Pachelbel - Canon In D Major

quarta-feira, abril 30, 2014

Paz e Alegria - Emmanuel





Paz e Alegria


Emmanuel




Planta, por onde fores,

Uma flor de bondade.

*

Irradia a esperança

Nas palavras de fé.

*

Veste de paz e amor

O ambiente em que estejas.

*

Se algum mal aparece,

Olvida e faze o bem.

*

Suprime quanto possas

Os problemas que encontres.

*

Pelo Sol, Deus nos guarda

No esplendor da alegria.





XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito  Emmanuel. Do livro "Momentos de Paz".

terça-feira, abril 29, 2014

O Que Interessa - André Luiz




O Que Interessa

André Luiz



As ocorrências da vida se destacam em dias determinados, na senda de todos:

- as tribulações em família;


- os obstáculos no trabalho;


- as enfermidades de longo curso;


- os desgostos domésticos;


- o momento de erro;


- os tempos de crise;


- os empeços profissionais;


- as incompreensões de pessoas queridas;


- os dias de reconforto;


- as horas de êxito nas realizações laboriosamente esperadas;


- os sofrimentos ocultos;


- os parentes difíceis;


- as aversões gratuitas;


- os companheiros-problemas;


- os prejuízos de conseqüências graves;


- os negócios infelizes;


- as épocas de solidão;



- e as sombras da tempestade, quando a tempestade nos domina o ambiente...


De tudo isso, a Divina Providência toma o conhecimento preciso, através dos mensageiros que a representam, junto de nós, mas, em verdade, aquilo que ao plano Superior interessa saber é o nosso tipo de reação, diante disso ou daquilo que nos sucede.




XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito  André Luiz. Do livro “Endereços da Paz”, C.E.U.



segunda-feira, abril 28, 2014

Obterás - Emmanuel




Obterás

Emmanuel



"Conforme te encontras na hora da prece, assim obterás a resposta..."


Obterás o que pedes.


Não olvides, contudo, que a vida nos responde aos requerimentos, conforme a nossa conduta na petição.


- Sedento, se buscas a água do poço, vasculhando-lhe o fundo, recolherás tão-somente nauseante caldo do lodo.


- Faminto, se atiras lama ao vaso que te alimenta, engolirás a substância  corrupta.


- Cansado, se procuras o leito, comunicando-lhe fogo à estrutura, deitarás numa cama de cinzas.


- Doente, se injurias a medicação que se te aconselha, alterando-lhe as doses,  prejudicarás o próprio organismo.


Isso acontece porque a fonte, encravada no solo, é constrangida a guardar os detritos com que lhe poluem o seio; o prato é forçado a reter os resíduos que se lhe imponham à face; o colchão é impelido a desintegrar-se ao calor do incêndio, e o remédio, aplicado com desrespeito, pode exercer ação contrária a seus fins.


Ocorre o mesmo, em plena analogia de circunstâncias, na esfera ilimitada do espírito.


Desesperado ou infeliz, desanimado ou descrente, não te valhas do irmão de que te socorres, tentando convertê-lo em cobaia para teus caprichos, porque toda alma é um espelho para outra alma, e teremos nos outros o reflexo de nós mesmos.


- Sombra projetada significa sombra de volta.


- Negação cultivada pressagia a colheita de negação.



Se aspiras a desembaraçar-te das trevas, não desajustes a tomada humilde, capaz de trazer-te a força da usina.


- Oferece-lhe meios simples para o trabalho certo e a luz se fará correta na lâmpada.


- Clareia para que te clareiem.


- Auxilia para que te auxiliem.


- Estuda, servindo, para que o cérebro hipertrofiado não te resseque o coração distraído.


- Indaga, edificando, para que a inércia te não confunda.


Fortaleçamos o bem para que o bem nos encoraje.


Compreendamos a luta do próximo, a fim de que o próximo nos entenda igualmente a luta.


Lembra-te, pois, da eficácia da prece e ora, fazendo o melhor, para que o melhor se te faça, sem te esqueceres jamais de que toda rogativa alcança resposta segundo o nosso justo merecimento...



XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel .  Do livro "Religião dos Espíritos", 21, FEB.




domingo, abril 27, 2014

Esplendor - Emmanuel




Esplendor

Emmanuel



Não desanimes.

Segue...

