Pachelbel - Canon In D Major

terça-feira, setembro 20, 2016

8. Insatisfação e Utopias - Joanna de Ângelis

O estímulo divino emula-me ao avanço.


As leis de incessantes mudanças funcionam em toda parte, ensinando-me renovação e progresso.


Sou acionado por uma energia superior que me propele para as cumeadas da vida.


O vale é sombra, e a montanha conquistada é luz.


Satisfeito, saudável e pleno, sou estimulado a vencer e a crescer.








8. Insatisfação e Utopias

Joanna de Ângelis


A insatisfação responde pela presença de muitos males e sofrimentos no organismo social, gerando desequilíbrios que poderiam perfeitamente ser evitados.


Utilizando-se de mecanismos de evasão, a criatura evita assumir a própria realidade, elaborando modelos de fictícia felicidade, para os quais transfere as aspirações, produzindo os estados de inconformismo, de desgosto, a que se aferra, perdendo as excelentes ocasiões de conhecer-se e plenificar-se.


Tais padrões passam então a ser-lhe metas, sempre improváveis de concretizarem-se, e mesmo quando consegue alcançar os patamares próximos, porque os seus são objetivos fantasiosos, mantém-se no mesmo estado de morbidez, de desajuste.


Pequenas características tornam-se-lhe fundamentais, e detalhes que o diferenciam do que considera belo, saudável, estético e feliz adquirem alta importância, assim mantendo o condicionamento de desditoso.


De caráter rebelde e conduta perturbadora, despreza os recursos preciosos que dispõe, anelando somente pelo que gostaria de ser, de ter, de parecer.


Aguarda, nesse clima de inconformação, um milagre que jamais lhe ocorrerá de fora para dentro, sem realizar o notável esforço de transformação de conceito, bem como a mudança de atitude de dentro para fora.


Aprofunda-te no autoconhecimento, redescobrindo-te.


És conforme te elaboraste na sucessão do tempo.


As tuas matrizes encontram-se no passado espiritual que não mais alcançarás. 


Entretanto, através de novos comportamentos alterarás o ritmo e as ocorrências da vida.


Examina-te e tem a coragem de enfrentar como te encontras, elaborando paradigmas e propostas reais que conseguirás alcançar.


A fuga de ti mesmo não leva a lugar algum, porquanto jamais te dissociarás da tua realidade.


Inicia um programa de autovalorização analisando os fatos, conforme mereçam, ou não, consideração.


A nada, a ninguém culpes pelo que consideras insucessos.


A pessoa irresponsável, quando não se esforça para alterar o que pode ser modificado, transfere a responsabilidade para as circunstâncias que acredita más, as pessoas, ou culpa-se a si mesmo, preferindo a queixa e a comiseração ao esforço profícuo. 


O tempo, o lugar, a sociedade, o governo, a inveja alheia, a competição malsã, a má sorte ou a sua fraqueza são os ingredientes para justificar a acomodação, o falso sofrimento de que se diz objeto.


Ruma na direção das estrelas.


Impõe novos conceitos à vida e trabalha por vivenciá-los de forma edificante.


Quem tem piedade de si mesmo, nega-se a receber ajuda do seu próximo.


O insatisfeito, além de ingrato, é rebelde e preguiçoso, que prefere as sombras da reclamação e do atraso, às claridades do progresso libertador.


Não te permitas utopias existenciais, partindo para a conquista de realizações legítimas.




FRANCO, Divaldo Pereira pelo espírito Joanna de Ângelis. Momentos de saúde.Cap.8 ,1992, p.10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”