teus e meus!...
Todos sofremos provas, alma boa,
Trabalha, serve, ajuda, ama e abençoa
E encontrarás contigo a presença de Deus.

Maria Dolores

UMA LUZ HÁ DE VIR


UMA LUZ


Por vezes, tanto empeço na estrada,
Que indagas, coração, de alma desencantada,
Por que meios humanos prosseguir...



Entretanto, ergue a fronte, ao vasto firmamento,
Da nuvem mais pesada ou do céu mais cinzento
Uma luz há de vir...



Deus a ninguém esquece...
ante a sombra noturna,
Sem bússola na selva imóvel e soturna,
O viajor se detém, sem coragem de agir;
Pára, pensando em Deus...a névoa se condensa...
Mas a oração lhe diz, além da sombra imensa:
Uma luz há de vir...



Abate-se na mina a sinistra barragem;
Pedras, detrito e lama impedem a passagem,
Vozes clamam, no fundo, a gemer e a pedir;
Eis que a prece se eleva e, ao socorro da altura,
Gritam vozes de irmãos, promovendo a abertura:
Uma luz há de vir...



É noite. Sobre o mar, há bulcões em batalha,
Relâmpagos relembram fogo de metralha
No trovão a rugir;
O barco, aos vagalhões, treme, estremece, estala
Pequena multidão, ora, espera e se cala...
Uma luz há de vir...



Desse modo, igualmente, alma fraterna,
Quando a prova por sombra te governa,
Qual noite que te oculta as visões do porvir,
Quando tudo pareça escuridão que avança,
Trabalha, serve, crê e ouve a voz da esperança:
Uma luz há de vir...



Maria Dolores

quarta-feira, maio 17, 2006

GANDHI



"Posso ser uma pessoa desprezível, mas quando a verdade fala em mim, sou invencível".

Mahatma Gandhi

CURA ESPIRITUAL



CURA ESPIRITUAL


Comece orando.
A prece é luz na sombra em que a doença se instala.
Semeie alegria.
A esperança é alegria no coração.
Fuja da impaciência.
Toda irritação é desastre magnético de conseqüências imprevisíveis.
Guarde confiança.
A dúvida deita raios de morte.
Não critique.
A censura é choque nos agentes da afinidade.
Conserve brandura.
A palavra agressiva prende o trabalho na estaca zero.
Não se escandalize.
O corpo de quem sofre é objeto sagrado.
Ajude espontaneamente para o bem.
Simpatia é cooperação.
Não cultive os desafetos.
Aversão é calamidade vibratória.
Interprete o doente qual se fosse você mesmo.
Toda cura espiritual lança raízes sobre a força do amor.

VIAGEM



NÃO MORRERAM, PARTIRAM ANTES !

Choras teus mortos com tamanho desconsolo que,
dir-se-ia, és imortal.
Not dead, but gone before, diz sabiamente o prolóquio inglês.
Não morreram, partiram antes.
Tua impaciência se move como loba faminta,
ansiosa de devorar enigmas.
Pois não morrerás logo depois,
e forçosamente não virás a saber a solução
de todos os problemas que são de uma diáfana e deslumbrante sutilidade?
Partiram antes...

Por que interrogá-los com nervosa insistência?
Deixa que eles sacudam o pó do caminho,
que descansem no regaço do Pai
e ali curem as feridas de seus pés andarilhos;
deixa que ponham seus olhos nos verdes prados da paz...

O trem espera.
Por que não preparar o bornal de viagem?
Esta seria mais prática e eficaz tarefa.
Ver teus mortos é de tal modo premente e inevitável
que não deves alterar com a menor ansiedade as poucas horas de teu repouso.
Eles, com um conceito total do tempo,
cujas barreiras transpuseram de um salto,
também te aguardam tranqüilamente.

Foi que simplesmente tomaram um dos trens anteriores.






FLORES PARA A MINHA QUERIDA MÃE

:: MINHA HOMENAGEM AO ANIVERSÁRIO DE SUA DESENCARNAÇÂO ::


Apesar de todo conhecimento, hoje sinto-me órfã sem a sua presença, sempre tão amiga e generosa, devido a data de sua desencarnação.
Gostaria de poder oferecer-lhe todas as flores do mundo, em especial, aquelas que desde a infância foram semeadas cuidadosamente em meu coração.
Desejo e você e a todos os nossos entes queridos, que se encontram na Pátria Espiritual, toda a minha gratidão e carinho, por tudo que sempre fizeram por mim e pelas pessoas especiais em minha vida.


