Pachelbel - Canon In D Major

sexta-feira, junho 22, 2012

A Preservação do Meio Ambiente - Aylton Paiva





A Preservação do Meio Ambiente 

  Aylton Paiva 


            “ O mundo tornou-se perigoso porque os homens aprenderam a dominar a Natureza antes de se dominarem. “  Albert Schweitzer.



            O dia Mundial do Ambiente é celebrado em 5 de junho e foi criado pela Assembléia Geral das Nações Unidas pela Resolução XXVII, de 15 de dezembro de 1972.


            Vivemos em um mundo maravilhoso que se chama planeta Terra.
            É a nossa casa planetária onde milhares de seres vivem  e desenvolvem as suas potencialidades. Todos os seres viventes, inclusive o ser humano.
            No entanto é preciso saber usar os bens que ela nos proporciona.


            Allan Kardec indagou aos Mentores Espirituais: ‘ O uso dos bens da Terra é um direito de todos os homens?”. E eles responderam:


            - Esse direito é conseqüente da necessidade de viver. Deus não imporia um dever sem dar ao homem o meio de cumpri-lo”  (1)


            Sobre isso já fizemos nossa reflexão (2):


            “Todos os seres vivos possuem o instinto de conservação, qualquer que seja o grau de inteligência, pois a vida é necessária ao aperfeiçoamento dos seres. Por isso a Terra produz de modo a proporcionar o necessário aos que a habitam, visto que só o necessário é útil. O supérfluo nunca o é.


            O homem ainda não aprendeu a retirar do solo apenas o que lhe é necessário. Sua ganância, traduzida pelo desejo do lucro fácil, leva-o a dilapidar o patrimônio do qual o Senhor da Vida permitiu-lhe o usufruto. Destrói sem maiores preocupações florestas imensas, polui as fontes e os rios, contamina os mares. Isso em nome do progresso que, na verdade, mascara a sanha egoística de pessoas e grupos que colocam os próprios interesses acima do bem estar da própria humanidade.”


            No entanto, já observando as graves conseqüências do desrespeito à Natureza, o perigo de se romper a cadeia ecológica: mineral-vegetal-animal, providencias já estão sendo tomadas pelos Órgãos Governamentais, no âmbito local, regional e internacional.


            Nesse sentido será realizada a Conferência Rio + 20, na cidade do Rio de Janeiro no mês de junho de 2012.


            A cidade será então sede da conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável.


            Serão debatidos temas sobe a contribuição da “economia verde” para o desenvolvimento sustentável e a eliminação da pobreza, com foco sobre a questão da estrutura da governança internacional na área do desenvolvimento sustentável.


            Sobre isso já pudemos também meditar:


            “ Ao  lado da abundância, no supérfluo , falta o necessário à massa humana dos marginalizados na sociedade. Nela encontramos a carência, a doença, a falta de habitação a escassez de vestuário, a ausência de instrução e o trabalho sub-humano. Essa massa contrasta com a minoria que detém o poder econômico. Tal é a situação em muitas parte do planeta, no chamado terceiro Mundo.


            Também o Brasil ainda apresenta esse aspecto social, na periferia dos grandes centros urbanos e nas regiões socioeconômicas menos desenvolvidas.


            Embora a civilização amplie as necessidades, ela também aumenta as fontes de trabalho e os meios de viver. A Ciência e a Tecnologia vêm aumentando progressivamente  a  produção dos bens e à medida que se aplique a justiça social a ninguém faltará o necessário.


            A Natureza não pode ser responsável pelos defeitos da organização social, nem pelos efeitos da ambição e do egoísmo. (2)


            Assim, muito importante que na Conferência Rio + 20 os temas do desenvolvimento sustentável sejam devidamente debatidos, mas sobretudo que eles sejam aplicados, pelos cidadãos e pelos órgãos governamentais em todos os seus níveis


            “ O uso dos bens da terra é um direito de todos”. (1)


Bibliografia:


(1)   O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, Ed. FEB
(2)   O Espiritismo e a Política para a Nova Sociedade, Paiva, Aylton, Ed. Casa dos Espíritas, Lins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”