Vives na luz de Deus.


*

A Terra que te abriga

É um jardim ante o Sol.

*

Contempla a vida, em torno...

Tudo é cor e beleza.


*
O fruto que consomes

É flor que amadurece.


*
A própria dor que sofras

É impulso para os cimos.


*
Deus te conduz aos Céus,

De esplendor a esplendor...


 *



XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel .Do livro "Amor e Luz".

sábado, abril 26, 2014

Renascer - Emmanuel




Renascer


Emmanuel


"Se a vontade bem dirigida é a bússola de nossa embarcação no mar das provas edificantes, podemos, em verdade, renascer, cada hora..." - Emmanuel



Deplorável engano esperar alguém por nova reencarnação, a fim de melhorar-se. 


A entrada de nossa alma na luta humana é como que o ingresso do aluno do amor e da sabedoria, em novas fases de aprimoramento na grande escola da Terra.


E, se vemos a árvore renascer da semente, em trabalho metódico, e se observamos o tempo ressurgir, em cada novo dia, é fácil reconhecer a nossa privilegiada posição de criaturas conscientes, no círculo das possibilidades de renascimento espiritual em qualquer ocasião.


Se a vontade bem dirigida é a bússola de nossa embarcação no mar das provas edificantes, podemos, em verdade, renascer, cada hora...


Da incerteza para a confiança.


Do desalento para a coragem.


Da tristeza para a alegria.


Da fadiga para o bom ânimo.


Da sombra para a luz.


Do mal para o bem.


Da perturbação para o equilíbrio.


Da dor para a felicidade.


Da discórdia para a paz.


Da violência para a harmonia.


Do ruído para o silêncio.


Do ódio para o amor.


Renascimento de hoje, porém, indica a morte da véspera.


Se não aprendemos a ceder, em silêncio, apagando os nossos impulsos de dominação individualista, quando se cala a semente na cova escura, morrendo para reviver no pão que enriquece o celeiro, será sempre difícil a nossa renovação.


Usando o amor e a humildade, no clima do serviço incessante, encontraremos, cada dia, mil recursos de recomeçar a nossa jornada, com bases no Infinito Bem.


Cada qual de nós possui o tesouro do coração, do cérebro, do verbo, dos braços...


Se quisermos empregar semelhantes patrimônios, na transformação dos valores que nos cercam, convertendo a nossa fé em motivo de trabalho santificador, em todos os momentos da vida, permaneçamos convictos de que estamos no renascimento constante, a caminho da perfeição crescente, que nos outorgará o direito às mais vastas compensações da Vida Universal.




XAVIER,  Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro “União Em Jesus”, Espíritos Diversos.

sexta-feira, abril 25, 2014

Presentes para a alma - Momento Espírita






Presentes para a alma



Quando datas especiais se aproximam, seja o aniversário de um amigo, uma festa familiar ou, ainda, um dia especial na vida a dois, é natural que desejemos celebrar.


De imediato, nos ocorre o pensamento de como presentear, de como marcar significativamente a data, torná-la um evento, indagando-nos o que iremos ofertar, o que comprar.


Essa preocupação se aprofunda nos relacionamentos longos, quando a contagem dos anos não cabe mais nos dedos das mãos, pois, a cada ano fica mais difícil escolher o que presentearmos.


Lembramos que já compramos isso, aquilo, eliminando as possibilidades das roupas, dos enfeites para o lar, dos objetos pessoais. E tudo se transforma num quebra-cabeça complicado.


Presentear quem queremos bem, buscar algo que a pessoa efetivamente vá gostar, é muito natural e saudável.


Porém, será que esses presentes comprados são os únicos que podemos oferecer?


De outra forma, será que os únicos presentes a ofertar aos nossos afetos são aqueles que podem ser vistos, apalpados?


É natural que busquemos materializar o quanto queremos bem alguém, que desejemos dar um simbolismo concreto àquilo que sentimos.


Porém, em algum momento, nos preocupamos em dar de presente coisas que cabem na alma?


Será que há a possibilidade de oferecer algo que não se guarde no armário ou na estante, mas que caiba na intimidade do coração?


Algo que a pessoa possa levar consigo, onde quer que vá, sem precisar, inclusive, pagar excesso de bagagem, ou se incomodar em que ninguém roube ou estrague.


