Pachelbel - Canon In D Major

segunda-feira, julho 16, 2012

Os três crivos - Irmão X






Os três crivos

Irmão X



Certa vez, um homem esbaforido achegou-se ao grande filósofo e sussurrou-lhe aos ouvidos:

- Escuta, Sócrates... Na condição de teu amigo, tenho alguma coisa muito grave para dizer-te, em particular...

- Espera!... - ajuntou o sábio prudente. Já passaste o que vais me dizer pelos três crivos?

- Três crivos? - perguntou o visitante espantado.

- Sim, meu caro amigo, três crivos. Observemos se tua confidência passou por eles. O primeiro é o crivo da verdade. Guardas absoluta certeza, quanto àquilo que pretendes comunicar?

- Bem, - ponderou o interlocutor, - assegurar mesmo, não posso... Mas ouvi dizer e ... então...

- Exato. Decerto peneiraste o assunto pelo segundo crivo, o da bondade. Ainda que não seja real o que julga saber, será pelo menos bom o que me queres contar?

Hesitando, o homem replicou:

- Isso não... Muito pelo contrário...

-Ah! - tornou o sábio - então recorramos ao terceiro crivo, o da utilidade, e notemos o proveito do que tanto te aflige.

- Útil?!... aduziu o visitante ainda agitado. - Útil não é.

- Bem - rematou o filósofo num sorriso, - se o que tens a confiar não é verdadeiro, nem bom e nem útil, esqueçamos o problema e não te preocupes com ele, já que de nada valem casos sem edificação para nós!...

Aí está, meu amigo, a lição de Sócrates, em questão de maledicência...



XAVIER, Francisco Cândido pelo Espírito Irmão X .Do livro "Mensagens de Saúde Espiritual"

Um comentário:

  1. LINDA MENSAGEM. NOS DIAS DE HOJE VEMOS PESSOAS COMPARTILHANDO NOTICIAS QUE NÃO PASSAM NEM AO MENOS POR UM DOS CRIVOS. QUE BOM SE ELES PUDESSEM RECEBER ESTA MENSAGEM.

    ResponderExcluir

“Deixe aqui um comentário”