Pachelbel - Canon In D Major

segunda-feira, maio 27, 2013

O Poder da Atenção - José Carlos De Lucca





O Poder da Atenção

José Carlos De Lucca


Mas a criatura, quase sempre, cai é pelo óbvio. É óbvio, mas a gente se esquece. Então, uma fraterna lembrança em torno dos nossos deveres imediatos nunca é demais. Chico Xavier50



Ninguém tropeça em montanha.



Tropeçamos em pedras pequenas quase que todos os dias, e o acúmulo de nossas pequenas quedas é que nos leva muitas vezes ao chão das enfermidades.



Cuidado com as pequenas pedras, pois elas nos parecem inofensivas.



Quando os excessos à mesa se repetem, quando os abusos da bebida se sucedem, quando o descontrole emocional não cessa, tenha certeza de que o corpo vai apresentar mais tarde a conta dos nossos desequilíbrios.



Tropeçar em pedra pequena pode ser um pequeno suicídio.



Um método eficiente para evitar esse mal consiste em você identificar primeiramente as pedras, nas quais tem tropeçado e, ao avistá-las em seu caminho, ativar firmemente o poder da sua atenção.



Conscientize ao máximo sua ação de comer, beber, falar, agir ou qualquer outra conduta que você esteja querendo modificar.



Por exemplo, pesquisas demonstram que pessoas que se alimentam diante da televisão geralmente comem 30% a mais do que o habitual.



Comem mais porque perdem a atenção no ato de comer por causa da atenção que dedicam a televisão.



Tropeçamos nas pedras sem olhar para elas.



Comemos sem sentir o gosto da comida.



Falamos sem pensar no que vamos dizer.



Agimos sem pensar nas consequências.



Estamos ao lado das pessoas e nem sempre estamos com elas.



Quando colocamos nossa mente em alerta, as pedras vão naturalmente desaparecendo, como se colocássemos uma bola de sorvete perante o sol, que derreteria em poucos minutos.



Por essa razão, o autoconhecimento é indicado pelos Espíritos de Luz como o caminho mais eficaz para melhorarmos nesta vida51.



Quanto mais nos observarmos, sem nenhum propósito de autocondenação, mais lucidez teremos sobre  o nosso comportamento, mais cientes estaremos sobre onde se encontram as pedras nas quais tropeçamos, e assim poderemos evita-las naturalmente, sem nenhuma tensão.



Jesus viveu com extrema atenção sobre as próprias atitudes e situações que experimentava. 



Chorou quando era preciso chorar.



Comeu quando tinha fome e jejuou quando era preciso fortalecer seu espírito.
Festejou quando o momento era de festa.



Falou com doçura quando estava diante dos pecadores, mas não deixou de ser enérgico com os fariseus e hipócritas.



Por isso, o Mestre é o caminho, a verdade e a vida para todos nós que vivemos a doença da desatenção.


 *

Tropeçar em pedra pequena pode ser um pequeno suicídio.

 *

50 Doutrina Viva, psicografia de Carlos A. Baccelli, DIDIER.
51 O Livro dos Espíritos, questão n. 9l9, Allan Kardec

*



FONTE:

DE LUCCA, José Carlos. O Médico Jesus, Cap. 28, p.63-64.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”