Só posso dizer:


" Mãe, obrigada pela vida, pela amizade, pelo carinho, pelos valores que me foram transmitidos... Cada uma das minhas vitórias, divido-as com você, até que num futuro, possamos partilhá-las juntas, novamente!
Não me permitiria comemorar esta data num túmulo vazio, mas sempre na singeleza do nosso lar, que foi e sempre será seu ".
TE AMO !

Gabi

segunda-feira, maio 15, 2006



ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO


Senhor, fazei-me instrumento de Vossa paz
Onde houver ódio que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvida, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a luz.


Ó Mestre, fazei que eu procure mais
Consolar que ser consolado,
Compreender que ser compreendido,
Amar que ser amado
Pois é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado
E é morrendo que se vive para a vida eterna...


Francisco de Assis

ORAÇÃO!



ORAÇÃO!

Senhor!

Hoje pela manhã,

minha cama estava quentinha.

Eu não queria acordar

Não queria levantar.

Queria ficar ali.

Sem ter que me preocupar com nada.

Mas daí.

Lembrei que eu não deveria ficar.

Porque existem milhões de pessoas.

Que queriam estar no meu lugar.

Acordar e ter um trabalho.

Um compromisso.

Ter para onde ir sem ficar vagando.

Sem ter o que comer.

Sem ter o que vestir.

Hoje Senhor!

Agradeço pela noite maravilhosa.

Pelo cobertor que me aqueceu.

Pelo meu alimento.

Por mais um dia de trabalho.

Principalmente.

Por mais um dia de vida.

Abençoa Senhor!

Meus amigos e inimigos.

Porque eles também precisam de ti.

Senhor!

Abençoe o amigo que está aí.

Lendo essa mensagem agora.


Amém!

Autor Desconhecido

domingo, maio 14, 2006

Servir - Gabriela MIstral




SERVIR...

Gabriela Mistral


A vida é antes de tudo um “serviço”,
e é através do “servir” que se processa um efetivo desenvolvimento do ser humano.
O poema de Gabriela Mistral manifesta precisamente esta filosofia de “servir”.


Toda a natureza é um serviço.
Serve a nuvem.
Serve o vento.
Serve a chuva.
Onde haja uma árvore para plantar, plante-a você.
Onde haja um erro para corrigir, corrija-o você.
Onde haja um trabalho e todos se esquivem, aceite-o você.
É muito belo fazer aquilo que os outros recusam.
Mas não caia no erro de que só há mérito nos grandes trabalhos.
Há pequenos serviços que são bons serviços.
Adornar uma mesa,
arrumar seus livros,
pentear uma criança.
Uns criticam, outros constróem.
Seja você o que serve.
Servir não é faina de seres inferiores.
Seja você o que remove,
a pedra do caminho,
o ódio entre corações
e as dificuldades do problema.
Há a alegria de ser puro
e as dificuldades do problema.
Há a alegria de ser puro
e a de ser justo.
Mas há sobretudo,
a maravilhosa, e imensa alegria de servir.


Gabriela Mistral
Poetisa e escritora chilena :: 1889 :: 1957

ASSIM MESMO



ASSIM MESMO...

Muitas vezes, as pessoas são egocêntricas, ilógicas e
insensatas.
Perdoe-as, assim mesmo.
Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta,
interesseiro.
Seja gentil, assim mesmo.
Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e
inimigos verdadeiros.
Vença, assim mesmo.
Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo.
Seja honesto e franco, assim mesmo.
Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir
inveja.
Seja feliz, assim mesmo.
O bem que você faz hoje, pode ser esquecido amanhã.
Faça o bem, assim mesmo.
Dê ao mundo o melhor de você,
mas isso pode nunca ser o
bastante.
Dê o melhor de você, assim mesmo.
Veja você que, no final das contas,
É ENTRE VOCÊ E DEUS.


Madre Teresa de Calcutá