Pachelbel - Canon In D Major

terça-feira, abril 30, 2013

Convite à Paciência - Joanna de Ângelis




Convite à Paciência


Joanna de Ângelis



“... Em muita paciência, em aflições, em necessidades, em angústias.”
(2ª Epístola aos Coríntios: capítulo 6º, versículo 4.)



Antiga lenda nórdica narra que alguém perguntou a um sábio como poderia ele explicar a eternidade do tempo e do espaço.



O missionário meditou, e apontando colossal montanha de granito que desafiava as alturas, respondeu com simplicidade:



 “ Suponhamos que uma avezita se proponha a desbastar a rocha imponente, paulatina, insistentemente, atritando o bico de encontro à pedra.



Quando houver destruído tudo, estará apenas iniciando a eternidade...”


*

A paciência é o fator que representa, de maneira mais eficiente, o equilíbrio do homem que se candidata a qualquer mister.



Fácil é o entusiasmo do primeiro impulso, comum é o desencanto da terceira hora.



A paciência é a medida metódica e eficaz que ensina a produzir no momento exato a tarefa correta.



Diante do que devemos fazer, não poucas vezes somos acionados pelos implementos da precipitação.



Frente às tarefas acumuladas e aos problemas, indispensável façamos demorado exame e cuidada reflexão antes de apressar atitudes.



Precipitação traduz desarmonia, perturbação, com agravante desconsideração ao tempo.



A paciência significa auto-confiança.



A pirâmide se ergueu bloco a bloco.



As construções grandiosas resultaram da colocação de peça sobre peça.



As gigantescas sequóias se desenvolveram célula a célula.



O que hoje não consigas, perseverando com dignidade e paciência, lograrás amanhã.



Paciência não quer dizer amolentamento, mas dinâmica eficiente e nobre de produzir diante dos deveres que nos competem desdobrar.



Ao lado de alguém que nos subestima — paciência.



Entre as dores que nos chegam — paciência.



Ante o rebelde que nos atormenta — paciência.



O tempo é mestre eficiente que a todos ensina, no momento próprio, com a lição exata plasmando o de que cada um necessita a benefício de si mesmo.



Jesus, acompanhando e inspirando o progresso da Terra, pacientemente espera que o homem se volte para Ele, a fim de que, encarregado da nossa felicidade, possa dirigir-nos pelo caminho que leva a Deus.



Em qualquer circunstância, pois, paz e paciência para o êxito do empreendimento encetado.





FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Convites da Vida , CAP. 34, p. 29.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”