Pachelbel - Canon In D Major

sexta-feira, outubro 19, 2012

Transição Planetária - Manoel Philomeno de Miranda





Jesus, Benfeitor nosso!


Manoel Philomeno de Miranda


Enquanto o planeta amado estertora no seu processo de aprimoramento evolutivo, padecendo rudes provas e expiações, arrebatando os seus habitantes em direção a sofrimentos inenarráveis, aqueles que aqui estamos reunidos e Te amamos, suplicamos misericórdia, em face da inferioridade moral que predomina em a nossa natureza espiritual.



Desde há milênios que a todos nos convocas para a construção  do reino espiritual nas mentes e nos corações, sem que hajamos atendido corretamente ao Teu chamado.



Nas culturas e civilizações antigas, desde o período dos sumérios, alguns de nos demo-nos conta do alto significado da existência 20 terrestre, deixando-nos, porém, anestesiar pelos vapores da matéria  enganosa...



Mais tarde, na Pérsia e em Nínive, tomamos conhecimento da  Verdade e dos seus mistérios, para logo os abandonarmos, seguindo  as tubas guerreiras de Dario ou de Salmanasar, conquistando terras  e disseminando a morte. 



A nossa foi, então, a sementeira de sangue,  de orfandade, de viuvez, de ódio, e a colheita foram as dores acerbas e sem nome na Babilônia e no Egito, que nos fascinaram com os  seus templos faustosos, arrastando-nos depois para as derrotas sangrentas com Astiages e o assassinato de Akenaton...



Transitamos pelos montes do Tibet e as planuras da Índia, repetindo as lições do Mahabarata que nos emocionavam, sem que conseguíssemos alterar a belicosidade infeliz que nos assinalava...



A China veneranda com Fo-Hi e os seus filósofos ensinou-nos  sabedoria, entretanto não nos arrefeceu a sede alucinada de poder  sobre a Manchúria e os povos vizinhos, que também a destroçaram  várias vezes com os seus carros de destruição...



Atravessamos o deserto com Moises, como o faríamos depois  com Esdra, for nobreza de Ciro para re-construir o Templo e reerguer Jerusalém, e atacamos os filisteus e outros povos, semeando o  terror, malsinando, destruindo...



Atenas encantou-nos, desde os dias de Anaxágoras, depois, com  as lições de Sócrates, não impedindo, porem, que nos entregássemos, em Esparta, a hediondez e as lutas incessantes. . .



Acompanhamos Ciprião, o africano, como o fizéramos com Alexandre Magno, o macedônio, e Aníbal, o cartaginês, embora conhecedores da filosofia em torno da imortalidade e da interferência dos  deuses em nossas vidas, . .



...E contigo, após ouvir-Te as lições de incomparável beleza, abandonamos a fidelidade e convertemos a Tua doutrina em poder de  mentira, luxuria, hipocrisia e desventura. . .



Assim, atravessamos a noite medieval, advertidos for mártires e  santos, apegados a infâmia e ao horror.



Morremos e renascemos, vezes sem conto, despertando realmente para a vida em abundancia quando as claridades do Espiritismo  nos arrancaram da densa treva interior, da ignorância e do abismo  da loucura egotista. . .



Mais de uma vez, a Tua misericórdia sacudiu a barca planetária, qual ocorreu, há pouco, através do tsunami, demonstrando a  fraqueza dos engenhos humanos e suas parcas possibilidades de conhecer os desígnios de Deus, a Jim de a todos despertar-nos em definitivo..



Novamente solicitaste o apoio de outros Espíritos para a grande  transição que logo mais terá lugar no mundo físico.



Permite-nos, agora, que o Embaixador de outra Esfera, que estamos aguardando, fossa trazer-nos a Tua bênção em nome do amor  universal, a fim de que, realmente conscientes, consigamos servir-Te  com discernimento e abnegação.



Aqui estamos, genuflexos e expectantes, a Teu serviço, de coração e mente abertos a verdade.


Misericórdia, Senhor!




FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda. Transição Planetária.









Transição Planetária


"Para que na Terra sejam felizes os homens, preciso e  que somente a povoem Espíritos bons, encarnados e desencarnados, que somente ao bem se dediquem. 


Havendo chegado o tempo, grande emigração se verifica dos que a habitam: a dos que praticam o mal pelo mal, ainda não tocados  pelo sentimento do bem, os quais, já não sendo dignos do  planeta transformado, serão excluídos, porque, senão, lhe  ocasionariam de novo perturbação e confusão e constituiriam obstáculo ao progresso. 


Substituí-los-ão Espíritos melhores, que farão reinem em seu seio a justiça, a paz e a fraternidade..."



"...A época atual e de transição; confundem-se os elementos das duas gerações. 


Colocados no ponto intermédio,  assistimos a partida de uma e a chegada da outra, já se assinalando cada uma, no mundo, pelos caracteres que lhes são  peculiares...”



(A GENESE,  de Allan Kardec.  A geração nova,  Cap. XVIII -  Itens 27 e 28. 13. edição da FEB.)




Obra psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda que vale a pena ser lida...

Disponível em http://bvespirita.com/Transi%C3%A7%C3%A3o%20Planet%C3%A1ria%20(Psicografia%20Divaldo%20Pereira%20Franco%20 %20esp%C3%ADrito%20Manoel%20Philomeno%20de%20Miranda).pdf . Acesso: 19 OUT 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”