Pachelbel - Canon In D Major

sábado, fevereiro 14, 2015

Nas Fronteiras da Loucura: Uma visão dos festejos carnavalescos na ótica do Plano Espiritual - Pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda









Nas Fronteiras da Loucura: Uma visão dos festejos carnavalescos na ótica do Plano Espiritual

Pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda




Obra do Espírito Manoel Philomeno de Miranda psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, editora LEAL.

O autor espiritual transita com muita propriedade sobre os casos de obsessão.


Dentre outros,  descreve as situações ocorridas em uma segunda-feira de Carnaval, com todas as suas loucuras e imprevidências.


Transita pelas consequências da produção mental no ambiente causando uma psicosfera pestilenta, na qual se nutriam vibriões psíquicos, formas-pensamento de mistura com entidades perversas, viciadas e dependentes, em espetáculo deprimente.


As duas populações : a física e a espiritual, em perfeita sintonia - misturavam-se, sustentando-se, em simbiose psíquica.


Descreve a atuação incansável de equipes operosas de trabalhadores espirituais que revezavam-se, infatigáveis, procurando minimizar o índice de desvarios e de suicídios.


Desde as vésperas haviam sido instalados postos de socorro, no plano espiritual, para recolhimento de desencarnados que se acumpliciavam naqueles desatinos. 


As atividades ali realizadas fazem-nos recordar de um campo de guerra, em que os litigantes mais se compraziam em ferir, malsinar, destruir.


As loucuras do Carnaval pesavam sobremaneira sobre a cidade.


Foi então que dedicado auxiliar do Dr. Bezerra de Menezes que ali atuava, à frente de expressiva equipe de médicos e enfermeiros trouxe-lhe a informação de que fora captada uma solicitação veemente, de urgência, a ele dirigida, nominalmente evidenciando a importância da prece.




Uma obra para ser lida com muita atenção ...

Acesse o link abaixo







FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda, Editora LEAL.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”