Pachelbel - Canon In D Major

segunda-feira, setembro 26, 2016

14. Dias De Sombra - Joanna de Ângelis

A luz divina envolve-me, e rompe as trevas exteriores que teimavam sitiar-me na amargura.


Deixo-me clarear, e todas as dificuldades se desfazem, ensejando-me ver melhor o programa da existência.


O pessimismo desaparece e a irritação se acaba.


Estou destinado ao êxito, que buscarei com a mente enriquecida de entusiasmo.


Banho-me de luz externa e sou luz interior.






14. Dias De Sombra

Joanna de Ângelis


Coincidentemente, há dias que se caracterizam pela sucessão de ocorrências desagradáveis. 


Nada parece dar certo. 


Todas as atividades se confundem, e os fatos se apresentam deprimentes, perturbadores. 


A cada nova tentativa de ação, outros insucessos ocorrem, como se os fenômenos naturais transcorressem de forma contrária.


Nessas ocasiões as contrariedades aumentam, e o pessimismo se instala nas mentes e na emoção, levando-as a lembranças negativas com presságios deprimentes.


Quem lhe padece a injunção tende ao desânimo, e refugia-se em padrões psicológicos de auto-aflição, de infelicidade, de desprezo por si mesmo.


Sente-se sitiado por forças descomunais, contra as quais não pode lutar, deixando-se arrastar pelas correntes contrárias, envenenando-se com o mau humor.


São esses, dias de provas, e não para desencanto; de desafio, e não para a cessação do esforço.


Quando recrudescem as dificuldades, maior deve ser o investimento de energias, e mais cuidadosa a aplicação do valor moral na batalha.


Desistindo-se sem lutar, mais rápido se dá o fracasso, e quando se vai ao enfrentamento com idéias de perda, parte do labor já está perdido.


Nesses dias sombrios, que acontecem periodicamente, e às vezes se tornam contínuos, vigia mais e reflexiona com cuidado.


Um insucesso é normal, ou mesmo mais de um, num campo de variadas atividades.


 Todavia, a intérmina sucessão d’Eles pode ter gênese em fatores espirituais perniciosos, cujas personagens se interessam em prejudicar-te, abrindo espaços mentais e emocionais para intercâmbio nefasto contigo, de caráter obsessivo.


Quanto mais te irritares e te entregares à depressão, mais forte se te fará o cerco e mais ocorrências infelizes tomarão forma.


Não te debatas até a exaustão, nadando contra a correnteza. 


Vence-lhe o fluxo, contornando a direção das águas velozes.


Há mentes espirituais maldosas, que te acompanham, interessadas no teu fracasso.


Reage-lhes à insídia mediante a oração, o pensamento otimista, a irrestrita confiança em Deus.


Rompe o moto-contínuo dos desacertos, mudando de paisagem mental, de forma que não vitalizes o agente perturbador.


Ouve uma música enriquecedora, que te leve a reminiscências agradáveis ou a planificações animadoras.


Lê uma página edificante do Evangelho ou de outra Obra de conteúdo nobre, a fim de te renovares emocionalmente.


Afasta-te do bulício e repousa; contempla uma região que te arranque do estado desanimador.


Pensa no teu futuro ditoso, que te aguarda.


Eleva-te a Deus com unção e romperás as cadeias da aflição.


Há sempre Sol brilhando além das nuvens sombrias, e, quando ele é colocado no mundo íntimo, nenhuma ameaça de trevas consegue apagar-lhe, ou sequer diminuir-lhe a intensidade da luz. 


Segue-lhe a claridade e vence o teu dia de insucessos, confiante e tranqüilo.





FRANCO, Divaldo Pereira pelo Espírito Joanna de Ângelis. Momentos de saúde.Cap14 ,1992, p.17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”