Pachelbel - Canon In D Major

quinta-feira, julho 16, 2015

Além do Tempo, uma nova novela sobre Reencarnação - Pedro Fagundes Azevedo




Além do Tempo, uma nova novela sobre Reencarnação

Pedro Fagundes Azevedo



Além do Tempo, a nova novela de Elizabeth Jhin, que estreou na Rede Globo, segunda-feira última, dia 13, com bons índices de audiência, reflete o amor de Lívia (Alinne Moraes) e Felipe (Rafael Cardoso) em duas encarnações sucessivas. 


Na primeira, a história se passa em Campobello, uma cidadezinha fictícia do interior do Rio Grande do Sul, no século 19. 


Passam 150 anos e o mesmo casal continua junto, em nova reencarnação, agora nos dias atuais, em pleno Rio de Janeiro.


Assim, o pano de fundo é o espiritismo, tema repetitivo nas novelas de sucesso da autora Elizabeth, como Eterna Magia (2007), Escrito nas Estrelas (2010) e Amor Eterno Amor (2012). 


Como sempre, a autora se esforça para passar sua mensagem: 


- "Não estamos na Terra a passeio, a vida tem um sentido. Sempre que o sol aparece de manhã, é uma nova chance".


Nessa primeira parte da novela, em cenas gravadas em Garibaldi e São José dos Ausentes, na serra gaúcha, com seus usos e costumes, o enredo principal envolve Felipe, um jovem conde, e Lívia, humilde noviça que vive no convento a mando da mãe, Emília (Ana Beatriz Nogueira). 


Enquanto Alinne e Rafael serão os mocinhos, Paolla Oliveira e Irene Ravache farão as vilãs.


Após conhecer a saga de Lívia e Felipe no século 19, o telespectador será levado aos dias atuais e verá o casal em nova encarnação. 


Assim como todos os demais personagens, eles manterão os mesmos nomes, mas terão outras histórias. 


A única coisa que se manterá será o amor que um sente pelo outro, através de duas vidas com características bem diferentes. 


Entretanto, o universo da uva e do vinho estará presente em ambas situações, fazendo relação entre o que se planta e o que se colhe na vida através das várias reencarnações.





CENTRO ESPIRITA NO CAMINHO DA LUZ. Disponível em http://www.centronocaminhodaluz.com.br/2015/07/artigo4147.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Deixe aqui um comentário”