Tantas vezes nos preocupamos em abarrotar as pessoas com coisas e, tão pouco nos preocupamos em preenchê-las com nosso sentimento.


Por vezes, o melhor presente que podemos oferecer é a solidariedade.


Afinal, estar presente nas festividades é fácil e prazeroso.


Entretanto, será nas horas difíceis e doloridas que poderemos oferecer os presentes mais valiosos e raros que possuímos, como o ombro amigo, a palavra de consolo, ou um olhar de compreensão.


Se na saúde e vigor físico podemos nos divertir e brindar aos prazeres e alegrias da vida, será nos momentos de doença e limitação física que incomparáveis presentes poderão ser ofertados.


Nessas horas, terão peso de ouro presentes como a companhia fraterna, o diálogo consolador, as palavras de bom ânimo e coragem que possamos proferir.


Assim, se gostamos de brindar aos nossos amigos e amores com mimos e regalos, estejamos atentos para não esquecer que, em algum momento, eles também precisarão de outros presentes.


Daqueles invisíveis aos olhos, mas que deixam marcas indeléveis no coração.


Presentes que nascem da fraternidade, da abnegação e da solidariedade. Presentes do verdadeiro amor.


Um presente comprado em loja pode materializar, de certa forma, o quanto queremos bem a alguém. Dirá que somos atentos ao que a pessoa aprecia, gosta, o que a felicita.


Mas, esses outros presentes, os que se dirigem diretamente à alma e são invisíveis aos olhos, esses serão sempre a devida medida do quanto conseguimos amar verdadeiramente, de maneira plena e profunda.


Pensemos nisso, enquanto aguardamos a próxima data festiva.




Redação do Momento Espírita. Disponível em www.momento.com.br.







quinta-feira, abril 24, 2014

Quando me amo - Momento Espírita




Quando me amo 



Quando me amo...


Acendo uma luz que clareia meus porões esquecidos, deixando para trás os erros e derrotas de tempos idos, e volto a respirar.


Quando me amo...


Aprendo a olhar para dentro, descobrindo-me em parte “potência”, em parte “possibilidade” – aquilo que já sou, aquilo que serei; onde já estou, onde quero estar.


Quando me amo...


Acolho-me feito mãe acolhe um filho ferido: dando colo, amparando o choro, aconselhando a refazer os caminhos. Não me engole a culpa; não me desestimula a derrota.


Quando me amo...


Cuido do corpo, como o lavrador cuida de sua enxada – instrumento preciso de trabalho e de vida adorada.


Cuido também da nutrição da alma: o que escolho assistir, o que escolho ler, pensar e dizer.


Quando me amo...


Vejo minh´alma como a escultura debaixo do mármore de Michelangelo, e entendo que a dor é cinzel que vai retirando um pouco aqui, um pouco lá, até que tudo se transforme em belo Davi.


Quando me amo...


Clareio também a tua face, pois toda luz não fica guardada, não há quem disfarce, um farol a reluzir sobre um monte erguido no ar.


Quando me amo...


Inspiro o teu autoamor, para que possas te amar e crescer, assim  como nova flor, que um dia foi broto, que um dia foi semente, que um dia foi sonho de florescer.


Quando me amo...


Amo-te com mais profundidade, pois conhecendo-me, conheço-te melhor também.



*   *   *

A proposta de Jesus em torno do amor é das mais belas psicoterapias que existe:


Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, numa trilogia harmônica.


Como ainda temos dificuldade em conceber o absoluto, para nos adequarmos à proposição crística, invertemos a ordem do mandamento, amando-nos de início, a fim de desenvolver as aptidões que dormem em latência e acumularmos valores iluminativos, ao longo dos dias.


Assim, nosso grande caminho de amor precisa começar com o autoamor, pois sem autoamar-se, o homem não consegue amar ao seu próximo e tão pouco amar o Criador.


Começamos a jornada dentro de nós, pois autoamor pede autoconhecimento, pede mergulho profundo para dentro de nós.


O autoconhecimento é o meio prático mais eficaz que temos para melhorar nesta vida e resistir à atração do mal.


E quem trabalha por sua melhora está se autoamando.


Cada movimento que fazemos no sentido de desenvolver nossas aptidões, e de acumular valores que nos façam pessoas melhores, é autoamor.


Naturalmente, esse amor a nós mesmos nos conduzirá ao nosso próximo.


Primeiro, porque o autoamor só se constrói e se vitaliza no encontro.


Segundo, porque quando temos uma cota de amor mais madura, mais consciente, conseguimos amar o outro melhor.


Nossas relações se harmonizam, nosso coração fica em paz, nossas angústias desaparecem.



*   *   *


Que possamos nos proporcionar mais momentos de autoencontro, com o objetivo de aprimorar nosso autoamor, que é a chave de todo nosso desenvolvimento no Universo.






Redação do Momento Espírita, com base no poema Quando me amo, de Andrey Cechelero e no cap. 13, item Amor de plenitude, do livro Amor, Imbatível Amor, de Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL. Disponível em www.momento.com.br.

quarta-feira, abril 23, 2014

Cartões de paz - André Luiz





Cartões de paz

André Luiz



Todos nós precisamos da verdade, porque a verdade é a luz do espírito, em torno de situações, pessoas e coisas; fora dela a fantasia é capaz de suscitar a loucura, sob o patrocínio da ilusão. 


Entretanto, é necessário que a caridade lhe comande as manifestações para que o esclarecimento não se torne fogo devorador nas plantações da esperança.

*

Todos nós precisamos da justiça, porque a justiça é a lei, em torno de situações, pessoas e coisas: fora dela, a iniqüidade é capaz de premiar o banditismo, em nome do poder. 


Entretanto, é necessário que a caridade lhe presida as manifestações para que o direito não se faça intolerância, impedindo a recuperação das vítimas do mal.

*
Todos nós precisamos da lógica, porque a lógica é a razão em si mesma, em torno de situações, pessoas e coisas; fora dela, a paixão é capaz de gerar crime, à conta de sentimento. 

Entretanto, é necessário que a caridade lhe inspire as manifestações,para que o discernimento não se converta em vaidade, obstruindo os serviços da educação.

*

Todos nós precisamos da ordem, porque a ordem é a disciplina, em torno de situações, pessoas e coisas; fora dela. 

O capricho é capaz de estabelecer a revolta destruidora, sob a capa dos bons intentos. 

Entretanto, é necessário que a caridade lhe oriente as manifestações para que o método não se transforme em orgulho, aniquilando as obras do bem.

*

Cultivemos a verdade, a justiça, a lógica e a ordem, buscando a caridade e reservando, em todos os nossos atos, um lugar para ela, porquanto a caridade é a força do amor e o amor é a única força com bastante autoridade para sustentar-nos a união fraternal, sob a raiz sublime da vida, que é Deus.

*

É por isso que Allan Kardec, cônscio de que restaurava o Evangelho do Cristo para todos os climas e culturas da Humanidade, inscreveu nos pórticos do Espiritismo a divisa inolvidável, destinada a quantos lhe abraçam as realizações e os princípios: 

- Fora da caridade não há salvação.





XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro Estude e Viva, pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz, psicografia Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.

terça-feira, abril 22, 2014

Serve e Caminha - Emmanuel




Serve e Caminha


Emmanuel



Possivelmente, trazes o coração preso a difícil processo de angústia...


Sofreste, talvez, o menosprezo das criaturas que mais amas.


Perdeste o lar que te assegurava a razão de viver.


Caíste em armadilhas de treva que ainda te encarceram em amargura.


Preparaste erros que te lançam em transitória desvalia.


Ludibriaram-te os sentimentos com desrespeito que nunca esperaste.


Carregas a conta de débitos que despenderás muito tempo a resgatar.


Experimentaste prejuízos que te parecem fogo no pensamento.


Passaste por injúrias que te dilapidaram a alma.


Conheceste a preterição em serviço e suportas o travo da humilhação.


Padeces enfermidade que os próprios companheiros te declaram irreversível.


Choras entes queridos, cuja existência, no Plano Físico, a morte encerrou, largando-te ao nevoeiro das lágrimas...


 

Seja qual for a tribulação que te flagela o campo mental, ergue-te em espírito, confia na Divina Providência, serve e caminha.


Em teu próprio lugar de trabalho, se prossegues doando à vida o melhor de ti mesmo, guarda a certeza de que todos os teus problemas serão solucionados e dissolvidos, nos arquivos do tempo, pela Onipresente Misericórdia de Deus.



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Emmanuel. Do livro "Linha Duzentos".